Usuários de crack migram para linha férrea em Barra Mansa - Diário do Vale
terça-feira, 21 de setembro de 2021 - 02:03 h

TEMPO REAL

 

Capa / Polícia / Usuários de crack migram para linha férrea em Barra Mansa

Usuários de crack migram para linha férrea em Barra Mansa

Matéria publicada em 3 de setembro de 2016, 17:00 horas

 


Problema vem ocorrendo no trecho da Rua Monsenhor Lustosa, próximo ao prédio da prefeitura

Polícia: Apoio da comunidade é de extrema importância para que a corporação possa fazer abordagens efetivas (Foto: Arquivo)

Polícia: Apoio da comunidade é de extrema importância para que a corporação possa fazer abordagens efetivas (Foto: Arquivo)

Barra Mansa – Embora ainda seja frequente a presença de usuários de crack e outros tipos de drogas nas proximidades da Ponte Ataulfo Pinto dos Reis (Ponte dos Arcos), no Ano Bom, um novo espaço também passou a ser utilizado pelos dependentes químicos em Barra Mansa. Trata-se do trecho da linha férrea nas proximidades do prédio da prefeitura.

De acordo com moradores, e pessoas que diariamente passam pelo local, os usuários estariam migrando para a linha férrea por dois motivos. Um deles é o fato do local ser isolado, principalmente quando muitos trens ficam parados, e porque a área do Ano Bom estaria sendo mais monitorada pelas autoridades da área de segurança.

O aposentado Gilmar da Silva Mello, de 61 anos, afirma que o problema está se tornando recorrente e não só à noite.

– Se você passar por lá, por volta das nove da manhã, corre o risco de ver alguém caminhando e fumando maconha ou crack – disse o aposentado, que faz caminhadas e sempre passa pelo local.

Conforme destacou o aposentado, embora alguns usuários utilizem os vagões para se esconderem, enquanto usam a droga, muitos não se preocupam em manter discrição alguma.

– Eu já cansei de ver jovens fumando maconha e crack nesse trecho da linha, tranquilamente, sem se importarem com as pessoas que estão passando. Muitos, com certeza, vieram da área do Ano Bom. Porque lá a ponte dos Arcos já está ‘manjada’ pela polícia – comentou.

Um morador que pediu para não ser identificado, e que há 50 anos mora no local, também afirma que a presença dos usuários de crack vem aumentando no trecho da linha férrea. De acordo com ele, embora não esteja ocorrendo mais assaltos nessa área, como em alguns meses atrás, a situação incomoda os moradores pela sensação de insegurança.

“No período da noite a situação é pior, eles se escondem atrás dos vagões, mas a qualquer hora do dia tem um ou outro usando drogas na linha, inclusive adolescentes e estudantes”, comentou.

A cuidadora de idosos Erica Dias, de 44 anos, já orientou a filha de 15 anos a não passar pelo local. De acordo com ela, em menos de uma semana ela presenciou várias pessoas usando drogas nesse trecho, sempre no final da tarde. “Infelizmente, o melhor a se fazer é evitar passar pelo local, pois não sabemos até que ponto essas pessoas estão alucinadas. Eu deixei de cortar caminho por ali e, agora, só atravesso na passagem de nível do viaduto, Falei pra ela fazer a mesma coisa, quando sair do colégio”, disse.

Apoio da comunidade

Informado sobre a queixa dos moradores, o comandante do 28º Batalhão da Policia Militar, coronel Damião Luiz Portella, disse que o apoio da comunidade é de extrema importância para que a corporação possa fazer abordagens efetivas. De acordo com ele, há a necessidade denúncias precisas.

– Recebemos algumas informações de usuários em alguns pontos de Barra Mansa, mas quando chegamos ao local não encontramos ninguém – explicou o comandante, que pretende viabilizar um encontro com a comunidade para apurar esses e outros problemas, apontados pelo meio do Conselho Comunitário de Segurança.

O comandante explicou que o fato de Barra Mana não ter uma base como o Ciosp (Centro Integrado de Operações de Segurança Pública) de Volta Redonda acaba por dificultar as informações via rádio.

– Por isso, a necessidade da comunidade nos repassar o máximo de informações possíveis sobre esses tipos de prática e os locais exatos, para que possamos obter êxito na abordagem – comentou Portella.

Segundo o policial, o apoio do conselho será de grande importância para que o comando possa ouvir moradores desse trecho citado, e outros pontos da cidade, para que um planejamento seja elaborado e o policiamento, tanto a pé quanto nas viaturas, seja feito de maneira coordenada. “Nos colocamos á disposição da comunidade e do Conselho Comunitário”, disse o comandante.

