Ricardo Arbex recebe rescisão antes dos outros demitidos da OS Geração

by Diário do Vale

Barra Mansa – O vereador Ricardo Arbex (Pros) recebeu R$ 54,8 mil da OS Geração a título de rescisão de seu contrato de trabalho com a organização social. Ele era contratado como médico e, a exemplo de vários outros profissionais, foi demitido no dia primeiro de março deste ano. Ele ainda teria mais R$ 13 mil de FGTS a serem recolhidos pela OS. O detalhe é que a grande maioria dos empregados da OS ainda não receberam a rescisão.

Os documentos obtidos pela reportagem do DIÁRIO DO VALE mostram que Arbex teria sido “passado para a frente” em uma “fila” de empregados da OS Geração que foram demitidos ainda durante a gestão do prefeito temporariamente afastado Jonas Marins (PC do B). Devido às dificuldades financeiras da prefeitura, os pagamentos das rescisões desses profissionais estão sendo feitos de forma parcelada.

De acordo com os documentos obtidos pelo jornal, Arbex foi admitido em 02 de setembro de 2013 e recebeu aviso prévio em 01 de março de 2016, sendo afastado do trabalho em 01 de abril.

Apenas em valores referentes a férias – pelo que indica a rescisão, o vereador não gozou nenhum dia de férias durante esse período – Arbex teria a receber R$ 31.755,50, mais R$ 10.585,17 referentes á gratificação constitucional de um terço do valor das férias.

A reportagem perguntou à prefeitura se havia confirmação dos pagamentos ao vereador, e por quanto tempo ele havia prestado serviços. A Prefeitura de Barra Mansa afirmou, em nota, que a decisão sobre quem vai receber os valores referentes à rescisão não passa pela administração municipal.

Segundo a nota, a prefeitura apenas está fazendo os pagamentos referentes à prestação de serviço da OS Geração e cabe a ela determinar quem recebe as rescisões primeiro.

A nota ainda afirma que, caso as informações obtidas pelo DIÁRIO DO VALE sejam verdadeiras, caberia investigação.

Veja a íntegra da resposta da prefeitura

“A prefeitura de Barra Mansa informou que existe um contrato de prestação de serviços entre a administração municipal, o qual infelizmente encontra-se com alguns pagamentos em atraso deixados pela gestão anterior. Como todo contrato realizado entre um ente e outro, seja público ou privado, o dever do contratante é pagar pelo serviço realizado e o do contratado é prestar o serviço. Se o contratado privilegia um ou outro funcionário, se ele opta por pagar um fornecedor em detrimento de outro, legalmente o contratante não tem condições e nem responsabilidade pelos seus atos administrativos internos. Mas, sendo verdade os fatos que geraram as perguntas acima, cabe apuração por parte dos órgãos de fiscalização, CRM, Sindicatos e Justiça representada pelo Ministério Público”.

 

Documento: Rescisão de Arbex tem valores que superam R$ 54 mil (Foto: Reprodução)

 

 

You may also like

12 comments

Saulo da Prefeitura 11 de julho de 2016, 14:50h - 14:50

Nós votamos mal e depois reclamamos da empresa OS Geração! A culpa não é dele, afinal ele trabalhou e muito para receber esse valor de indenização.

Vamos ver com será os novos vereadores e prefeito em outubro. Depois começa o xororô de novo.

Tolerância Zero 10 de julho de 2016, 17:33h - 17:33

Enquanto isso as RÁDIOS da região defendem seus PADRINHOS o tempo todo…

paulo 10 de julho de 2016, 12:26h - 12:26

Uma vergonha, o vereador usar da sua função pública para receber as suas verbas rescisórias na frente de outras centenas de trabalhadores, humildes, que ganham pouco. O valor de sua rescisão daria para pagar outros 4 trabalhadores que estão a mercê desta “boa vontade” da empresa. É incompativel, ele como vereador e teoricamente, “fiscalizador” da organização social, ser contratado para prestar serviços para a mesma. agora uma pergunta fica no ar: Por qual motivo a empresa fez o pagamento das verbas rescisorias primeiramente para ele ao invés dos outros profissionais da saúde? Será que é para protege-la de eventual fiscalização, caracterizando ai o crime de trafico de influência? CEI na câmara de vereadores e Ministério público nele!!!!

Morador 10 de julho de 2016, 10:42h - 10:42

Qual seria a versão do vereador ? Seria importante ver o que ele teria a nos esclarecer, afinal democracia é isso.
Antes de qualquer comentário, eu não conheço e nem faço parte de nenhum grupo ligado ao vereador.

HORUS 10 de julho de 2016, 08:19h - 08:19

VAMOS FAZER UM ARQUIVO DAS MATÉRIAS ENVOLVENDO ESSES VEREADORES E NA ÉPOCA DAS ELEIÇOES VAMOS FAZER UM GRANDE FAVOR AOS ELEITORES ,VAMOS DIVULGA-LAS NOVAMENTE( NÃO E POR NADA NÃO É SÓ PARA A POPULAÃO NÃO ESQUECER DE QUEM ELES NÃO DEVEM VOTAREM.

João Marcelo Ramos 10 de julho de 2016, 00:25h - 00:25

Lógico que ele iria receber antes dos demais. Faz parte da banda podre do prefeito. Pobres dos demitidos mais humildes. Com o que ele recebeu na frente pagaria com certeza a recisão de mais de 20 funcionários menores que devem estar passando dificuldades agora

ebimaki 10 de julho de 2016, 00:14h - 00:14

Além de terrível como vereador é um péssimo médico.Quem o elegeu é quem o merece.É só mais uma ratazana da prefeitura.Trata-se do mestre de levar vantagens. Vamos ver até quando esses safados em pele de cordeiro irão se safar do MP…já passou da hora de investigar um pouquinho mais, ainda tem muita coisa para aparecer. #borainvestigar

Lurdes Tenório 10 de julho de 2016, 00:08h - 00:08

Pouca vergonha hem Arbex???
É de dar nojo essa política em todos os níveis. Antes pelo menos os médicos tinham um certo respeito na sociedade. Hoje são mercantilistas e quando entram na política e isso que vemos.
Em outubro, votem nulo.

Fernando Cabral 9 de julho de 2016, 20:11h - 20:11

Nariz de porquinho esse cara é podre… vereadozeco ..Barra mansa não merece um cara desses..

stefano 9 de julho de 2016, 15:22h - 15:22

Ser vereador da moral! Vai vendo ai! Pq a minha ate hoje nada!

stefano 9 de julho de 2016, 15:22h - 15:22

Ser vereador da moral! Vai vendo ai! Pq a minha ate hoje nada!

Morador de BM 9 de julho de 2016, 14:35h - 14:35

Certamente chegará a hora dele no MP.
VERGONHA

Comments are closed.

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996