>
domingo, 22 de maio de 2022 - 19:50 h

TEMPO REAL

 

Capa / Polícia / Suspeito de liderar tráfico em VR e no Complexo da Maré é preso em Juiz de Fora

Suspeito de liderar tráfico em VR e no Complexo da Maré é preso em Juiz de Fora

Matéria publicada em 23 de junho de 2015, 18:24 horas

 


Juiz de Fora (MG), Rio e Volta Redonda – A Polícia Civil de Minas Gerais prendeu, na tarde da última segunda-feira, Marcelo Eduardo Fernandes, conhecido como “Marcelo Soldado”, de 32 anos, que estava foragido da Justiça de Volta Redonda desde 2011. Soldado é apontado pela polícia como um dos líderes do tráfico de drogas em Volta Redonda e na favela Parque União, ligada ao Complexo da Maré, no Rio.

De acordo com o divulgado pelos policiais mineiros, Soldado foi preso no Bairro Morada do Serro, na Cidade Alta, em Juiz de Fora. O suspeito foi localizado após 15 dias de investigação e era considerado um dos homens mais procurados no Estado do Rio. Marcelo Soldado é também conhecido por conseguir fugir de cercos policiais.

A última “proeza” do suspeito aconteceu em meados de abril, durante uma megaoperação desencadeada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, com apoio da Polícia Civil. Na ação denominada “Adren” (de adrenalina), foram presas 26 pessoas, sendo 14 delas na região Sul Fluminense. Todos teriam ligações com tráfico de drogas e com bandidos ligados ao PCC (Primeiro Comando da Capital), maior facção criminosa em ação no país, com origem em São Paulo.

A organização em São Paulo é a responsável pelo fornecimento de drogas para praticamente todas as cidades do Sul Fluminense e seria chefiada localmente por José Arimatéia Barros Lima Filho, de 32 anos. O “elo” mais forte de Arimatéia com a região era justamente “Marcelo Soldado”. Ele chegou a ser preso no ano passado e teria feito um acordo de delação premiada, quando aproveitou para fugir.

Segundo denúncia feita pelo Gaeco, Marcelo Soldado transportava drogas de São Paulo para a região ou então usaria “mulas” – pessoas que transportam entorpecentes em troca de dinheiro. A partir de diversas escutas telefônicas, os procuradores da Gaeco desbarataram um grande esquema de tráfico de drogas, que envolvia também policiais, agentes carcerários e outros funcionários públicos.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

7 comentários

  1. Pega geral.

  2. a turma da siderlandia e do padre josimo nao sai do antares

  3. É VERDADE ATÉ QUANDO OS TRAFICANTES QUE ATUAM AQUI E ESTÃO LA NA BAIXADA DO RIO VÃO CONTINUAR . O POVO NÃO PRECISA FALAR NADA NÃO ! A POLICIA PRINCIPALMENTE A PM SABE DE TUDO …

    • A fita foi dada e só seguir as mulher dos cara que sai de volta redonda e chegam ai rio fazendo baldeação em angra e outras cidades .

  4. Tem gente que sabe muito mas não denúncia nada… que você sabe tanto liga pró disque denúncia e passa a fita… Ainda quer criticar o delegado. Grrrh

  5. Só mesmo la em minas gerais e que prendem mesmo ! Porque aqui estão a vontade e por falar nisso tem outros que estão fazendo o que quer aqui em volta redonda e tirando onda de bacana lá no rio ! Até quando em ?

    • E o Fabio “vulgo mineiro” vem mata faz uma arruaça em volta redonda e tira onda de playboy no rio precisamente em campo grande a onde possui uma casa de sua propriedade e ai delegado vai pegar esse vagabundo não .

Untitled Document