sexta-feira, 15 de outubro de 2021 - 21:10 h

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Projeto ‘Cartas’ busca ouvir opinião das mulheres de Volta Redonda e melhorar planos já existentes

Projeto ‘Cartas’ busca ouvir opinião das mulheres de Volta Redonda e melhorar planos já existentes

Matéria publicada em 13 de abril de 2017, 19:51 horas

 


 

Dayse Penna: ‘Espero que esse projeto gere diversas demandas de trabalho’ (Foto: Roberta Caulo)

Dayse Penna: ‘Espero que esse projeto gere diversas demandas de trabalho’
(Foto: Roberta Caulo)

Volta Redonda – Em um momento em que o assunto “violência contra as mulheres” está tão em alta, já que um participante do programa global Big Brother Brasil foi expulso por indícios de agressão a uma jovem, a Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres de Volta Redonda está realizando um projeto que tem a intenção de fazer um diagnóstico do que está acontecendo na cidade, pelo olhar das mulheres. “Cartas” tem como objetivo principal tentar melhorar os projetos que a prefeitura já realiza, tendo como foco o público feminino.

De acordo com a secretária Dayse Penna, a secretaria que ir além, que falar mais do que violência contra a mulher. “Queremos representar as mulheres de Volta Redonda em todas as áreas”.

– Ficamos pensando em o que faríamos para descobrir o que se passa na vida dessas mulheres. Então, nos deixamos influenciar pelo filme “Cartas para Julieta”. Nele, demorou 50 anos para a carta ser lida, mas quando foi lida foi realizada. E é exatamente isso que queremos, poder ajudar as mulheres da cidade de alguma forma. Muitas delas acabam sofrendo caladas – falou Dayse.

Com o tema “É o que eu penso é o que eu vivo”, o projeto “Cartas” teve início na primeira semana de março, pelo simbólico Dia Internacional da Mulher (8 de março) e termina dia 30 de abril (Dia Nacional da Mulher).

– Fizemos parcerias com diversas secretarias, Cras (Centro de Referência de Assistência Social) e postos de saúde, para divulgarmos o projeto. Estamos literalmente batendo na porta dessas mulheres e pedindo para que ela nos conte um pouquinho do que anda se passando em sua vida – explicou a secretária, ressaltando que as cartas podem ser depositadas nas Unidades Básicas de Saúde de cada bairro ou na própria secretaria.

Segundo Dayse a mulher, ao colocar no papel o que está vivendo e sentindo, acaba de alguma forma desabafando o peso do seu dia a dia.

– Nossa intenção é conseguir interpretar essas cartas. Fizemos parceria com o CVV (Centro de Valorização da Vida) e com jovens de universidades da cidade, entre elas UniFOA, UGB, UFF e UBM, jovens estudantes de Psicologia, Assistência Social e Direito para nos auxiliarem na leitura destas cartas, que será feita de forma respeitosa e bem qualificada. As mulheres não precisam se identificar e mulheres de todas as idades podem participar – disse.

Até o momento duas mil mulheres já escreveram suas cartas, mas, de acordo com Dayse Penna, a meta são 14 mil mulheres participando.

– Queremos atingir 10% da população feminina de Volta Redonda. E a leitura já começou. Espero que esse projeto gere diversas demandas de trabalho. Com o “Cartas” poderemos encontrar soluções para a economia, desenvolvimento, saúde, enfim, todas as áreas em que as mulheres atuam direta ou indiretamente – falou, afirmando que todo esse diagnóstico será encaminhado ao prefeito Samuca Silva.

Duas mulheres assistidas pelo Cras, já compartilharam um pouco de suas histórias de vida. A aposentada Maria Helena Colina, de 61 anos, disse que se sente muito feliz em ser uma das primeiras a participar do projeto. “Com certeza vou incentivar minhas amigas para que escrevam também. É um projeto muito legal”, contribuiu.

A dona de casa Maria Natal Menezes, de 72 anos, declarou que escreveu a carta como forma de desabafo e disse que tem muitas amigas que precisam participar para poderem desabafar, como ela fez.

 

Arte

 

E o projeto não para por aí. Após as cartas serem lidas e as demandas identificadas, essas cartas virarão arte. O trabalho se transformará na exposição “Flores de Aço”, que será realizada na UGB.

– Vamos dar visibilidade para Volta Redonda. As cartas vão ficar expostas de maneira artística, tendo a identidade das mulheres preservada. Elas ficarão penduradas de uma maneira bem bonita e singular. Fizemos ainda uma parceria com a UniFOA, e alunos do curso de Designer fizeram um pingente especial, que presentearemos as mulheres participantes do projeto – adiantou, afirmando que quer estimular as mulheres para que juntas façam uma Volta Redonda melhor.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Parabéns pelo projeto!
    É só ter um pouco de paciência que colherão bons frutos!

  2. Investigador Det. Magalhães

    GOSTEI DO PROJETO DA Dayse Penna, PARABÉNS PELO GRANDE TRABALHO.

Untitled Document