sexta-feira, 15 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Estudo da Firjan aponta necessidade de concessões em rodovias da região

Estudo da Firjan aponta necessidade de concessões em rodovias da região

Matéria publicada em 17 de junho de 2019, 10:15 horas

 


Estudos da Firjan aponta investimentos em rodovias da região (crédito Assessoria de Imprensa)

Sul Fluminense – As rodovias da Região Sul Fluminense estão na mira de concessões. Estudo da Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro), revela que a RJ-127 (Paracambi a Vassouras), RJ-145 (Passa Três, Piraí, Barra do Piraí e Valença) e RJ-155 (Barra Mansa a Angra dos Reis) têm potencial de receber até R$ 6,8 bilhões via concessões e Parcerias Público Privadas (PPPs).

O valor divulgado pela entidade destaca ainda a importância de investimentos previstos em setores como Resíduos Sólidos, Iluminação Pública e Água e Esgoto. O estado do Rio tem potencial de R$ 54,8 bilhões distribuídos em 142 oportunidades. Na região, a pesquisa da Firjan verificou que 80% de todo o potencial – o equivalente a R$ 6,8 bilhões – está focado em rodovias que necessitam de obras.

Uma delas, a RJ-155, ligando Barra Mansa a Angra dos Reis, que, no estudo, uma vez recuperada terá grande impacto na economia da região. A possibilidade de melhoria dessas estradas é analisada pelo empresário e presidente da Firjan Sul Fluminense, Antônio Carlos Vilela como um fator que vai alavancar o desenvolvimento econômico da região.

“Torço muito para que essas concessões sejam aprovadas. Além de representar uma alavanca para o desenvolvimento econômico da região, o movimento de ampliar a infraestrutura dessas vias onde o PIB do Estado passa traz recursos e incentivos para que novos negócios se instalem por aqui.”

O empresário relaciona os principais problemas dessa rodovia como buracos, falta de sinalização e acostamento. “O Estado não terá condições financeiras de fazer isso tão cedo, então ficamos na torcida para que essas concessões aconteçam e, futuramente, revertam em novos empreendimentos aqui no Sul.”

Além da possível injeção de recursos nas rodovias, os municípios que devem ser contemplados com investimentos em Resíduos Sólidos, Água e Esgoto, Iluminação Pública e Unidades de Educação Infantil são Angra dos Reis, Barra do Piraí, Barra Mansa, Pinheiral, Itatiaia, Mendes, Paraty, Piraí, Porto Real, Resende, Rio Claro, Volta Redonda, Valença e Vassouras.

No estado

Conforme o estudo de oportunidades para concessões e PPPs, no estado quatro setores consolidados (ou seja, já extensamente explorados pela iniciativa privada no Brasil) podem gerar investimentos para o estado e municípios: Rodovias (R$ 23,4 bi), Resíduos Sólidos (R$ 18,2 bi), Água e Esgoto (R$ 7,6 bi) e Iluminação Pública (R$ 1,4 bi).

Há oportunidade também em duas áreas consideradas tendências: Unidades de Educação Infantil (R$ 2,2 bi) e Sistema Prisional (R$ 2,1 bi). Esses setores vem sendo estudados pelo poder público fluminense e pode estar no radar de investidores e sociedade, dado o seu potencial de investimentos e melhoria de prestação de serviços.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

14 comentários

  1. Avatar

    Só tem ladrão! com que grana eles desenvolveram o estudo. a malha ferroviária acabaram com tudo o que diz para beneficio do povo.

  2. Avatar

    Conforme estudos próprio eles têm para investir: em “Rodovias (R$ 23,4 bi), Resíduos Sólidos (R$ 18,2 bi), Água e Esgoto (R$ 7,6 bi)”.

    Mas construir as próprias estradas eles não constroem. Construir áreas para receber Resíduos Sólidos eles não constroem. Construir estações ETAs e ETEs eles não fazem.

    Em BP precisa de ETA para deixar de depender de VR. Em BM a cidade não consegue tratar seu esgoto, além dos 3 a 4%, em VR idem além dos 40%. Cadê os empresários com o volume de recursos que dizem ter?

    Mas ficam na espera de algum governo lunático lhes entregarem as empresas que nós construímos a custo DOS IMPOSTOS ALTÍSSIMOS e tendo a falta de serviços que merecemos.

  3. Avatar

    Não vi esse senhor falar em acabar com o IPVA, qual o sentido de pagar uma coisa duas vezes. Vai catar coquinho presidente da Firjan. Nosso estado esta falido porque temos um alto índice de violência e pasmem os maiores impostos do país que industria vai querer vir pra esse estado e o pior uma montanha de funcionários que ganham muito sem trabalhar.

