quinta-feira, 17 de outubro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Estado cria Secretaria da Vitimização e Amparo à Pessoa com Deficiência

Estado cria Secretaria da Vitimização e Amparo à Pessoa com Deficiência

Matéria publicada em 29 de agosto de 2019, 19:16 horas

 


Rio – O Governo do Estado criou, no início deste mês, a Secretaria de Vitimização e Amparo à Pessoa com Deficiência. A nova pasta tem o objetivo de coordenar e operacionalizar as políticas para agentes públicos de segurança pública e seus familiares que foram vítimas de violência. Além disso, a proteção e promoção dos direitos das pessoas portadoras de deficiência também estão descritas como atuação da nova Secretaria.

Nomeada como secretária, a major da Polícia Militar Fabiana Silva tem 22 anos de corporação e já comandou importantes unidades da PM. Eleita deputada federal em 2018, Fabiana foi titular das comissões de Desenvolvimento Urbano, de Defesa dos Direitos da Mulher e de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, da Câmara dos Deputados.

– Entrei na Polícia Militar aos 17 anos e sou de uma geração de policiais que entendem que era preciso ultrapassar os muros do quartel para que as situações que nos afligem sejam resolvidas com capacidade técnica. O governador Wilson Witzel teve a sensibilidade de dar luz às pessoas que precisam de um acolhimento após passarem por um episódio de violência. Além disso, é preciso ampliar e aumentar a acessibilidade às pessoas com deficiência, que, muitas vezes, passam por invisíveis. Nada do que é humano nos é indiferente – declarou a secretária.

P – A criação de uma secretaria de vitimização é uma iniciativa inédita no Brasil. O que isso representa para o Rio de Janeiro?

Fabiana: Pela primeira vez, um governo decidiu dar voz a quem até então permanecia invisível e em segundo plano. Teremos, efetivamente, uma política de gestão de pessoas. Gente que cuida de gente tem que gostar de gente.

P – Qual o perfil de vítimas que a pasta está se referindo?

Fabiana: Dentro de um panorama geral, a vítima do crime organizado ou o seu familiar. Não podemos esquecer de um segmento muito importante, que é o agente de segurança pública. Esta pessoa é a última barreira contra uma barbárie assassina que tenta assolar o nosso Estado. Militares do Corpo de Bombeiros, agentes penitenciários, policiais civis e militares terão uma estrutura sólida e consolidada para que sejam amparados, bem como seus familiares. Nosso objetivo é oferecer uma retaguarda social, jurídica para que não dependam de iniciativas isoladas de comandantes ou de gestores. A partir de agora, é uma política de estado.

P – Quais ações a secretaria planeja?

Fabiana: Nosso primeiro movimento é levar o nosso abraço à vítima da violência ou aos seus familiares. A partir de agora, estas pessoas têm um canal de comunicação com o Governo. As pessoas terão, a partir da Secretaria de Vitimização e Amparo à Pessoa com Deficiência, a nossa presença nos hospitais, nos funerais, às delegacias para acompanhar depoimentos. Além disso, nossa pasta servirá como um canal para que as vítimas possam dizer o que elas precisam: se é um atendimento psicológico, se é um auxílio jurídico, entre outros. Nossa estrutura de monitoramento e ouvidoria cuidará do que será preciso para que estas pessoas possam voltar à rotina após uma perda ou um trauma devido à violência. Dentro da estrutura do Estado, estas vítimas terão acesso a tudo que prevê os Direitos Humanos.

P – A secretaria foi criada há cerca de um mês e a senhora já está atuando em casos de violência. O que tem ouvido das vítimas e seus familiares?

Fabiana: As pessoas têm falado muito sobre a diminuição da violência e do compromisso do Estado neste objetivo. A política de segurança desta gestão já tem mostrado um resultado, através da redução dos índices do Instituto de Segurança Pública. Um dos principais indicadores, o de letalidade violenta (inclui os crimes de homicídio doloso, roubo seguido de morte, lesão corporal seguida de morte e morte por intervenção de agente do Estado), no último mês, apontou uma diminuição de 7% em julho, se comparado com o mesmo período do ano passado. Isso significa que o Governo do Estado está no caminho certo.

P – A pasta também cuida de uma importante população, que são as pessoas com deficiência. O que se pode esperar de ações e projetos?

Fabiana: Estas pessoas precisam ser assistidas com políticas públicas eficientes. Não iremos nos limitar às deficiências físicas, auditivas e visuais. Precisamos crescer e ampliar o atendimento aos transtornos do espectro autista, às doenças raras, por exemplo. Atualmente, elas se sentem perdidas sem uma referência para um acolhimento. A acessibilidade precisa estar em constante pauta na sociedade. As políticas públicas serão construídas em conjunto e, principalmente, quem sente na pele será ouvido.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO WITZEL REGISTRADO NO TSE

    3.4 – ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS
    3.4.1 – Organização Administrativa
    Será proposta uma reforma administrativa que procure acabar com superposições funcionais como a Casa Civil e a Secretaria de Governo, pois esta última teria como função “assessorar as demais secretarias nas suas atividades fins”. Isto posto, a atual Secretaria de Governo será extinta e suas atribuições serão incorporadas à Secretaria da Casa Civil, extinguindo inúmeros cargos comissionados. Já as funções de desenvolvimento econômico, promoção da infraestrutura pública e privada, entre outros assuntos estranhos à pasta da Casa Civil, serão redirecionadas para pastas especializadas nos temas. ………………………O tamanho e o dimensionamento das demais secretarias serão discutidos com a sociedade.”

    Parece que o governador juiz já esqueceu do que prometeu a seus eleitores. Ou a criação dessa secretaria foi discutida com a sociedade, e eu não vi? kkkk

    Algum eleitor dele foi consultado?

    O governador juiz está confundindo sociedade com seus assessores. Parece que ele está imitando o deputado delegado tbm confundindo povo com classe de policiais.

    VAI VENDO aí o que dá votar em candidatos que NÃO CONHECEM a Adminsitração Pública e NÃO ENTENDEM de Gestão Pública.
    Além deles esquecerem das promessas registradas no TSE, acham que os eleitores não irão ler o seu plano de governo. Só rindo muito. kkkkkkk kkkkkkk

Untitled Document