segunda-feira, 26 de outubro de 2020 - 16:05 h

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Prefeitura atende pessoas em situação de rua na Vila Santa Cecília

Prefeitura atende pessoas em situação de rua na Vila Santa Cecília

Matéria publicada em 22 de setembro de 2020, 19:50 horas

 


Equipe da Smac aborda pessoa em situação de rua
(Foto: Secom PMVR)

Volta Redonda – A abordagem social realizada pela secretaria de Ação Comunitária (Smac) da Prefeitura de Volta Redonda é um serviço que funciona diariamente em Volta Redonda e, nesta terça-feira, dia 22, a ação foi realizada nos bairros Aterrado, Vila Santa Cecília e Centro. As equipes atuam fazendo o acolhimento em uma tentativa de encaminhar as pessoas em situação de vulnerabilidade para a rede de atendimento da cidade. As abordagens também contam com os profissionais do Consultório na Rua como médica, enfermeira, técnica em enfermagem, assistente social, psicólogo, motorista e auxiliar administrativo, ligada à Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde.
A abordagem é realizada de segunda-feira a sábado, das 8h às 17h, e nas segundas e quartas-feiras, também durante a noite, de 17h às 21h. Aos domingos, o serviço funciona em esquema de plantão, atendendo as demandas que surgirem.
O serviço especializado é ofertado de forma continuada e programada com a finalidade de assegurar trabalho social de abordagem e busca ativa que identifique, em toda cidade, a incidência de situações de risco pessoal e social, por violação de direitos, como, por exemplo, trabalho infantil, exploração sexual de crianças e adolescentes, situação de rua, uso abusivo de crack e outras drogas, dentre outras.
A coordenadora do Departamento de Proteção Especial, Mariana Pimenta, explicou que três assistentes sociais e três educadores se revezam para prestar essa assistência às pessoas em situação de rua no município. “Nossas equipes atuam de forma contínua em todo o município e, nesse momento de pandemia, é necessário ter um olhar ainda mais atento e humano com essas pessoas que se encontram em situação de rua, porém, precisamos deixar claro que nosso papel é atender, conhecer as realidades e realizar os encaminhamentos necessários, levando em consideração o desejo da pessoa atendida, respeitando sua vontade. Não atuamos de forma alguma retirando e recolhendo das ruas”, disse a coordenadora.
Mariana ressalta que, por meio do Serviço Especializado em Abordagem Social, é possível conhecer, mapear, ofertar os serviços socioassistenciais e realizar os demais encaminhamentos para a rede. “É importante ressaltar que a equipe não faz remoção, não recolhem as pessoas da rua. A saída das ruas é algo que, ao longo do atendimento e da criação de vínculos com as equipes, pode acontecer ou não. Nós ofertamos os serviços, mas sempre respeitando o desejo da pessoa. Outro ponto importante é que o atendimento da equipe precisa ser articulado com demais serviços como: Creas, Conselho Tutelar, Consultório na Rua, Caps AD e Centro Pop”.
A assistente social responsável pelo serviço, Joveline Damiana Batista Tomaz, destaca que a equipe realiza abordagem em diferentes territórios no município e que tem intensificado as ações nos grandes centros comerciais da cidade, tais como Vila Santa Cecília, Aterrado, Amaral Peixoto e Retiro. “O Serviço Especializado em Abordagem Social tem uma equipe capacitada para identificar, mapear e encaminhar os usuários nos territórios e isso foi um ganho para cidade de Volta Redonda, pois realizamos diariamente ações que nos possibilitam criar vínculo e traçar estratégias para sensibilizar os usuários a acessarem os serviços da rede socioassistenciais. Mas todo trabalho é feito sempre respeitando a decisão de cada um desses cidadãos”, disse a assistente social.
De acordo com o secretário municipal de Ação Comunitária, Ailton Carvalho, a ação tem como objetivo a ressocialização e reintegração dessas pessoas. “Com a pandemia e o aumento de pessoas em situação de rua, aumentamos a equipe de abordagem social, entendendo a necessidade e principalmente a continuidade e permanência do atendimento a essas pessoas. Temos intensificado a oferta dos serviços do Centro POP e também do abrigo municipal, mas nem sempre os usuários têm o desejo em acessá-los”, disse o secretário.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

7 comentários

  1. Avatar

    Este comentarista chamado Haroldo Freitas deve ser um dos Comissionados de alto valor que recebe sem trabalhar para ser X9…(aspone). A boquinha vai acabar em dezembro….kkkkkkk

    • Avatar

      Sou comissionado não titia, sou concursado.
      E sabe quem paga ? Você mesma hehehehe.

      Beijinho, vai lendo os livros aí !

  2. Avatar

    Mas a foto da reportagem é atrás do UGB no Aterrado. Eu hein?

  3. Avatar

    Ao lado do Banco do Brasil na Vila está com uma Concentração muito grande de passoas em situação de Rua a SMAC só no BLÁ BLÁ BLÁ e não resolve esse problema , falta ATITUDE DESSE GOVERNO E SEUS VEREADORES QUE NÃO COBRAM DESSE EXECUTIVO. Farinha do mesmo saco.

    • Avatar
      Quero outro prefeito

      Ano de eleição começa a procura aos que estão em situação de vulnerabilidade pra sensibilizar os eleitores!

    • Avatar

      Muitos não querem sair da rua , na vila é uma vergonha , principalmente perto do edifício garcemess , a vila toda , uma coisa horrível ,mas que vai querer sair ,tem comida fácil , roupa fácil , tem gente para dar dinheiro . Nos temos os mendigo que tem casa ,como os flanelinha e os chatos dos amarelinho , que você tem que ficar procurando para pagar ,o estacionamento , se não pagar multa . Socorrooo

    • Avatar

      Comentário mentiroso e sem fundamento

      Todo mês há abordagem e esses números são publicados

      Certamente os dois vem ao jornal postar comentários a mando de algum candidato. Digam aí pra nós o que vocês ou seu candidato fizeram pelos moradores de rua por favor

Untitled Document