Associados do Fundamp, em Barra Mansa, podem ficar sem atendimento médico - Diário do Vale
segunda-feira, 27 de setembro de 2021 - 03:58 h

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Associados do Fundamp, em Barra Mansa, podem ficar sem atendimento médico

Associados do Fundamp, em Barra Mansa, podem ficar sem atendimento médico

Matéria publicada em 20 de junho de 2016, 21:23 horas

 


Pagamento à empresa de assistência médica foi interrompido por ordem judicial na quinta-feira

Em atraso: Secretário municipal de Saúde afirma que repasses do governo estadual não estão em dia

Em atraso: Secretário municipal de Saúde afirma que repasses do governo estadual não estão em dia

 

Barra Mansa –  Os associados do Fundamp poderão ficar novamente sem atendimento médico. É que a Salutar, que não recebeu a terceira mensalidade do convênio assinado com o fundo de assistência médica dos servidores da Prefeitura de Barra Mansa, pode suspender os serviços depois de determinado tempo de atraso. A informação consta em nota enviada pela assessoria de Imprensa da prefeitura.
A “paternidade” da decisão de suspender os pagamentos do Fundamp à Salutar Saúde Seguradora, empresa que foi contratada para prestar serviços de assistência médica aos inscritos no fundo de assistência médica dos servidores da Prefeitura de Barra Mansa, está dando motivo a uma sequência de declarações.
Na quinta-feira passada, o prefeito interino, Pastor Jorge Costa (PRB), afirmou que, no dia anterior – a data prevista para o pagamento – ele teria achado o contrato “nebuloso” e decidido não fazer o pagamento.
A prefeitura acrescentou, em nota oficial, que a contratação da Salutar pelo Fundamp teria sido aprovada pelo Conselho Deliberativo do fundo.
Na quinta-feira, uma ordem judicial determinou que os pagamentos fossem suspensos. E nesta segunda, outra nota emitida pela assessoria de Imprensa da prefeitura afirma que a iniciativa do pedido de suspensão do pagamento da empresa Salutar à Justiça partiu do presidente do Conselho Deliberativo do Fundamp (o mesmo que aprovou a contratação da Salutar) e de seus membros, que representam os direitos dos associados. A nota acrescenta que a “Diretoria do Fundamp irá acatar a decisão da 4ª Vara Cível de Barra Mansa”.
No mesmo dia em que decidiu suspender o pagamento à Salutar, o prefeito interino visitou a Santa Casa de Barra Mansa, que atendia antes os inscritos do Fundamp.
Nesta segunda-feira (20), a prefeitura informou que a secretaria de Saúde de Barra Mansa espera que o atendimento no ambulatório da Santa Casa de Misericórdia esteja regularizado nesta terça-feira(21). Os serviços foram suspensos por falta de repasse de verbas pelo município.
A expectativa do secretário municipal de Fazenda, Everton Rezende, é creditar ainda nesta segunda-feira pelo menos R$ 530 mil, amortizando uma dívida de aproximadamente R$ 860 mil, referente ao repasse de complementação de verba do município entre os meses de janeiro e março. — Temos um débito relacionado à parte do repasse de janeiro, além dos valores totais dos meses de fevereiro e março. Dessa maneira, deixaríamos em aberto os valores referentes a abril e maio, este último ainda sendo contabilizado — informou Everton.

Momento difícil

Segundo o secretário municipal de Saúde, Sérgio Cileno, Barra Mansa está vivendo um momento extremamente complexo. “Há 12 dias a maioria dos contratos da Saúde está sob intervenção do Ministério Público Estadual. Após o afastamento do prefeito Jonas Marins e do então secretário da pasta, Luiz Antônio Almeida Viana, estamos fazendo um levantamento sobre a real situação da saúde do município. Até o momento, constatamos atrasos de mais de três meses em pagamentos com fornecedores e prestadores de serviços, vencimento de contratos com as OSS (Organizações Sociais de Saúde) e queda na arrecadação de impostos. Em contrapartida, nos certificamos que não existem atrasos em verbas do governo Federal, porém os repasses do governo Estadual não estão em dia”, detalhou Cileno.
Esta semana, para agilizar o processo de conhecimento real das finanças da Saúde no município, técnicos e profissionais do setor de Saúde vão atuar em regime de plantão, com expediente até às 22 horas. “Precisamos levantar, de maneira fiel, os valores a pagar e a receber. Pedimos a população e aos fornecedores um voto de confiança, a fim de que possamos colocar a Saúde em ordem. Neste momento, nossa prioridade é o funcionamento do ambulatório da Santa Casa e manter o setor de atendimento de emergência das UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), além de entregar medicamentos nas Unidades de Saúde, em falta há cerca de dois anos”, explicou o secretário.
O gerente financeiro da secretaria de Saúde, Ebio Narduche, ressaltou o empenho dos funcionários neste momento difícil do município. “Conseguimos uma boa receptividade dos servidores, que têm nos ajudado muito. Esperamos implantar em no máximo 60 dias um novo sistema de gestão, focado no profissionalismo, transparência e compromisso com o que assumirmos daqui para frente”, concluiu.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

12 comentários

  1. Tenho dito que essa instituição e a Santa Casa precisam URGENTE é de quem conheça a Administração Pública e entenda de Gestão Pública que neste caso talvez tenham se precavido.

    Os eleitores, até outubro, precisam aprender a escolher melhor os gestores para os cargos públicos.

  2. funcionária pública

    Quero saber se vai continuar sendo descontado do funcionalismo, uma coisa que não está podendo ser usada(SALUTAR)??

  3. Rosane Nunes de Oliveira

    Não estou entendendo qual é a dificuldade com relação ao FUNDAM; já que ele é mantido exclusivamente com a contribuição dos servidores. A Prefeitura não comparece com NADA.

  4. E mudaram pra ser felizes…….coitados……

  5. Enquanto isso os funcionários da UPA estão sem receber pagamento referente a maio até hj…uma falta dr respeito com os trabalhadores, que tem famílias pra sustentar e contas pra pagar.

  6. Será que os servidores terão seu dinheiro de volta, já que foi descontado e não tem com usar o plano.
    Pagando por um serviço que não temos.

  7. Só espero que os pacientes que se encontram internados não sejam lezados em nada, afinal, recebem desconto todo mês em contra cheques e em momento difícil de saúde merecem respeito, o minímo que exigimos hoje dos governantes na nossa cidade

  8. Não existe milagre, os resultados serão obtidos com muito trabalho.

    Se o atual prefeito conseguir dar um bom atendimento na área de saúde (principalmente emergência e consultas), fazer uma manutenção nas vias públicas e começar a colocar as contas em dia, ganhará fácil a confiança da população.

    Já o Sr. jonas teve sua chance e também de maneira fácil, ganhou da maioria da população o título de PIOR PREFEITO DA HISTÓRIA.

    E não é difícil saber o porquê desse título, basta andar nas ruas, visitar as emergências dos hospitais, os postos de saúde, as escolas…..

    Podem fazer a propaganda que for nas redes sociais, mas o que ganha a confiança da população é serviços públicos prestados com qualidade.

  9. Baratinha que furada vc foi se meter amigo.
    os caras estao dando tombo em DEUS e todo mundo.
    me deram um em maio de 2015.
    ICN BONFIM E CIA.

    Coitado de vc amigo.

  10. Iremos apurar.

  11. É salutar, meu caro Watson ! Mais uma fonte de riqueza para poucos! Taca-lhe pau, MP !!

Untitled Document