Câmara de Barra Mansa reduz liberdade orçamentária do Executivo para 2017

by Diário do Vale
Aperto: Emenda de Leiteiro dificulta remanejamento de verbas pelo próximo prefeito de Barra Mansa

Aperto: Emenda de Leiteiro dificulta remanejamento de verbas pelo próximo prefeito de Barra Mansa

Barra Mansa – A Lei de Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2017 em Barra Mansa, foi aprovada com três emendas do vereador José Luiz Vaneli, o Leiteiro (PSDB), que restringem mudanças no orçamento sem autorização da Câmara Municipal. O vereador que propôs as emendas defendeu que as restrições criam um mecanismo de controle do orçamento.
— Reduzimos as movimentações financeiras que podem ser realizadas sem autorização do Legislativo para que haja mais transparência no orçamento municipal. Diante do atual cenário econômico de Barra Mansa, a participação do Legislativo nas questões orçamentárias é ainda mais importante — justificou Leiteiro.
As emendas estabelecem que antecipações de receita e implementação de convênios, parcerias e consórcios pelo Executivo sejam previamente autorizadas pela Câmara. A abertura de créditos suplementares, que implica o remanejamento de despesas do orçamento, ficou restrita a 20% do total fixado para as despesas.
No orçamento de 2016, a possiblidade de remanejamento de despesas sem autorização da Câmara era de 50%. Considerando que o limite para gastos com pessoal, previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal, é 54%, o Executivo tinha a possibilidade de remanejar todas as demais despesas.
O projeto de lei das diretrizes orçamentárias é encaminhado pelo Executivo à Câmara, para orientar a elaboração do orçamento de Barra Mansa.

Vereadores derrubam três vetos do Executivo

Durante sessão de terça-feira, 12 de julho, os vereadores de Barra Mansa rejeitaram três vetos do Executivo a projetos de lei aprovados na Câmara. Dois projetos de lei vetados pelo Executivo eram relacionados a direitos das gestantes do município.
O projeto de lei do vereador Vicente Carneiro Leão Filho, o Vicentinho, garante às futuras mães o direito ao parto humanizado. Já o projeto de lei do vereador Luiz Furlani desobriga as gestantes a passarem pelas catracas de ônibus no município.
O vereador Luiz Furlani defendeu que seu projeto atende tanto às gestantes quanto aos motoristas, que estão  proibidos de autorizar a passagem das passageiras fora da catraca.
-Muitas gestantes não possuem pessoas que possam acompanhá-las nas consultas e até mesmo na hora do parto, vão sozinhas, de ônibus. Como pode ser proibido que elas não passem pela catraca? É desumano. A lei serve até mesmo para não penalizar os motoristas, que são fiscalizados por meio de câmeras, e não podem autorizar a passagem das gestantes sem ser pela catraca – avaliou Furlani.
Além dos projetos de lei dos vereadores Vicentinho e Luiz Furlani, o projeto que institui a Semana Municipal de Combate à Pedofilia, de autoria do vereador Pedro Paulo Lopes, o Pedrinho, também foi vetado pelo Executivo.
Os vetos foram negados pelos vereadores e derrubados ao Executivo, para sanção da lei ou para homologação da Câmara.

You may also like

2 comments

VAI VENDO 15 de julho de 2016, 13:38h - 13:38

Tem que reduzir para no máximo 10% as manobras dos prefeitos. Os 21 vereadores de Volta Redonda precisam acordar tbm.

VAI VENDO 14 de julho de 2016, 23:32h - 23:32

E a CARIDADE com o dinheiro do povo? O que os vereadores e pré-candidatos irão dizer?

Comments are closed.

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996