>
quinta-feira, 26 de maio de 2022 - 14:45 h

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Volta Redonda passa a ter programa de gerenciamento de perdas de água

Volta Redonda passa a ter programa de gerenciamento de perdas de água

Matéria publicada em 17 de janeiro de 2022, 19:18 horas

 


Projeto-piloto em parceria com a Agevap será desenvolvido em uma área entre os bairros Santa Rita e Santa Cruz

Foto: Cris Oliveira – Secom PMVR
Observado por Vair Duré (de pé) e Edson Quinto (o terceiro a partir da esquerda) Neto assina convênio com a Agevap

Volta Redonda – O prefeito Antônio Francisco Neto assinou na tarde desta segunda-feira (17), um convênio que vai possibilitar a implantação do Programa de Gerenciamento de Perdas em Sistemas de Distribuição de Água. A iniciativa é desenvolvida pelo Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Águas e Saneamento Ambiental (CDTASA) do Comitê de Integração da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul (Ceivap). A ação conta com parceria da Associação Pró-Gestão das Águas da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul (Agevap).

A assinatura do convênio contou com a presença do diretor-presidente da Agevap, André Luís de Paula Marques, do diretor-presidente do Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto), Paulo Cézar de Souza, o PC, e dos vereadores Edson Quinto e Vair Duré.

Esse convênio é fruto de uma indicação protocolada na CMVR, em 13 de setembro do ano passado, quando Edson Quinto solicitou a instalação de um sistema de Controle de perda de água no município, e ainda justificou a extrema importância com a finalidade de gerenciar a perda de água na cidade, além de otimizar o consumo. Adiciona que a crise hídrica requer estudos e planejamentos para avançar no controle de perdas e o pior com os desperdícios por falta de conhecimento.

“Através desse convênio com A AGEVAP nosso município vai avançar nesse controle, muitos municípios do Estado buscam por essa conquista, mas agora é a nossa hora”- narrou Edson Quinto.

A partir deste convênio, o município receberá um projeto-piloto de gerenciamento e controle de perdas em sistemas de abastecimento de água. Sensores serão instalados na rede de distribuição para o acompanhamento dos dados produzidos. A área escolhida para desenvolver o projeto foi entre os bairros Santa Rita e Santa Cruz.

Segundo o diretor-presidente do Saae, hoje o maior problema do saneamento básico no Brasil é com relação ao desperdício de água. Em Volta Redonda, a estimativa é que a perda de água potável gire em torno de 40%.

“A perda de água tem diversas vertentes: vazamentos invisíveis, os visíveis, os furtos de água e as que chamamos de perdas de processo – usada durante o tratamento de água. Através dessa tecnologia que estamos implementando em Volta Redonda vamos fazer o monitoramento das pressões na rede de distribuição e ao detectar mudanças nelas, vai ser possível a identificação de vazamentos e outros problemas de forma rápida, diminuindo as perdas”, disse PC, ressaltando que com essas medidas será possível minimizar o consumo local, reduzindo os custos da autarquia.

De acordo com o diretor-presidente da Agevap, as perdas no sistema de abastecimento de água ocorrem em todo o país. “É algo que não era para ser normal, mas infelizmente acontece, e muito. Uma média nacional de perda de água potável é de 37%. Ou seja, a cada 100 litros de água captada, 37 litros não chegam oficialmente a ninguém. Então a ideia é implantar programas para reduzir essas perdas. Este é um projeto inovador porque usa inteligência artificial. A gente vai monitorar com objetivo de chegar a uma redução de 15% nas perdas durante um período de um ano”, comentou.

O prefeito Neto celebrou a parceria e elogiou o Saae, que é referência no governo municipal quando o assunto é tecnologia e inovação. “Já fomos pioneiros de muitas coisas e estamos sempre querendo acompanhar os municípios inovadores. O Saae sempre foi um exemplo. Recentemente foi premiado com o reuso da água e estamos conseguindo avançar no respeito ao meio ambiente. Fico muito feliz de ver mais essa iniciativa trazendo benefícios para os moradores de Volta Redonda”, disse.

A expectativa é que o protótipo seja implementado em outras áreas do município.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document
close