domingo, 25 de outubro de 2020 - 05:15 h

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Cohab-VR tem permissão para regularizar imóveis sem custas

Cohab-VR tem permissão para regularizar imóveis sem custas

Matéria publicada em 1 de julho de 2019, 23:03 horas

 


Nova lei já sancionada pelo governo estadual vai favorecer cerca de 5 mil mutuários e dará economia de R$ 2 milhões aos cofres públicos

Volta Redonda e Rio – A Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) aprovou, e o governador Wilson Witzel sancionou, uma lei de autoria dos deputados estaduais Marcelo Cabeleireiro, Gustavo Tutuca e Max Lemos que vai beneficiar quase 5 mil mutuários da Cohab-VR. A medida foi tomada após visita recente do presidente da Companhia de Habitação de Volta Redonda( COHAB) e vice prefeito, Maycon Abrantes, à Alerj. Ele falou aos deputados estaduais sobre a necessidade da COHAB em regularizar diversos imóveis,  beneficiando seus mutuários,

O presidente da Companhia de Habitação explicou aos deputados das dificuldades que a empresa pública frequenta, financeiramente, para regularizar a situação de vários imóveis negociados.

— Diante da grave dificuldade financeira que assola a Companhia há anos, se tornava inviável em decorrência dos altos custos cartorários, a Regularização dos imóveis. E foi proposta e aprovada a Lei na Assembléia Legislativa que na sexta-feira, (28), foi sancionada pelo governador Wilson Witzel. Esta lei garante gratuidade nos serviços de cartório às companhias municipais de Habitação, favorecendo os mutuários — disse Maycon.

Segundo o presidente da Cohab-VR, a proposta vai beneficiar diretamente 4,5 mil famílias da Baixada Fluminense e do Sul do estado que há anos esperam pela tão sonhada escritura dos seus imóveis.

— A nova legislação vai beneficiar diretamente a Companhia de Habitação de Volta Redonda, atendendo cerca de 4,5 mil mutuários vinculados à empresa, espalhados pelos municípios de Queimados, Nova Iguaçu, Volta Redonda e Três Rios. São famílias que ainda dependem da  regularização em Cartório para obterem a tão sonhada escritura. Mas com esta lei, a Cohab terá uma economia de aproximadamente R$ 2 milhões em despesas Cartoriais para regularizar os imóveis dos mutuários que serão atendidos — reafirmou Maycon.

O prefeito Samuca Silva, comentou sobre a atividade da empresa de na construção de casas populares:

“A Cohab é a única Companhia Municipal de Habitação em funcionamento no estado do Rio de Janeiro. A empresa de economia mista surgiu em dezembro de 1964 com o objetivo de construir moradias populares para a baixa renda, herdando um grande passivo financeiro dos empreendimentos construídos e não pagos pelo governo federal. Isto dificultou a sua atuação na área habitacional. A Lei, em boa hora, reduzirá essas dividas. A empresa tem um excelente quadro técnico profissional e muito pode contribuir na política habitacional do município”, frisou.

De acordo com a área comercial da Companhia, vários loteamentos que foram vendidos e comercializados entre as décadas de 80 e 90 não foram regularizados pelas gestões anteriores. “Essa situação gerou uma dívida milionária, que não teríamos como arcar. Com a lei sancionada, vamos conseguir entregar a tão esperada escritura aos proprietários que quitaram seus contratos”, reafirmou Maycon Abrantes.

 

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Avatar

    No conjunto do jardim cidade do aço estão fazendo um puxadinho sem autorização. a onde era a guarita esta fazendo uma casa. É A FISCALIZAÇÃO ?

  2. Avatar

    Ou seja, as favelinhas vão continuar crescendo aqui em VR, ao invés de ajustar as condições do local e gerar condições para uma moradia melhor..
    É o velho pão,água e circo assim são mais barato.

    • Avatar

      Infelizmente o Departamento de fiscalização de obras de Volta Redonda acabou. O sucateamento sucessivo em conjunto com a falta de profissionais destruíram qualquer possibilidade de controle urbanístico em volta redonda. O maior município do sul fluminense possui provavelmente o pior Controle urbanístico da região. Fruto de uma política de vinte anos de um governo Neto e que foi coroada com uma desastrosa reforma administrativa realizada pelo atual governo. Quem perde nisso tudo é a população.

Untitled Document