>
quinta-feira, 7 de julho de 2022 - 05:30 h

TEMPO REAL

 

Capa / Polícia / Promotor descarta conotação política em atentado contra prefeito de Paraty

Promotor descarta conotação política em atentado contra prefeito de Paraty

Matéria publicada em 2 de setembro de 2015, 18:43 horas

 


case

Atentado: Prefeito Casé foi atingido apenas de raspão por tiros disparados contra ele

Paraty e Volta Redonda – Um dia depois da polícia prender dois irmãos suspeitos de serem os mandantes do atentado sofrido pelo prefeito de Paraty, Carlos José Gama Miranda (PT), o Casé, e o primo dele, o servidor público Sérgio José Miranda, em maio deste ano, o promotor Bruno Gaspar, membro do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Rio, disse que a tentativa de homicídio não teve conotação política. O crime teria sido motivado por vingança, depois que a prefeitura conseguiu na Justiça a reintegração de um terreno que os dois acusados ocupavam no bairro Caburê.
– Nesse caso trata-se de uma situação isolada, embora as investigações ainda não terminaram. Não descarto outra linha de apuração para o crime, mas, por enquanto, tudo leva a crer que o motivo do atentado foi mesmo o fato da desapropriação do terreno. Foi registrado, inclusive, o depoimento de uma testemunha que foi ameaçada pelos dois suspeitos – disse o promotor.
Além dos irmãos Jorge Porto Júnior, conhecido como “Romarinho”, de 39 anos, e Gilcélio Porto, o “Buda”, de 50 anos, a polícia prendeu José Carlos Godoy Bustamante que teria sido o autor dos disparos que atingiram de raspão Casé e o primo dele.
Ainda segundo o promotor, Romarinho e Buda são primos de dois políticos de Paraty, mas essas pessoas já depuseram ao delegado da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense, Fábio Cardoso, que investiga o atentado sofrido por Casé.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document