Delegado diz que agressão a casal gay teve conotação homofóbica

by Diário do Vale

Delegado investiga caso de agressão a casal gay


Volta Redonda –
O delegado titular da 93ª DP (Volta Redonda), Wellington Vieira, está tentando identificar dois homens que agrediram fisicamente um casal de gays, num restaurante na Vila Santa Cecília. Os suspeitos também proferiram xingamentos homofóbicos contra as vítimas. O caso ocorreu no fim de semana.

Segundo o policial, o crime foi teve conotação homofóbica, porque foi cometido pelo fato dos dois serem homossexuais. Vieira analisa foto e imagens dos suspeitos.

Na delegacia, as vítimas disseram que são de Cabo Frio, região dos Lagos, e que estavam hospedadas na casa de uma amiga em Volta Redonda.  Eles disseram que se sentaram numa mesa que fica mais afastada, porque estavam fumando para não incomodar outros frequentadores do estabelecimento.

Mesmo, assim, dois homens, que estavam em outra mesa, se aproximaram e se queixaram do cheiro da fumaça. Em seguida, de acordo com o casal, os suspeitos passaram a agredi-los e fazer ofensas homofóbicas.

O delegado disse que o registro da violência foi feito na segunda-feira (9), na 93ª DP. Segundo Vieira, o crime foi praticado apenas porque as vítimas eram homossexuais.

– Já instaurei inquérito. Existe uma conotação homofóbica, porque as agressões foram praticadas porque eles são um casal gay, e a Polícia Civil tem o dever de apurar. E, apurar também esse preconceito homofóbico que foi a motivação para pratica dos dois crimes. Temos algumas imagens e, agora, vamos tentar identificar esses dois agressões para receberem a punição merecida . Solicito a população para colaborar com o trabalho da policia, fazendo denúncia por meio do Teia Invisível (197). O anonimato é garantido. Eu agradeço as informações que já recebi sobre o fato. Não há possibilidade nenhuma de ter complacência com esse tipo de conduta homofóbica, que não se justifica de forma nenhuma – disse Vieira.

You may also like

21 comments

Capeta da grota do Santa cruz 10 de março de 2020, 22:11h - 22:11

Menos mal que eles não morreriam, simplesmente virariam PURPURINA …

Marta Suplícyo 10 de março de 2020, 19:20h - 19:20

Aaaaadoooorooo matéria sobre LGTBi até o z. Defensores e defensoras da causa saem do closet e esparramam purpurinas a vontade. Uhuuuuuu!!!

Jurandir 10 de março de 2020, 20:30h - 20:30

Sou defensor da causa deles, das mulheres ,dos negros, dos idosos, das crianças e todas as causas onde houver cretinos(as) fazendo ataques promíscuos .

Contribuinte 11 de março de 2020, 00:56h - 00:56

Vai arrumar serviço Dr. Delegado….
Ficar cuidando desses meninos alegres é muito fácil.
Difícil é ir atrás de bandidos

Vânia 10 de março de 2020, 18:05h - 18:05

Nada justifica partir para agressão, mas tb não é só pq são gays que podem fumar dentro de bares e restaurantes e incomodar todo mundo né. Isso é sacanagem. Quer se matar com cigarro faça sozinho longe das pessoas.
Os agressores poderiam simplesmente ter chamado o dono do estabelecimento e feito reclamação, agora vão ser presos atoa para deixarem de ser bestas.

Jurandir 10 de março de 2020, 19:10h - 19:10

Vc tá falando M
Informe-se primeiro antes de vomitar na internet.
Se eles estivessem em lugar fechado os próprios funcionários teriam pedido para apagar o cigarro.
Fumar em área aberta(onde eles estavam) não é proibido, cabeça.

Jurandir 10 de março de 2020, 17:32h - 17:32

Todos enganados. Eles estavam em área aberta da lanchonete e ainda se afastaram dos meliantes.
Vcs são BOZZOLINOS tentando defender agressores. Adoram atacar gays, já sei até qual é a religião de vcs, cretinos.
Não é proibido fumar em área aberta.

