terça-feira, 13 de abril de 2021 - 22:44 h

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Estoque de insumos na rede pública de Saúde é crítico em Volta Redonda

Estoque de insumos na rede pública de Saúde é crítico em Volta Redonda

Matéria publicada em 31 de março de 2021, 10:40 horas

 


Neto diz que está empenhado para que não falte medicamentos no município

Volta Redonda – Hospitais da rede pública podem ficar sem estoque de medicamentos utilizados para o tratamento de pacientes intubados com Covid-19. Os insumos na rede pública podem começar a faltar nos próximos 15 dias. A dificuldade para aquisição dos medicamentos se deve ao aumento de casos da Covid-19, em todo o estado do Rio. A situação se complicou ainda mais uma vez que, devido a alta demanda, o preço dos medicamentos, utilizados no tratamento da doença em UTI’s, aumentou em seis vezes.

O prefeito Antônio Francisco Neto, disse que o poder público vai ajudar para que não faltem insumos nas unidade médicas e reforçou os cuidados para evitar o contágio do vírus. “É importante que as pessoas usem máscara e só saiam de casa se for uma situação inevitável”. Neto se reuniu na tarde da última segunda-feira, 29, com as principais lideranças das redes pública e privada de saúde para alinhar ações e estratégias conjuntas contra a Covid-19.

Na ocasião, o prefeito destacou a possibilidade de alugar leitos na rede privada, caso seja necessário. Da mesma maneira, Neto pediu que os hospitais particulares possam ajudar a prefeitura na montagem de mais leitos.  O prefeito disso ainda que vai liderar uma força-tarefa para tentar comprar os insumos necessários para colocar e manter pacientes em ventilação mecânica. Enquanto o problema de leitos está mais acentuado na rede pública, a falta de insumos é um problema generalizado.

Neto ressaltou que encontrou Volta Redonda com apenas cinco leitos de UTI para pacientes com a Covid-19. “A falta de estratégia da gestão passada, que apostou em hospitais de aluguel, são sentidas agora. A rede privada ainda tem uma boa reserva de leitos. A prefeitura já montou 10 leitos de UTI no Retiro e dois no Hospital São João Batista, mas ainda é pouco. Estamos montando mais quatro leitos  no Hospital do Retiro e aguardamos a chegada de equipamentos para montar mais dez”, afirmou o prefeito.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Avatar
    HOSPITAL DE CAMPANHA

    NÃO SERIA A HORA DE VOLTAR COM O HOSPITAL DE CAMPANHA MONTADO NO ESTADIO RAULINO??? COLOCARIA OS PACIENTES COM MENOS GRAVIDADE LÁ E DESAFOGARIA OS HOSPITAIS UM POUCO!

  2. Avatar

    O Neto diz que “vai ajudar”, parecendo esquecer que saúde é prioridade neste momento. Estamos vivendo um sonho muito ruim!

  3. Avatar

    Fica culpando a gestão passada, mas até agora só fez besteira. Avisem o prefeito que na gestão passada, os leitos de uti está vazios, qualquer aumento havia Lockdown na cidade para diminuir, ao contrário dele que só sobe número de pessoas infectadas e ele abre mais tudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document