sábado, 22 de setembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Deley vai cobrar agilidade para aprovação da MP das Santas Casas

Deley vai cobrar agilidade para aprovação da MP das Santas Casas

Matéria publicada em 17 de agosto de 2018, 21:36 horas

 


Deley: ‘Sem as santas casas a saúde do Brasil vira um caos ainda maior’

Brasília – O Congresso Nacional recebeu nesta sexta-feira (17) a Medida Provisória 848/18, que cria uma linha de crédito, com recursos retirados do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), para socorrer as santas casas e os hospitais filantrópicos que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A MP é fruto do trabalho de uma comissão especial de parlamentares, que discutiram ao longo do ano a situação destas unidades.
Um dos deputados que integrou a comissão e encabeçou os debates foi Deley de Oliveira (PTB), que considera o trabalho como uma “Santa Causa”. Segundo ele, agora é cobrar agilidade na tramitação e aprovação da medida.
– Não há mais tempo a perder e acho que todos entenderam, inclusive o pessoal do governo, que sem as santas casas a saúde do Brasil vira um caos ainda maior do que aquele que já vemos em muitos lugares. As discussões e debates feitos na nossa comissão vão embasar essa tramitação no Congresso – disse Deley.
O fundo poderá disponibilizar para a nova linha 5% do seu programa anual de aplicações. Segundo o Ministério da Saúde, isso equivale a cerca de R$ 4 bilhões este ano. Os operadores serão Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O risco financeiro da operação ficará com os três bancos oficiais. O prazo para pagamento deve ser de 10 anos, sem carência.

Custo do financiamento

A taxa de juros não poderá ser superior à cobrada da modalidade pró-cotista dos financiamentos habitacionais, que beneficia trabalhadores com conta no FGTS. A linha tem juros mais baixos do que os praticados no mercado. Hoje está entre 8% e 9% ao ano na Caixa. A medida provisória estabelece ainda que a tarifa operacional cobrada pelo banco financiador ficará limitada a 0,5% do valor da operação de crédito.
A medida provisória será analisada inicialmente em uma comissão mista. É nesta fase que são realizadas as audiências públicas e apresentadas as emendas ao texto. O texto aprovado na comissão será votado posteriormente nos plenários da Câmara dos Deputados e do Senado.

5 comentários

  1. Tá difícil

  2. CEM Reais para votar, SEM instrução depois

    Gente, vamos ler mais o DV. O Deley está sempre por aqui.
    Ficam lendo jornais forasteiros, então dá nisso: não sabem do que acontece na cidade e região.

    Eu tbm leio jornais forasteiros para assuntos muito específicos, mas para saber do que acontece na região é sempre o DV e não abro mão.

    Uma dica: usem a BUSCA com a palavra Deley para constatarem a sua presença sempre aqui. Ou usem o “Tempo Real” acima.

    Só para lembrar: Se PAGAR A MULTA eleitoral o seu dinheiro vai para as campanhas dos candidatos, muitos deles bandidos.

    O seu dinheiro ajudando os bandidos a comprarem votos.

  3. Esse candidato só aparece no periodo de eleições. Fora desse periodo, nem enxerga os eleitores, apesar que, isso é uma pratica muito comum em nossa cidade. Mas, esse candidato deu o despreso a Volta Redonda após a saida de seu parceiro que era prefeito, aquele que encharcou a prefeitura gerando milhares de empregos para seus cumpinchas que nada fazem. Alguns ainda estão lá na SMAC e outros setores. Agora esta em campanha, e ai ?????

  4. época de eleição ficam todos aprovando,votando ,isso ou aquilo , depois de eleito fds os otarios ,conheço bem o manguaça ,nem aqui vem ,vc éo nelson dois aproveitadores de nomes :^o pingaiada com o nome do flu , e o faz nada com o nome do pai !

Untitled Document