>
domingo, 3 de julho de 2022 - 23:29 h

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Assembleia decide destino de greve de servidores

Assembleia decide destino de greve de servidores

Matéria publicada em 28 de março de 2016, 21:05 horas

 


Resende – O Sindicato dos Funcionários Públicos de Resende promove, nesta terça (29), uma assembleia no sentido de avaliar suspensão da greve da categoria, iniciada hoje. A abertura de negociação com a Prefeitura foi formalizada nesta tarde junto ao Juízo de Direito da 1ª Vara Cível da Comarca de Resende, que tem como titular o juiz Marvin Ramos Rodrigues.
O juiz determinou a suspensão da liminar que impedia a adesão de servidores dos servidores do Hospital de Emergência e Postos de Saúde ao movimento grevista e determinou que o resultado da assembleia seja encaminhado a ele. Apenas depois de tomar conhecimento da decisão dos servidores, o juiz decidirá sobre a liminar que foi suspensa.
Segundo balanço da Prefeitura, o movimento grevista iniciado hoje teve adesão de menos de 3% do funcionalismo. Na rede municipal de ensino, as 44 escolas que atendem turmas da educação infantil e ensino fundamental funcionaram normalmente no turno da manhã. No turno da tarde, apenas os profissionais da Escola Municipal Esther Politi, na Fazenda da Barra I, aderiram à paralisação: sete professores, duas auxiliares de serviços gerais e dois inspetores de disciplina. Das 17 creches, apenas a São Vicente de Paulo, no bairro Alegria, se manteve fechada nesta segunda-feira (28).
Na Saúde, todas as unidades funcionaram normalmente nesta segunda-feira. O atendimento ao público no Centro Administrativo, no Jardim Jalisco, também ocorreu sem interrupções.

Volta Redonda tem paralisação dos professores por 24 horas

Os profissionais da Educação de Volta Redonda farão uma paralisação de 24 horas no próximo dia 30. O Sindicato dos Funcionários Públicos decidiu aderir ao movimento e também vai convocar a categoria que atende para que possa paralisar suas atividades neste mesmo dia.
Os servidores públicos tentam antecipar a data-base da categoria – que é em julho – para abril, pois, devido o ano eleitoral, reajustes do tipo só podem ser dados até seis meses antes do pleito.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document