domingo, 24 de outubro de 2021 - 06:14 h

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Jordão mantém defesa da construção naval

Jordão mantém defesa da construção naval

Matéria publicada em 6 de abril de 2017, 21:09 horas

 


Prefeito de Angra dos Reis se reuniu com uma comissão de deputados e senadores

Argumentando: Jordão leva defesa da indústria naval a autoridades federais

Argumentando: Jordão leva defesa da indústria naval a autoridades federais

Angra dos Reis – Sete frentes parlamentares, criadas para lutar pela manutenção do conteúdo local na cadeia produtiva de óleo e gás, juntaram forças e terão reunião agendada com o presidente Michel Temer. Na quarta-feira, deputados de todos os partidos e alguns prefeitos reuniram-se com o presidente do senado Eunício de Oliveira e o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia. O prefeito de Angra dos Reis, Fernando Jordão(PMDB), teve destaque nas explanações junto aos dois dirigentes das casas legislativas. A cidade que tem o maior estaleiro da América Latina (BrasFELS).

– Das reuniões que tenho participado, essa ação foi a mais produtiva. Tanto o senador Eunício, quando o deputado Rodrigo, tinha amplo conhecimento da causa, e ambos consideram justa. Todos que falaram defenderam, guardando suas pequenas particularidades, a mesma língua. Eu repeti meus argumentos da semana passada. A Shell não pode rasgar um contrato assinado com compromisso com o conteúdo nacional. Nem a Petrobras deve defender a construção de plataformas na China, exportando nossos empregos. Queremos a manutenção do conteúdo local para o Campo de Libra e todos demais que venham a ser explorados. – defendeu o prefeito.

A deputada Soraya Santos que organizou a união de todas as Frentes Parlamentares comemorou o avanço.

– Eram sete grupos de parlamentares defendendo uma causa só, mas separados. Éramos sete lagos, que agora juntamos a energia num grande mar de políticos que vão lutar até o último minuto para convencer ao presidente Temer que o conteúdo local é bom para o país. Só nos estaleiros nacionais, a manutenção dessa política gerará mais de 80 mil empregos e os dirigentes industriais do todo o setor estimam em 1 milhão de empregos. Um país que amarga o maior desemprego da história não pode se dar ao luxo de exportar postos de trabalho para outros países. – reafirmou Soraya Santos.

Nos próximos dias, a audiência com Temer será marcada, mas as ações continuam. Na segunda, dia 10, há uma audiência pública marcada pelo Sinaval – sindicato dos proprietários de estaleiros – na Assembleia Legislativa do Rio. E no dia 18, a ANP promoverá outra audiência pública para debater o conteúdo local.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document