>
domingo, 22 de maio de 2022 - 19:10 h

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Relatório descarta déficit apontado em contas de 2012 da prefeitura de Volta Redonda

Relatório descarta déficit apontado em contas de 2012 da prefeitura de Volta Redonda

Matéria publicada em 6 de maio de 2016, 20:38 horas

 


Equipe afirma que equívoco do TCE decorreu de lançamento de dívidas de longo prazo como exigência imediata

Neto: ‘Se os vereadores rejeitassem minhas contas, estariam cometendo uma injustiça”

Neto: ‘Se os vereadores rejeitassem minhas contas, estariam cometendo uma injustiça”

Volta Redonda – A equipe da Secretaria Municipal de Fazenda apresentou aos vereadores de Volta Redonda um relatório que descarta o principal motivo apresentado pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio (TCE-RJ) para apresentar um parecer contrário ás contas da administração do prefeito Antônio Francisco Neto (PMDB) referentes ao ano de 2012: um suposto déficit de R$ 219.942.155,95. O relatório afirma que, na verdade, a prefeitura fechou aquele exercício com um saldo positivo de cerca de R$ 6 milhões. O déficit seria, segundo a equipe, resultante de equívocos na avaliação das contas da prefeitura.

A apresentação do relatório foi o argumento que levou dois terços dos vereadores a votarem pela rejeição do parecer do TCE-RJ e aprovar as contas de Neto para o exercício de 2012. Há informações de que documento semelhante está sendo apresentado aos vereadores para explicar as contas de 2011, cujo julgamento foi adiado na última terça-feira (03).

— A maioria dos vereadores entendeu que iria cometer uma injustiça se reprovassem  minas contas — afirmou o prefeito.

O primeiro equívoco foi o lançamento, como compromisso a quitar no curto prazo, de duas dívidas de longo prazo: a primeira, de R$ 90.822.350,69, é a dívida de longo prazo de duas empresas do município: a Cohab-VR (Companhia de Habitação de Volta Redonda) e a EPD (Empresa de Processamento de Dados).

Segundo a prefeitura, essa dívida, que foi feita ao longo da existência das duas empresas, num período que remonta ao século XX, foi renegociada e vencerá ao longo dos próximos vinte anos, não sendo de exigência imediata.

Outra dívida, de R$ 95.688.982,32, se refere a outras dívidas contratuais de longo prazo, principalmente previdenciárias, e também está diluída ao longo dos próximos vinte anos.

O TCE-RJ também teria deixado de observar, em suas contas, que houve empenhos cancelados de R$ 20.327.173,28. Esse valor se refere a despesas que haviam sido previstas mas não foram efetuadas.

— Esses débitos foram sendo construídos ao longo de diversas administrações, não apenas da minha, e já foram renegociados e diluídos em vinte anos. Então, seria um engano contabilizar essa quantia em um único exercício – afirmou Neto.

Ainda no que diz respeito às despesas, o TCE-RJ teria deixado de levar em conta o lançamento de diversos compromissos vinculados a convênios, quando o município se compromete com gastos a serem realizados mediante repasses de verbas dos governos estadual e federal: nessa classificação, há R$ 7.532,927,41 que o tribunal teria deixado de considerar.

Em relação a receitas, o TCE deixou de considerar R$ 2.022.723,50 referentes a receitas que, no momento em que foi feita a prestação de contas da prefeitura, não tinham classificação contábil e só foram classificadas mais tarde, além de R$ 9.853.387,06 em entrada de recursos que, embora fossem referentes a 2012, só foram efetivadas em 2013.

Com essas modificações, o déficit apontado pelo TCE se transforma em um superávit de R$ 6.305.388,31.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

15 comentários

  1. LEGISLANDO EM CAUSA PRÓPRIA

    Interessante o parecer da equipe da Secretaria de Fazenda. Estão legislando em causa própria, afinal eles ajudaram o NETO a cometer as irregularidades apontadas pelo TCE (COMPOSTO POR ESPECIALISTAS). Os argumentos dessa equipe são totalmente contaminados e defendem interesses de quem andou atropelando a Lei de responsabilidade fiscal.

  2. O Neto e equipe têm de mostrar essas justificativas ao TCE. E não esconder informações e tentar desqualificar um órgão técnico para enganar o povo.

    O problema é desrespeitar o Art. 37 da CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL de 1988.

    O problema maior é desconhecer a Administração Pública e entender de Gestão Pública.

  3. Vem pra Barra Mansa!!!! Socorre a gente aqui Neto. Isso que é prefeito.

  4. Volta Redonda agradece seu carinho e empenho.

  5. Pagador de impostos

    Os números não mentem, desde que não sejam interpretados conforme o interesse de quem os lê. O correto nesse caso, seria a confrontação da análise da prefeitura com a do TCE, que deveria ser um órgão eminentemente técnico na análise das contas das prefeituras. De resto, ficamos sem saber quem está correto nesse caso. Falta transparência dos dados para a população, que paga os impostos e espera que os mesmos sejam bem utilizados.

  6. A Câmara fez o certo. Se o Pedro Magalhães e o Baltazar estão de um lado, o certo está do outro.

  7. IMPEACHMENT JÁ!!!!!!

  8. É, prefeito Neto…fico pensando o que será dessa cidade quando você sair. Um homem que tratou bem nosso povo. Vamos ver o que o futuro nos guarda. Sucesso para ti.

  9. Quando sair de Volta Redonda venha assumir Angra dos Reis. Por favor. Garanto que o senhor ganha fácil. Esses que reclamam deveriam viajar um pouco e ver como anda o restante do Brasil.

    • Os eleitores do prefeito só olham para TRÁS e acham que estão na frente e muito bem. Eles não querem é olhar para FRENTE, para não se decepcionarem.

  10. Estou contando os dias pra vc desaparecer da prefeitura Neto.

  11. Esse TCE não tem moral alguma com Brasão e outros nomes políticos entre os conselheiros. Dizem que o Albertassi vai virar conselheiro. De técnico tem pouco ali. É um órgão político.

  12. Para frente que se anda, SR. Prefeito. O melhor que essa cidade já teve. Vai fazer falta.

  13. Confiamos em VC, Neto.

Untitled Document