terça-feira, 11 de dezembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Fundação de Cultura de Barra Mansa apresenta medidas de contenção de gastos

Fundação de Cultura de Barra Mansa apresenta medidas de contenção de gastos

Matéria publicada em 29 de junho de 2016, 19:22 horas

 


culturaBM

Redução: Deyvison Silvestre informa que cortou R$ 22 mil mensais em salários da Fundação de Cultura
(Foto: Divulgação/PMBM/Gabriel Borges)

Barra Mansa – O secretário municipal de Educação, Cultura e Juventude, Esporte e Lazer de Barra Mansa, Deyvison Silvestre, se reuniu nesta quarta-feira ( 29), no auditório do Campla (Centro Administrativo Municipal Prefeito Luiz Amaral), com o Conselho Municipal de Cultura.

O objetivo foi apresentar as medidas realizadas na Fundação de Cultura desde que a unificação de gestão foi implantada pelo prefeito em exercício, pastor Jorge Costa. Deyvison aproveitou a ocasião para esclarecer que não há possibilidade de extinção da Fundação de Cultura e que as atividades promovidas não serão paralisadas.

De acordo com o secretário, o grande problema da Cultura de Barra Mansa é a baixa captação de recursos. Neste ano, a verba referente à Cultura do município é de apenas R$ 1.800.000.

— Vocês têm ideia do valor que Barra Mansa tem para investir em cultura? Eu também não tinha e me surpreendi quando descobri que o recurso é muito baixo. Por isso, é fundamental potencializar a gestão através da participação de vocês. Temos um Conselho muito bem formado e que produz muito para o município. Prova disso foi a criação do anteprojeto do Plano e Sistema Municipal de Cultura. Mais uma vez parabenizo o trabalho que fizeram. Foi o empenho do Conselho que fez com que chegássemos onde estamos — constatou Deyvison, acrescentando que vai se esforçar para que a lei seja aprovada o mais rápido possível.

Além de apresentar as medidas tomadas para a redução de despesas, Deyvison também se comprometeu em repassar ao conselho mensalmente um relatório financeiro da Fundação de Cultura.

— Fizemos cortes no quadro de funcionários, o que resultou numa redução de R$ 22 mil por mês. Pagávamos R$ 55 mil de salários e agora passamos para R$ 33 mil. Pode parecer pouco, mas, ao fim do ano, teremos um valor significativo — frisou o secretário.

Outras ações também já estão sendo estudadas, como ocupação funcional dos espaços da Fundação. “Precisamos aproveitar melhor nossos espaços e podemos também compartilhá-los. Assim, poderemos receber suporte de outras secretarias economizando nas despesas”, explicou o secretário.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document