>
domingo, 26 de junho de 2022 - 15:43 h

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Júlio Lopes propõe aplicativo que compare preços de combustíveis em tempo real

Júlio Lopes propõe aplicativo que compare preços de combustíveis em tempo real

Matéria publicada em 16 de maio de 2022, 17:40 horas

 


Deputado afirma que software pode ser útil ao consumidor em momento de inflação em alta

Foto: Divulgação
Intenção é permitir que consumidor localize preços de mercadorias mais em conta

Sul Fluminense – O deputado federal Júlio Lopes (Progressista), encaminhou na última semana ao Ministro-Chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, uma Indicação Legislativa em que pede a criação de um aplicativo que compara, em tempo real, os preços dos combustíveis. No sul fluminense, por exemplo, o preço do litro da gasolina já ultrapassa os R$ 8 em alguns postos, mas pode ser encontrado pelo consumidor por até R$ 7,85. A variação é ainda maior quando observados os preços no supermercados, que podem chegar a 82%, segundo recente pesquisa do Procon de Barra Mansa.

Lopes afirma que, com a inflação em alta e o impacto nos preços de produtos básicos, os consumidores têm necessitado andar mais para buscar menores preços para o mesmo produto.

Chamado de “Waze Preço Brasil”, o aplicativo pretende ajudar no combate de preços abusivos e contribuir na melhora da qualidade de vida dos cidadãos. No sul fluminense, por exemplo, o preço do litro da gasolina já ultrapassa os R$ 8 em alguns postos, mas pode ser encontrado pelo consumidor por até R$ 7,85.

—Decidimos unir tecnologia e inovação para criarmos um aplicativo que dará maior transparência nas práticas do mercado nacional. O usuário poderá fazer uma busca por geolocalização e escolher o estabelecimento que estiver oferecendo o produto mais em conta — defendeu o deputado.

De acordo com o deputado federal, o aplicativo que também será utilizado para farmácias, deve oferecer recompensas, como já ocorre com o programa Nota Legal, seja por meio de cashback ou de sorteio de prêmios como forma de estimular a participação.

“A ideia é que o sistema do governo seja utilizado para cruzamento dos dados do Confaz e da Receita Federal, para que a nota fiscal possa ser utilizada para fins de transparência dos valores dos produtos e também oferecer benefícios para o consumidor brasileiro”, finalizou Júlio Lopes.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document