segunda-feira, 16 de setembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Audiência Pública na Câmara Municipal discute combate ao suicídio na cidade

Audiência Pública na Câmara Municipal discute combate ao suicídio na cidade

Matéria publicada em 9 de setembro de 2019, 21:48 horas

 


Vereador afirma que dados da OMS sobre ocorrências no Brasil são alarmantes

Rodrigo Furtado propõe que Volta Redonda tenha semana dedicada a combater suicídio
(Foto: Arquivo)

Volta Redonda – Esta terça-feira (10) é o “Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio” e, para abordar o tema e ampliar a discussão sobre o crescimento deste tipo de ocorrência, a Câmara Municipal realizará no dia 25 de setembro, às 19h, uma audiência pública para conscientizar a população frente aos sinais e riscos. A solicitação foi apresentada pelo vereador Rodrigo Furtado (PTC), a partir de dados alarmantes. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), o suicídio é a segunda causa de morte entre jovens com idade entre 15 e 29 anos. Estima-se, ainda, que 32 brasileiros se matam a cada dia.
O parlamentar afirmou que, embora o assunto seja delicado, é preciso falar sobre o tema, esclarecer dúvidas e compartilhar informações. Para Rodrigo, essas mortes podem ser evitadas e a prevenção é pilar indispensável para reverter a situação, garantindo atenção adequada e estimulando o diálogo.
– Precisamos valorizar a vida e compreender a dor do próximo. Ter solidariedade e empatia com o problema alheio é fundamental para reduzir esses índices. Devemos nos livrar dos julgamentos e oferecer atenção, não importa o que esteja motivando este sofrimento. Quem tira a própria vida se aflige a ponto de não conseguir administrar suas dores. Sendo assim, antes de classificar a angústia, devemos escutar e amparar. Um simples gesto pode salvar uma vida – explicou.
Tramita na Câmara Municipal, também de autoria de Rodrigo, um projeto de lei que cria a “Campanha Municipal de Prevenção ao Suicídio” e o “Dia Municipal de Prevenção ao Suicídio”. A previsão é de que a proposição seja votada antes da Audiência Pública.
– Estamos falando de um mal silencioso e invisível, que cresce a cada dia e se manifesta de diversas formas. É necessário pensar em políticas públicas voltadas para a precaução desta triste prática. Para começar, é de extrema importância a realização de ações no nosso município, a fim de conscientizar e informar a população sobre este ato interrompe sonhos e futuros – concluiu.

 

Resende desenvolve palestras sobre prevenção ao suicídio

Resende – A prefeitura de Resende preparou um cronograma de palestras sobre prevenção ao suicídio para a campanha “Setembro Amarelo”. Nos dias 18 e 27 deste mês, os encontros acontecerão nos seguintes locais: na Associação Educacional Dom Bosco (AEDB), no bairro Campo de Aviação, às 19h; e no Senac Resende, no Jardim Jalisco, às 14h. O objetivo principal destes eventos é levar informações sobre o tema para o maior número de pessoas possível, visando orientá-las a respeito de apoio profissional, além de construir uma rede de ajuda.
O secretário de Saúde, Tande Vieira, reforçou a importância da campanha, alertando sobre os dados estatísticos divulgados em relação ao problema.
— Estima-se que ocorre um suicídio a cada 40 segundos no mundo, o que totaliza cerca de um milhão de casos por ano. Dados mundiais ainda revelam que uma pessoa atenta contra a própria vida a cada três segundos. No Brasil, ocorre um suicídio a cada 45 minutos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a faixa etária mais afetada pelo problema é de 15 a 29 anos. O suicídio está entre as três principais causas de morte entre jovens. Neste contexto, a Atenção Primária à Saúde tem um papel fundamental na prevenção ao suicídio. O Ministério da Saúde recomenda quatro passos para prestar ajuda a uma pessoa sob risco de suicídio: conversar com calma e cautela ou sugeri-la o atendimento do CVV; acompanhar seu estado emocional; incentivá-la a buscar apoio profissional em postos de saúde, Caps (Centro de Atenção Psicossocial) e serviços de emergência (Pronto Socorro, Samu – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – e hospitais, entre outros); e protegê-la para que não tenha acesso a meios que possam provocar a sua morte – destacou.
A superintendente de Saúde Mental, Jéssica Pavone, explicou que a finalidade dos encontros é ensinar a evitar suicídios por meio de pequenos gestos e cuidados, além de prestar atenção aos sinais que podem desencadear o ato. “As palestras são ministradas pela equipe profissional de Saúde Mental do Município. Além de conversar e dar suporte às pessoas sob risco de suicídio, também são dadas dicas para uma alimentação adequada, hábitos saudáveis e de incentivo ao esporte e lazer. Com a campanha, a população tem a oportunidade de ter acesso a informações que servem para a construção de uma rede de apoio voltada às pessoas que sofrem com ideias suicidas. Este ano, a equipe vem atuando em escolas e universidades, entre outros espaços. Os interessados podem solicitar palestra pelos telefones (24) 3360 5009 ou 3360 5077”, finalizou.
No Brasil, o CVV (Centro de Valorização da Vida) promove apoio emocional e prevenção ao suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone (188), e-mail e chat 24 horas.

Outras ações da campanha

Nesta segunda, dia 9, às 9h, foi realizado um encontro sobre prevenção ao suicídio, no auditório do Espaço Z. A palestra foi desenvolvida pela equipe do Nasf (Núcleo de Apoio à Saúde da Família), em parceira com o Neps (Núcleo de Educação Permanente em Saúde), ambos da Atenção Básica de Saúde do Município. Também houve envolvimento da Universidade Estácio de Sá e voluntários do CVV.
A ação, que reuniu mais de 100 profissionais da rede pública de saúde de Resende, aconteceu com o intuito de fornecer informações de como trabalhar o tema nas unidades. Cada unidade tinha direito a três vagas. Os participantes serão multiplicadores dos dados de orientação, identificação e educação relacionados ao tema, tanto na equipe quanto nas comunidades.
A primeira ação temática foi promovida no dia 1º de setembro, domingo, no “Domingo no Parque”, no Parque das Águas, no Jardim Jalisco, entre 9h e meio-dia. A iniciativa, desenvolvida pela Superintendência de Saúde Mental e Secretaria de Esporte e Lazer, contou com uma série de atividades. Houve abertura com momento de fé, roda de conversa sobre saúde mental, aulão de yoga, central de informação com orientação de psicólogos, participação de animadores ‘Voluntários da Alegria’ e a oficina de pintura para crianças.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

4 comentários

  1. Avatar

    E enquanto isso santo Agostinho a mercê dos traficantes, e seu trabalho furtado.

  2. Avatar

    Suicídio em volta redonda isso é piada tem muito e homicídio, não se vê falar em suicídio, de onde tirou isso…

    • Avatar

      Suicídios muitas das vezes não são divulgados. Já fiquei sabendo de inúmeros casos de suicídio em VR e nenhum foi divulgado na imprensa.

    • Avatar

      Tá louco? Em que planeta você vive? Claro que tem. Esse ano, no meu bairro um cara se enforcou. Pessoas como você tem que mudar de opinião urgente. Ou vai acontecer com alguém muito próximo de você e então será tarde demais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document