>
sexta-feira, 19 de agosto de 2022 - 06:38 h

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Fim da ‘saidinha’ é aprovado com voto favorável de Antonio Furtado

Fim da ‘saidinha’ é aprovado com voto favorável de Antonio Furtado

Matéria publicada em 4 de agosto de 2022, 17:47 horas

 


Para o deputado, boa parte dos detentos aproveitam o benefício para cometer crimes

Foto: Divulgação
Voto de Antonio Furtado ajudou a acabar com a ‘saidinha’ de presos

Volta Redonda – O deputado federal Delegado Antonio Furtado colaborou para aprovação de duas importantes propostas que visam reduzir a criminalidade e ampliar a segurança. O parlamentar votou a favor do projeto que acaba com as saídas temporárias de presos em regime semiaberto e da iniciativa que cria medidas para coibir e punir com rigidez o chamado “novo cangaço”, crime caracterizado quando grupos armados exercem domínio sobre determinadas áreas, comprometendo a efetividade das ações policiais. Ambas as proposições seguem para a análise do Senado.

Sobre as “saidinhas”, Furtado explicou que o benefício deveria ser utilizado para que os condenados visitassem suas famílias ou realizassem atividades autorizadas fora das instituições prisionais. No entanto, segundo o deputado, boa parte deles aproveitam a oportunidade para cometer crime.

– Lutei muito para acabar com esse equivocado privilégio e, com trabalho sério, estamos defendendo as pessoas de bem. Votei sim para que esse benefício fosse completamente extinto. Acredito que, além de não trazer nenhuma vantagem à sociedade, essa liberação esporádica prejudica o combate à criminalidade  e incentiva novos delitos. A falta de critérios rígidos, acabou tornando essa regalia um instrumento de impunidade. Muitos presos, inclusive, demonstram bom comportamento somente para que sejam contemplados com essa saída e, assim, fogem das prisões pela porta da frente. A realidade é que muitos não voltam para os presídios e não cumprem toda a pena fixada. Eis um dos motivos da falta de segurança no Brasil– frisou.

Furtado ainda falou sobre a atuação do crime organizado e a necessidade de punir com maior efetividade os membros de quadrilhas que agem de maneira violenta, ocupando territórios de forma estratégica e intimidadora, seguindo o modo de operação dos cangaceiros que atuaram no nordeste em meados do século XX.

– Esse movimento é o que chamamos de “novo cangaço”.  E a proposta que aprovamos, acrescenta um parágrafo para definir esse tipo de delito no Código Penal. A punição fixada é de reclusão de 15 a 30 anos, mas poderá ser de 20 a 30 anos e multa, se a violência resultar em lesão corporal grave, e 20 a 40 anos e multa, se ocasionar morte. Também houve a inclusão na lista de crimes hediondos. E nestes casos, não é possível estabelecer fiança. A pena também precisa ser cumprida, inicialmente, em regime fechado. Essa é a nossa resposta para reprimir o fortalecimento das atividades criminosas e garantir a segurança da sociedade – concluiu.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

7 comentários

  1. A infraestrutura a secretaria é um sargento

  2. Para os criminosos e bandidos tudo de bom, para as vítimas o esquecimento !

  3. Furtado vai na infraestrutura a secretaria e uma jagento vai gostar como tratar funcionários

  4. E população e ano eleitoral cuidado olha a metira

  5. E ano eleitoral população olhar a metira

  6. Está votando a favor porque está próximo à eleição. Se não, votaria contra.

  7. Muito boa notícia! Parabéns Deputado por apoiar o fim deste escárnio e trabalhar por nossa segurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document