quarta-feira, 18 de setembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Audiência discute doenças autoimunes

Audiência discute doenças autoimunes

Matéria publicada em 23 de maio de 2019, 22:53 horas

 


Encontro na Câmara Municipal de Volta Redonda planeja ações para amparar pacientes

Audiência discutiu formas de viabilizar assistência a pessoas com doenças autoimunes

Volta Redonda – O vereador Rodrigo Furtado (PTC) presidiu na noite desta quarta-feira (22), na Câmara Municipal, uma Audiência Pública para debater sobre doenças autoimunes e as dificuldades enfrentadas pelos pacientes e seus familiares. Com duração de quase duas horas, o encontro contou com a participação de aproximadamente 100 pessoas, além da classe médica que se fez presente esclarecendo as dúvidas da população.

Para Rodrigo Furtado, autor do requerimento que solicitou a Audiência Pública, uma mensagem ficou clara ao fim do evento: “as pessoas sofrem com a desinformação e com a falta de apoio”, disse o parlamentar, completando que conhecer a realidade desses pacientes é essencial para que medidas de assistência, médica e social, possam ser viabilizadas de forma menos burocrática e demorada.

– É necessário incentivar e planejar políticas públicas voltadas para o amparo e auxílio dos portadores. Hoje demos o pontapé inicial para que este tema continue sendo discutido amplamente em nosso município. Como advogado aproveitei minha fala para esclarecer alguns direitos amparados por lei, que são oferecidos aos portadores de algumas doenças, e que muitas vezes não são do conhecimento desse público. Conte comigo nesta luta. Estou à disposição para elucidar todas as dúvidas – frisou.

O reumatologista e provedor médico da Santa Casa de Misericórdia de Barra Mansa, José Augusto de Sá, prestigiou o evento e ressaltou a importância do diagnóstico. Ele afirmou que identificar a doença de forma precoce, e não tardiamente, é determinante para que o tratamento evolua e para que o paciente tenha uma maior qualidade de vida.

– É preciso se manter alerto aos sintomas e a qualquer sinal sugestivo procurar auxílio médico. Qualquer modificação notada é importante e não pode passar desapercebida. Por isso é relevante promover discussões e disseminar essas informações – disse.

A paciente e militante da causa, Margot Ramalhete, parabenizou a iniciativa e pontou a conscientização como uma ferramenta eficaz nesta luta. Segundo ela, o público teve a oportunidade de realizar uma terapia em grupo, conhecendo o problema do outro e se fortalecendo.

– Foi uma noite muito produtiva e enriquecedora. Conseguimos externar nossas dificuldades e demandas. Sabemos que estamos no começo e que ainda precisamos avançar nesse tema, mas ter a chance de falar sobre os nossos dilemas é confortante. Convivemos diariamente com intermináveis filas de espera, com a ausência de um centro de apoio, com a pouca oferta de especialistas, e esses fatores acabam atrapalhando a evolução do tratamento. Nossa luta continua e esse movimento foi só o início – relatou.

Também participaram do evento: os vereadores José Augusto de Miranda e Paulo César Lima da Silva; José Augusto de Sá, reumatologista; Silvana de Oliveira Lima, dermatologista; Silvia Melo, representante da Secretaria Municipal de Saúde; Robson de Oliveira Nunes, psicanalista; Fernanda Neves, farmacêutica da Farmácia Municipal de Componente Especializado; Raniery Ávila, gastroenterologista e coordenador técnico da Policlínica da Cidadania; Camila Divindade, militante da causa.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document