Proposta de São Paulo assusta fluminenses, mas Pezão reconhece viabilidade da obra

Por Diário do Vale
62 Visualizações

 

Sul Fluminense

Quando a crise do abastecimento de água se agravou em São Paulo, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) lançou uma proposta polêmica: interligar o Sistema Cantareira, que abastece a capital paulista, ao Rio Paraíba do Sul. Diversos setores da sociedade fluminense se colocaram contra a proposta, já que o abastecimento de praticamente todo o Estado do Rio depende do Paraíba.

Em novembro, porém, o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) assinou um acordo que dá sinal verde para a execução da obra. Em Volta Redonda, dias depois, ele fez questão de tranquilizar os cariocas e afirmar que a transposição das águas do Rio Paraíba do Sul para o sistema Cantareira não irá prejudicar o Estado do Rio de Janeiro. Pezão também destacou que sempre esteve aberto a ajudar São Paulo e que só assinou o acordo após um aval técnico.

Para o governador, a intervenção paulista não irá resultar em prejuízos para o Estado do Rio e muito menos para a região Sul Fluminense, que tem o Rio Paraíba do Sul coma sua principal fonte de abastecimento. Para tranquilizar ainda mais a população, o governador destacou ainda que as chuvas já começaram a chegar e que o período de grande seca em que a região passou já está acabando.

– Já está começando o período de chuva. As obras são daqui um ano e meio dois anos. Elas ainda vão ser licitadas. Se temos a possibilidade de atender os órgão federais que regulam, se os técnicos falaram que temos a possibilidade de ajudar São Paulo, porque não poderíamos fazer isso? – indagou Pezão.

O governador ainda falou que, assim como o Rio de Janeiro está cedendo para ajudar São Paulo, o estado paulista também faria isso.

– Minha proposta sempre foi de ajudar São Paulo. Eu sempre disse que nunca iria fazer do meu mandato uma trincheira de briga. O Brasil sempre foi assim: os Estados se abraçando, sem raiva e sem ódio. Tenho certeza que quando precisarmos vamos ter a solidariedade deles – enfatizou.

 

Entenda

 

A transposição se tornou uma realidade após a assinatura de um acordo entre os governadores do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e de Minas Gerias, Alberto Pinto Coelho (interino), durante uma reunião no Superior Tribunal Federal, em Brasília. Com o consenso entre os Estados, às licitações para as obras foram liberadas.

Para chegar a esse acordo, os três governadores concordaram que só serão permitidas obras das quais os três Estados concordem. Além disso, eles se comprometeram em respeitar, nas obras, estudos de impacto ambiental e realizar ações de compensação ao meio ambiente, como a recuperação de matas ciliares, por exemplo.

Além da transposição, esse acordo prevê a realização de um programa de reflorestamento e de tratamento do esgoto da Baixada Fluminense e de municípios da região Sul Fluminense, como Barra Mansa e Resende.

 

 

Advertisement

VOCÊ PODE GOSTAR

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

 

(24) 99926-5051 – Jornalismo

 

(24) 99234-8846 – Comercial

 

(24) 99234-8846 – Assinaturas

Canal diário do vale

colunas

© 2023 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996