terça-feira, 23 de julho de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Apreendido drone que levava drogas para cadeia pública de Volta Redonda 

Apreendido drone que levava drogas para cadeia pública de Volta Redonda 

Matéria publicada em 16 de maio de 2019, 11:33 horas

 


Drone que levava erva seca, com características de maconha, e dois celulares para a Cadeia Pública Franz de Castro, em Volta Redonda
(Foto: Eu Rio)

Volta Redonda – A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) apreendeu, na noite dessa quarta-feira (15), um drone que levava erva seca, com características de maconha, e dois celulares para a Cadeia Pública Franz de Castro, em Volta Redonda, no Sul Fluminense. Esta é a primeira vez que um equipamento deste tipo é interceptado por inspetores penitenciários tentando levar materiais ilícitos aos presos, no interior de uma unidade prisional.

Segundo a Seap “órgão não mede esforços para bloquear a entrada de materiais ilícitos nas unidades prisionais, a fim de impedir a comunicação de presos com o mundo exterior”. Nos últimos dois dias, foram apreendidos mais de 1.500 invólucros de material com características de maconha, cocaína e haxixe durante mais uma etapa da operação “Asfixia”. A ação foi realizada por inspetores penitenciários das próprias unidades prisionais que encontraram 660 papelotes de pó branco, com características de cocaína; 532 trouxinhas de erva seca, com características de maconha e 436 papelotes de material parecido com haxixe. Além disso, 60 celulares, um modem, um roteador de internet, material para endolação de drogas e carregadores de telefones foram apreendidos.

Os materiais ilícitos foram encontrados nas seguintes unidades prisionais: Instituto Penal Vicente Piragibe, Cadeia Pública Hélio Gomes, Cadeia Pública Romeiro Neto, Penitenciária Gabriel Ferreira Castilho, Presidio João Carlos da Silva, Cadeia Pública José Antônio da Costa Barros, Cadeia Pública Pedro Melo, Penitenciária Bandeira Stampa e Penitenciária Alfredo Tranjan.

A operação “Asfixia”, iniciada na gestão atual, já apreendeu, desde o início deste ano, 4.160 aparelhos de celular, além 1.450 de chips de telefonia, 83.134 unidades de drogas, como papelotes e tabletes de maconha, invólucros de cocaína, dentre outros entorpecentes. Ainda foram apreendidos 32 roteadores de internet, 104 armas brancas e 230 unidades de anabolizantes.

Além da operação “Asfixia”, a Seap implantou outras duas ações, a “Iscariotes”, que visa coibir servidores de entrarem com objetos ilícitos nas Unidades Prisionais, e já prendeu nove inspetores, e a “Bloqueio”, que tem como objetivo impedir que visitantes de presos burlem as regras de segurança. Até o momento, 15 visitas foram presas tentando entrar com drogas e celulares em cadeias.

As apreensões foram encaminhadas para as delegacias das áreas correspondentes para a realização de registro de ocorrência.

*Informações cedidas pelo site Eu Rio


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

6 comentários

  1. Avatar
    Escritório do crime

    Existem drones que são controlados por mais de 10 km,fica a informação.

  2. Avatar

    Ué só pegaram o drone? cadê quem tava com o controle remoto ! tá de sacanagem

  3. Avatar

    SUSPEITO, drone é apreendido…

  4. Avatar

    Um drone , SUSPEITO de levar drogas…

  5. Avatar
    Nilton Ferraz Rodrigues

    Está errado o título DV: “APREENDIDO”

Untitled Document