  4. Avatar

    O estado não sabe administrar, gastam todo os recursos em suas campanhas politicas, faltam hospitais, escolas, e tudo que é para o estado fazer e não o faz. Simplesmente roubam os contribuintes. vejam as reportagens de lava-a-jato, operação calicute, etc etc. Agora me vem esse bobalão da Firjan querendo levar vantagens em “dizer que cobrar resolve”. Quanto voce esta ganhando para dizer isso ou tera uma vaguinha na administração ou quem sabe, irá colocar uma empresa em seu nome ou de laranja para faturar e nada fazer nestas estradas???? Ja pagamos tudo para o estado e nada temos o retorno de nada. Pagamos IPVA para andar nas estradas, pagamos estacionamentos para estacionar, pagamos plano de saúde porque não tem hospitais públicos, pagamos imposto de renda para ter salário, pagamos energia eletrica, pagamos água, telefone, transporte e em fim, pagamos tudo. Eu pergunto: oque ganho do estado em volta???? Absolutamente nada. Então meu amigo, larga de ser sem vergonha puxa saco de um governador que não fara nada pelo seu povo

  5. Avatar

    Não podemos esquecer que esses empresários e os empresários do Sul Fluminense entraram com peso na campanha do PEZÃO. Na época foi uníssimo a voz deles afirmando que o candidato seria o melhor e ajudaria muito a região por ser daqui.

    Deu no que todos estão vendo. ERJ falido em todos os sentidos.

    Empresário entende muito bem e são excelentes para seus negócios, mas NÃO ENTENDEM nada de Administração Pública e muito menos de Gestão Pública. Talvez se nas empresas tivessem um Administrador Público para tratar com governos, eles estariam bem melhor.

  6. Avatar

    O que precisamos é de quem CONHECE a ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA e ENTENDE DE GESTÃO PÚBLICA para fazer as PPPs. Concessões é assunto ultrapassado e já provou que somente os empresários saem ganhando, como podemos ver com a CCR, a ACCIONA e tantas outras.

    Recentemente a
    – ACCIONA quis devolver a BR-393. VAI VENDO conseguiu um aumento pq ela continua.
    – A CCR só pinta as estradas como a ACCIONA. Vez ou outra refaz uma ponte que está prestes a cair.
    – O aeroporto de VIRACOPOS que pegou a concessão com 160% de ágio, devolveu dando calotes até em banqueiros.
    – Tem a SuperVia que deve R$ 38 milhões a LIGHT.
    – E aqui a viação SUL FLUMINENSE onde todos estão pagando caro por um serviço de péssima qualidade.
    – Tem muito mais péssimos exemplos de concessões públicas.

    Somente nestes exemplos, como pode ver, os lucros são dos empresários e o povo nada.

    E se votarem no Samuca novamente até o SAAE/VR vai para as mãos deles no mole.

    • Avatar

      Grupo KT2 assumiu a gestão de 200,4 quilômetros da BR-393, denominada Rodovia do Aço. A concessionária, chamada agora de K-Infra Rodovia do Aço S.A, engloba os trechos de divisa entre os Estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais ao entroncamento com a BR-116 (Via Dutra), em Volta Redonda (RJ). Segundo a empresa, nenhuma alteração nos postos de pedágios ou nos valores cobrados está no radar para o curto prazo.
      A Acciona não duplicou um km sequer de rodovia durante 10 anos,e pelo visto a nova concessionária também não vai fazer.Não podemos esquecer o trecho da rodovia do contorno que oficialmente não está sob a responsabilidade da concessionária,o abandono é total,capim alto e despejo de entulho as margens da rodovia vai crescendo. A PRIVATIZAÇÃO só interessa aos empresários.

    • Avatar

      “– ACCIONA quis devolver a BR-393. VAI VENDO conseguiu um aumento pq ela continua.”

      Não entendi. Pelo que todos sabem a Acciona NÃO administra mais a 393, sendo a K-Infra a nova empresa responsável.

  7. Avatar

    Porque tem que pedagiar para melhorar? Onde esta o governo Federal, estadual e Municipal que acaba com tudo se fazer as manutenções? São eles que devem melhorar oque esta ruim e não o povo pagar pelo desmazelo. Deixem de serem atrasados. Por isso o Brasil é essa desmazela, o povo não cobra

  8. Avatar

    Que tal acabarem como o IPVA e privatizarem todas as estradas do Rio PRICIPALMENTE.

  9. Avatar

    RJ 155 urgente necessidade. E para ficar mais atrativo o investimento o trecho sob concessão deveria iniciar com o trecho Getulândia x Roma, visto que o traçado não se encontra ocupado por residencias e bairros proximos como ocorre no trecho original em bm. Imagina a briga judicial para tirar todos aqueles moradores que moram na RJ 155 !!!

    • Avatar

      esse trecho que vc disse..nao é da estrada…portanto nao deveria ser mexido em caso de concessao da estrada..a nao ser que esteja no contrato

Untitled Document