domingo, 25 de outubro de 2020 - 04:45 h

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Cientistas descartam tocas de animais pré-históricos em Barra Mansa

Cientistas descartam tocas de animais pré-históricos em Barra Mansa

Matéria publicada em 20 de setembro de 2020, 17:17 horas

 


Equipe do MEP visitou buraco que poderia ser toca de tatu pré-histórico
(Foto: MEP)

Barra Mansa – A possibilidade de que um buraco encontrado na encosta de um morro em Barra Mansa fosse a toca de um animal pré-histórico – um tatu gigante – foi descartada pelo pesquisador e especialista em Paleontologia Hermínio Ismael de Araújo Jr., ligado à UERJ e com experiência em megafauna. Ele afirmou que o animal não escavaria aquele tipo de rocha. A hipótese de se tratar de uma paleotoca (toca de animal pré-histórico) foi levantada quando geólogos observaram uma possível possibilidade de megafauna pré-histórica em um novo corte de morro na Rodovia Nova Dutra (altura do Km 262, sentido Rio).

André Negrão, volta-redondense, pesquisador na USP e seu colega Renato Ramos, professor da UFRJ, notaram algo diferente na tonalidade e no formato cilíndrico exposto no declive do talude na rodovia. André fez contato com Sílvia Real, mestre em Geociências e coordenadora da equipe ambiental do MEP (Movimento pela Ética na Política). A partir do diálogo, o MEP decidiu dar apoio para um trabalho de campo de investigação.

Membros da equipe ambiental auxiliaram com a infraestrutura (escadas e cordas) para o prof. André analisar a estrutura da suposta paleotoca, também chamada crotovina. Eles fizeram a escavação, coletaram amostras, tiraram medidas, além de registrarem por fotos, vídeos e desenho esquemático para posterior avaliação.

— O fato de estarmos aqui, observando, ouvindo as explicações do professor, traz um aprendizado pela curiosidade, e a gente acaba tendo gosto pela busca de conhecimentos — comentou João Thomaz Araújo Costa, engenheiro e membro da equipe ambiental, que junto com Sônia e Thiago participaram do suporte para a atividade de campo.

Após 15 dias de análise e discussões entre os cientistas sobre o tema, Negrão comunicou em áudio ao coletivo: “O professor Hermínio rejeitou a tese de suposta paleotoca escavada por um eventual mamífero da megafauna (tatu gigante). A hipótese foi descartada por ele por vários motivos. Segundo ele, não só pela geometria, mas também pela natureza do saprólito do gnaisse (‘rocha podre’) no entorno da feição. Araújo Jr. relatou-me que os mamíferos não escavariam esse tipo de rocha”, contou o geólogo volta-redondense.

André ainda acrescentou: “Os terrenos e solos da região são revolvidos há tantos séculos que temos que analisar com cuidado. Pode ser algo natural ou artificial, não sabemos. Pode ter sido uma espécie de cacimba, poço, formigueiro, ou uma escavação. Bom, fato é: aprendemos todos, e isto é importante. O professor Renato é mais antenado e experiente, mas a Crotovina não foi uma novidade só para vocês, mas para mim também, um grande aprendizado!”

André agradeceu a interação da equipe do MEP: “O mais legal foi lá no afloramento com rapel, escada e tudo, estreitamos nossos laços. O que precisar de mim, estou à disposição”. Sílvia Real, articuladora do apoio logístico, também agradeceu aos membros da equipe e ficou de convidar o prof. André para integrar o coletivo ambiental do Movimento, inclusive pensando na retomada do ‘projeto Caminhos Geológicos na região’, incluindo a Pedreira da Voldac na rota.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

9 comentários

  1. Avatar

    Nem tatu pré histórico queria viver nessa cidade atrasada. Ainda bem que não tinha tatu, senão os coronéis da cidade, senhores feudais, iriam dizer que o tatu era da família deles e impetrar um usucapião no buraco querendo tomar posse do mesmo.

  2. Avatar

    O MEP – Movimento pela Ética na Política mais uma vez querendo aparecer e dar espetáculo. Já foi com uma pedreira abandonada e agora com um buraco no morro. O que isso tem a ver com “ética na política”??? Estamos a beira das eleições municipais e nenhuma movimentação do tal grupo em relação ao objetivo pelo que foi criado. Será se é pq já estão todos comprometidos com um determinado candidato a prefeito em VR???

  3. Avatar

    SEMPRE FALEI QUE NESTE BAIRRO, KM 262 e 263 SÃO AS ENTRADAS DO BAIRRO MOINHO DE VENTO, NESSE LOCAL AINDA VAI DESCER DISCO VOADOR, PODE TER CERTEZA.

  4. Avatar

    Inicio das escavações , feitas por um antigo governante da cidade que dizia que traria o mar pra Barra Mansa.

  5. Avatar

    Que coisa engraçada, tinha que ser em Barra Mansa… Um buraco, cheio de pré históricos.

  6. Avatar

    Quero ver quando encontrarem uma dolina irão dizer que é a toca do Godzila… gente esse tipo de coisa é bastante comum, muitas das vezes são buracos formados pela dissolução da rocha calcária. Outro fator é a altura, pois mesmo que esses animais da megafauna estejam extintos eles não são animais tão antigos a ponto da geologia soerguer o terreno até aquele ponto. Relatos de tocas e túneis de animais da megafauna só ouvi e li a respeito na Amazônia onde realmente foram encontradas as tocas ou túneis desses animais.

    • Avatar
      REALISTA DO SÉCULO 21

      Acionem a polícia pois esse buraco pode ter sido feito por algum homosapiens filiado a alguma facção criminosa atual.

  7. Avatar

    Parabéns a toda a equipe. Ciência é assim que se faz, muita pesquisa, discussão e apoio mútuo entre especialistas e interessados. Quem sabe depois dessa pesquisa, descobrimos uma paleotoca ou uma crotovina na região. A megafauna andou pela região.

  8. Avatar

    Falaram e falaram e falaram…o que é então??tatu gigante?

Untitled Document