Vereador propõe que prefeitura tenha um centro de hemodiálise - Diário do Vale
segunda-feira, 27 de setembro de 2021 - 03:27 h

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Vereador propõe que prefeitura tenha um centro de hemodiálise

Vereador propõe que prefeitura tenha um centro de hemodiálise

Matéria publicada em 25 de novembro de 2017, 19:00 horas

 


Edson Quinto afirma que, além dos equipamentos da clínica particular, município também deveria ter o serviço

Volta Redonda – O vereador Edson Quinto (PR) apresentou uma emenda ao orçamento municipal para que a prefeitura passe a oferecer, em paralelo aos serviços da clínica particular que será inaugurada no bairro Retiro, um centro municipal de hemodiálise. Edson afirmou que a notícia de que o município pretende adquirir o prédio e os equipamentos do antigo Hospital Santa Margarida torna o seu projeto ainda mais viável.

— A compra do prédio do antigo Hospital Santa Margarida, junto com seus equipamentos, nos anima ainda mais na busca desse objetivo. Tenho certeza de que o prefeito Samuca Silva (Podemos) será sensível às necessidades da população. Atualmente, 167 pessoas sofrem todos os dias por causa da necessidade de viajarem a outros municípios para se submeterem a um procedimento que poderia estar sendo feito na própria cidade. A capacidade das duas clínicas juntas seria suficiente para atender a essas pessoas e permitir que moradores de outros municípios também fossem atendidos — afirmou Edson.

A solução para os moradores de Volta Redonda que precisam se submeter à hemodiálise vem mobilizando parlamentares da cidade há algum tempo. No início de outubro, Edson Quinto se juntou a Rodrigo Furtado (PTC), Paulo Conrado (PRTB) e Sidney Dinho (PEN) na mobilização para acelerar a abertura da clínica de hemodiálise que está pronta para começar a operar do Retiro.

O espaço só precisa de liberação por parte dos órgãos estaduais (Vigilância Sanitária) e federais (credenciamento junto ao Ministério da Saúde). Os trâmites para a autorização já estão adiantados. Uma audiência pública, marcada para o dia 11 de dezembro, vai servir para discutir o funcionamento do estabelecimento.

Com a entrada em operação da clínica, que tem capacidade para atender 200 pacientes por dia, cerca de 100 pacientes renais de Volta Redonda deixarão de viajar para municípios como Barra do Piraí, Valença, Vassouras, Angra dos Reis e Paracambi, para realizar a hemodiálise.

Quinto: ‘Compra do Hospital Santa Margarida deixa proposta de hemodiálise municipal mais próxima’ (Foto: Paulo Dimas)

Quinto: ‘Compra do Hospital Santa Margarida deixa proposta de hemodiálise municipal mais próxima’ (Foto: Paulo Dimas)

Outros pedidos

Em março deste ano, o vereador Edson Quinto (PR) protocolou um pedido para que a Câmara Municipal de Volta Redonda peça ao prefeito Samuca Silva (PV), à Superintendência da Vigilância Sanitária do Estado do Rio, à Secretaria de Insumos do Ministério da Saúde e ao deputado federal Deley de Oliveira (PTB) que tomem providências no sentido de liberar o início do funcionamento da Clínica de Hemodiálise do bairro Retiro.

Em 7 de junho, o vereador Paulo Conrado (PRTB) começou uma mobilização na Câmara Municipal de Volta Redonda para que o município encontre uma solução para a aplicação de sessões de hemodiálise nos voltarredondenses. Paulo teve o apoio dos vereadores Edson Quinto (PR), José Augusto (PDT) e Paulinho do Raio-X (PMDB) ao se manifestar. Depois de um debate sobre o assunto, em que todos os vereadores se solidarizaram com a necessidade levantada por Conrado, eles decidiram que a Comissão de Saúde da Câmara Municipal vai se encontrar com o prefeito Samuca Silva (PV) para pedir a ele que se empenhe em encontrar uma solução para o problema.

Em 12 de junho, o presidente da Câmara Municipal de Volta Redonda, Sidney Dinho (PEN), autor do projeto de lei que deu origem à clínica, informou que esteve com a então secretária municipal de Saúde, Márcia Cury e que ela informou que algumas exigências feitas pela secretaria estadual de Saúde para finalizar o convênio entre o município e a clínica foram cumpridas, o que deve acelerar o credenciamento da unidade de saúde.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

7 comentários

  1. AUDIÊNCIA PÚBLICA DIA 11

    Foi anunciada uma Audiência Pública para tratar do problema da clínica de hemodiálise que a Prefeitura não consegue colocar em funcionamento. Vamos todos lá ouvir o prefeito, vereadores, autoridades . É uma vergonha um ano o prédio pronto e essa clínica fechada com os pacientes tendo que viajar diariamente para outras cidades.

  2. A situação dos pacientes que dependem da hemodiálise é de completo desamparo e a cada dia piora ainda mais… urge uma providência definitiva para que possam continuar seu tratamento aqui em nosso município.

  3. Faz um ano que aquele prefeito fanfarrão inaugurou a clínica de hemodiálise sem poder funcionar. De lá prá cá nada mudou.
    Os pacientes de Volta Redonda têm que se deslocar para Resende, Barra do Pirai, Angra , Três Rios para se tratarem,. E nem sinal de funcionamento da clínica “inaugurada” pelo NETO. O que está faltando? Quando realmente vai funcionar…. MUITA BALELA E POUCA AÇÃO…. A INICIATIVA DO vereador Quinto é louvável.

  4. Meu caro الفتح – الوغد -Você não faz idéia doa quanto é desumano o que passam os pacientes renais que se deslocam para outras cidades.

  5. Importante medida esta.
    Volta Redonda tinha o Hospital Santa Margarida que fazia diálise pelo sus .
    Hoje não tem mais e a clínica inaugurada perlo NETO não funciona e sabe Deus se vai funcionar…

  6. O meu Deus toque no coração do senhor Prefeito e Senhores vereadores para que esta clinica comece a funcionar , eu tenho insuficiência renal crônica , graças ao meu Deus não faço hemodiálise . Espero muito poder estar nesta audiência pública para celebrar a abertura da cliníca de hemodiálise

  7. الفتح - الوغد

    Por quê precisam ir pra tão longe? Barra Mansa e Pinheiral não oferecem nem mesmo esse serviço em troca dos outros que VR presta a eles?… Por isso eu acho que esse consórcio regional que vai manter o funcionamento do HR é uma furada. Esses municípios pobretas vão continuar na aba de VR, que vai ver seu orçamento já restrito ainda mais comprometido…

Untitled Document