;
quinta-feira, 26 de novembro de 2020 - 15:31 h

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Câmara de Barra Mansa reduz liberdade orçamentária do Executivo para 2017

Câmara de Barra Mansa reduz liberdade orçamentária do Executivo para 2017

Matéria publicada em 14 de julho de 2016, 21:24 horas

 


Aperto: Emenda de Leiteiro dificulta remanejamento de verbas pelo próximo prefeito de Barra Mansa

Aperto: Emenda de Leiteiro dificulta remanejamento de verbas pelo próximo prefeito de Barra Mansa

Barra Mansa – A Lei de Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2017 em Barra Mansa, foi aprovada com três emendas do vereador José Luiz Vaneli, o Leiteiro (PSDB), que restringem mudanças no orçamento sem autorização da Câmara Municipal. O vereador que propôs as emendas defendeu que as restrições criam um mecanismo de controle do orçamento.
— Reduzimos as movimentações financeiras que podem ser realizadas sem autorização do Legislativo para que haja mais transparência no orçamento municipal. Diante do atual cenário econômico de Barra Mansa, a participação do Legislativo nas questões orçamentárias é ainda mais importante — justificou Leiteiro.
As emendas estabelecem que antecipações de receita e implementação de convênios, parcerias e consórcios pelo Executivo sejam previamente autorizadas pela Câmara. A abertura de créditos suplementares, que implica o remanejamento de despesas do orçamento, ficou restrita a 20% do total fixado para as despesas.
No orçamento de 2016, a possiblidade de remanejamento de despesas sem autorização da Câmara era de 50%. Considerando que o limite para gastos com pessoal, previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal, é 54%, o Executivo tinha a possibilidade de remanejar todas as demais despesas.
O projeto de lei das diretrizes orçamentárias é encaminhado pelo Executivo à Câmara, para orientar a elaboração do orçamento de Barra Mansa.

Vereadores derrubam três vetos do Executivo

Durante sessão de terça-feira, 12 de julho, os vereadores de Barra Mansa rejeitaram três vetos do Executivo a projetos de lei aprovados na Câmara. Dois projetos de lei vetados pelo Executivo eram relacionados a direitos das gestantes do município.
O projeto de lei do vereador Vicente Carneiro Leão Filho, o Vicentinho, garante às futuras mães o direito ao parto humanizado. Já o projeto de lei do vereador Luiz Furlani desobriga as gestantes a passarem pelas catracas de ônibus no município.
O vereador Luiz Furlani defendeu que seu projeto atende tanto às gestantes quanto aos motoristas, que estão  proibidos de autorizar a passagem das passageiras fora da catraca.
-Muitas gestantes não possuem pessoas que possam acompanhá-las nas consultas e até mesmo na hora do parto, vão sozinhas, de ônibus. Como pode ser proibido que elas não passem pela catraca? É desumano. A lei serve até mesmo para não penalizar os motoristas, que são fiscalizados por meio de câmeras, e não podem autorizar a passagem das gestantes sem ser pela catraca – avaliou Furlani.
Além dos projetos de lei dos vereadores Vicentinho e Luiz Furlani, o projeto que institui a Semana Municipal de Combate à Pedofilia, de autoria do vereador Pedro Paulo Lopes, o Pedrinho, também foi vetado pelo Executivo.
Os vetos foram negados pelos vereadores e derrubados ao Executivo, para sanção da lei ou para homologação da Câmara.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Avatar

    Tem que reduzir para no máximo 10% as manobras dos prefeitos. Os 21 vereadores de Volta Redonda precisam acordar tbm.

  2. Avatar

    E a CARIDADE com o dinheiro do povo? O que os vereadores e pré-candidatos irão dizer?

Untitled Document