Desqualificado Braga Lula da Silva 10 de março de 2020, 19:50h - 19:50

Calma Brutus! Cuidado com infarto ou AVC. Se “bater” as botas da grife Prada, sairá do casulo e se transformará numa butterfly!!?

Américo Prepúcio 10 de março de 2020, 17:14h - 17:14

Esses agressores homofóbicos via de regra partem para as vias de fato quando estão em grupo ou são mais fortes fisicamente que as vítimas. Se fosse um casal de gays fortes, os criminosos talvez adotassem o procedimento apropriado, que é informar a infração da lei ao responsável pelo estabelecimento ou à força policial.
Agora que se acertem com a Justiça.

Filipe74 10 de março de 2020, 13:28h - 13:28

Estão desrespeitando a lei no estabelecimento, chama o responsável.
Essa mania de querer resolver tudo na agressão não dá certo, ainda mais num ambiente onde estão consumindoi álcool.

verdade 10 de março de 2020, 13:22h - 13:22

Olha quem entra em um estabelecimento e começa a fumar tá afim de arrumar problema de fato, a pessoa ofendida pelo seu direito estar sendo lesado acaba perdendo a razão, na minha visão ambos estão errados, mas é bem comum em uma situação dessas um armar uma confusão para depois sair de vítima, nesse caso chame a polícia ao invés de perder tempo batendo boca, seja com quem for e ainda é bem capaz de sobrar para a polícia a culpa do caso.

Vladimir Spetsnaz 10 de março de 2020, 12:27h - 12:27

Covardes que só agem em grupo

Agora serão facilmente identificados e, pela fala do delegado, vão fazer depilação pra frequentar o banheiro de Bangu 8

Se fossem pessoas civilizadas não estariam passando por isso
Cana neles

Desqualificado Braga Lula da Silva 10 de março de 2020, 17:02h - 17:02

Véio seu comentário é tosco, sem fatos e sem argumentos. Onde 2 contra 2 “é grupo”??? Aff!!!

El Don 10 de março de 2020, 12:23h - 12:23

Partindo do princípio de que toda ação gera uma reação, independente de os agredidos serem gays, eles certamente além de estarem fumando em local proibido e causando incômodo para os outros, falaram coisas que não deveriam, acirrando os ânimos e resultando nas agressões.

Contribuinte 10 de março de 2020, 10:52h - 10:52

Os responsáveis do estabelecimento deveriam ter tomado a iniciativa e solicitar ao casal que não fumassem naquele local.
Depois com os ânimos alterados deu no que deu.

Alexsander 10 de março de 2020, 10:46h - 10:46

Os babacas dos agressores erraram ao apelar pras ofensas homofóbicas. O casal errou em infringir a lei estadual que proíbe o fumo dentro de estabelecimentos comerciais, independente do local. E eles são do Rio de Janeiro, nem podem alegar erro de proibição.

Edmur Silva 10 de março de 2020, 14:11h - 14:11

E dane-se a lei que proíbe fumar em bares e restaurantes. Gostaria de saber qual a resposta quando interpelados por incomodar outros com a fumaça.

Zero 10 de março de 2020, 10:25h - 10:25

O cidadão vai reclamar que a fumaça do cigarro esta incomodando o lanche dele, é desafiado, dá um corretivo no mal educado e ainda vem um delegado dizer que é caso de homifobia. Lamentável que esse delegado vai passar vergonha quando o processo for pra justiça, isso se o promotor denunciar por lesão corporal e recapitular a ocorrência.
Na entrevista na TV o proprio denunciante dá a justificativa da agressão que foi discussão banal. Agora aonde já se viu.

Costa 10 de março de 2020, 12:35h - 12:35

Dr Delegado, vc tem problema mais sério nessa cidade pra solucionar. Nesse caso foi apenas uma discussão com vias de fatos sobre fumar em local público que é proibido. Tem nada de relacionado com questão homofóbica.

Na real 10 de março de 2020, 09:34h - 09:34

Se os gays não estivessem fumando onde as pessoas estavam comendo haveria agressão?

Não entendi o comentário 10 de março de 2020, 11:37h - 11:37

Mas qual o motivo da agressão e xingamentos? Precisa de tanto? Acho que violência gera violência

Comments are closed.

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996