Empresas se manifestam

O DIÁRIO DO VALE entrou em contato com as empresas Ferrovia Centro Atlântico (FCA) e a MRS Logística para saber a posição diante da queixa dos moradores. Em nota, a assessoria de imprensa da FCA informou que o local mencionado é um pátio de manobras da ferrovia e não há irregularidade no fato do trem ficar parado ali. O local, segundo informou a FCA, conta com segurança patrimonial que, ao avistar qualquer movimentação estranha, aciona às autoridades competentes.

Já a assessoria de imprensa da MRS Logística destacou que a presença de usuários de drogas na linha férrea, embora seja um tema de grande preocupação, é algo sobre o que a empresa não possui capacidade de gestão. Conforme destaca a MRS, esse é um assunto de segurança pública e a empresa não tem “poder de polícia” e nem legitimidade para combater o crime.

“O que temos como prática corrente é um relacionamento muito estreito e de colaboração com a Polícia Militar, algo que acontece em todas as regiões em que estamos. Sempre contamos com apoio e suporte, e iremos endereçar a preocupação da comunidade às autoridades”.

Sobre a parada de vagões, a assessoria da MRS informou que se comprometeu a avaliar se algo pode ser feito pontualmente, com a ressalva de que, com ou sem vagões, a causa raiz, que é o problema de segurança pública, poderá persistir prejudicando a ferrovia e toda a cidade.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

11 comentários

  1. Comprar produto ilegal não é crime?
    Quem não culpa os consumidores de droga (que as compra ilegalmente, portanto, é crime) deve ser um consumidor em casa porque tem onde morar mas é criminoso também porque recepta mercadoria ilegal.
    Precisamos é criar leis para acabar com o consumidor, ai sim, acabaremos com os vendedores de drogas.
    Ou legaliza logo, o que não vai funcionar porque com os impostos a droga ilegal vai continuar muito mais barata e continuaremos com o mesmo problema.

  2. Isso é um problema de saúde pública e não adianta culpar o usuário. O primeiro erro foi do sistema que não conseguiu deter a droga que se espalhou na sociedade. Uma vez dependentes esses sujeitos estão claramente com seu juízo crítico comprometidos. É necessária uma equipe multidisciplinar para recolher essas pessoas das ruas, ver a situação delas com a justiça, informar as famílias e conscientiza-las sobre o vício através de assistentes sociais, levar os dependentes para centros de reabilitação com psicólogo e psiquiatra, pois além das neuroreses causadas pela droga, muitos deles estão nas drogas por portarem alguma doença mental. A gente tem passeata pelo direito dos gays, direito de fumar maconha, quero ver fazer uma passeata pelo direito a tratamento e inclusão social dos viciadosem crack. Eles não tem cotas como os negros e a TV não faz campanha contra o preconceito contra eles. A luta deles eh maior que ser mulher ou feminista. Eles são a escória do mundo!

    • Grande verdade em suas palavras, pois as maiores vítimas, são esses usuarios que estão doente, e sem ajuda não conseguem a cura de seus vícios!!
      o pior tipo de doença é o vício nas drogas.

  3. gleydson laurindo de souza

    Outro lugar de barra mansa que precisa de fiscalizaçao é proximo a faculdade UBM, na rua jose alves caldeira a uma tabacaria onde varios jovens se reuni pra fazer uso de drogas nos terrenos ao redor e até mesmo na calçada! Nao respeitam ninguem está uma bagunça total ao ar livre!

  4. Coxinha de cidade-operária

    A gente tenta ajudar esses cracudos e eles vêm logo com duas pedras em cada mão… :/

  5. Claro multa eles ganham comissão

  6. Cadê a Guarda Municipal ta multando motorista sem cinto ali do lado

  7. Muito triste essa situação, já vi esses meninos nesse local; parecem zumbis, a gente tem que ficar realmente preocupado e com medo; não sabemos o que são capazes de fazer quando estão drogados, precisam de tratamento; mas tem que partir deles!

  8. Por que a comunidade tem que denunciar ? As polícias PM, PC e GM não sabem disso ?

    • Existem 170 mil pessoas nessa cidade e algumas poucas dezenas de membros das forças públicas… Faça as contas e veja quem tem mais chances de ver onde as coisas estão acontecendo…

  9. DIÁRIO!AVISA A MRS.QUE SEUS MAQUINISTA ESTÃO CORRENDO RISCO EM SAUDADE,ASSALTO,E ATROPELAR UM VICIADO.POIS A GUARDA QUE ELES CONTRATRÃO NÃO FAZ NADA.

Untitled Document