terça-feira, 13 de novembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Pezão exonera secretário de governo preso em operação

Pezão exonera secretário de governo preso em operação

Matéria publicada em 8 de novembro de 2018, 19:57 horas

 


Rio – O governador Luiz Fernando Pezão aceitou o pedido de exoneração do secretário de governo, Affonso Monnerat, e determinou a exoneração dos demais servidores citados na operação Furna da Onça, um desdobramento da operação Cadeia Velha. Ele foi preso durante operação do MPF (Ministério Público Federal) e da PF (Polícia Federal), além de sete deputados estaduais e funcionários do Detran.

Em nota, o governador afirmou não ter conhecimento dos fatos e tampouco do teor das acusações imputadas a esses servidores. “O governador reafirma sua confiança na inocência do ex-secretário Affonso Monnerat”, diz outro trecho da nota de Pezão.

Também foram exoneradas Carla Adriana Pereira e Shirley Aparecida Martins da Silva. Carla Pereira ocupava a diretoria de registros do Detran. Segundo o MPF, ela intermediaria as indicações dos deputados com os postos de trabalho à mando do deputado Paulo Melo preso na operação Cadeia Velha.

A diretora de registros coordenou a campanha eleitoral de Franciane Motta, mulher de Paulo Melo e, deputada estadual eleita pelo MDB nestas eleições.

Prisões e mandados

A operação teve como objetivo o cumprimento de 22 mandados de prisão (19 temporárias e três preventivas, referentes aos réus da Cadeia Velha) e 47 de busca e apreensão, todos expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) depois de decisão unânime de cinco desembargadores federais que compõem a 1ª Seção.

Os deputados são investigados por uso da Alerj a serviço de interesses da organização criminosa do ex-governador Sérgio Cabral (MDB), que, em troca, pagava propina mensal (“mensalinho”) durante seu segundo mandato (2011-2014), que chegou a movimentar R$ 54,5 milhões.

Segundo as investigações do Ministério Público, a propina resultava do sobrepreço de contratos estaduais e federais. Além de Cabral, tinham função de comando na organização investigada, os ex-presidentes da Alerj Jorge Picciani e Paulo Melo, o primeiro em prisão domiciliar e o segundo atualmente recluso em Bangu em decorrência da Operação Cadeia Velha e que foram alvo de novos pedidos de prisão.

 

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

6 comentários

  1. É Pezão tu se prepara,pois a sua turminha está na cadeia.Prepare bons advogados e quanto a nós os eleitores iremos continuar a faxina e nunca esqueceremos de tu e de sua turminha.

  2. Witzel disse que acabará com as vistorias do Detran. Um antro de corrupção e propina. O estado esta podre, gangrenado pela corrupção.

  3. O tanto de nomeado e concursados nesse detran cheio de regalia e demais põe eles pra rua pra trabalhar apreender essas carroças e andam pela cidade por pra trabalhar de verdade

  4. É PEZÃO,,,,,VC E ALGUNS MAIS ESTÃO SE BENEFICIANDO DO TAL (FORO PRIVILEGIADO) MAS APARTIR DE 2019 TEREMOS UMA NOVA REPUBLICA.,,,,, OLHA SÓ O TIME,,,BOLSONARO SERGIO MORO GENERAL MOURÃO . EU TENHO A IMPRESSÃO QUE VCS NUNCA MAIS VOLTARÁ A GANHAR A CONFIANÇA DO POVO

    • se voce acha que o proximo governo federal vai fazer alguma coisa para melhorar a vida do povo brasileiro, voce esta completamente enganado. ja começou mal com a nomeação do MORO QUE AINDA NAO PEDIU EXONERAÇÃO. QUE MORAL ELE TEM .

  5. Somente exoneração ? E cadeia, nada ? Assim até eu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document