terça-feira, 4 de agosto de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Região / MRS afirma que cenas de imprudência em passagens de nível são frequentes

MRS afirma que cenas de imprudência em passagens de nível são frequentes

Matéria publicada em 10 de julho de 2020, 12:11 horas

 


De acordo com a concessionária, uma parte significativa dos acidentes seria evitada com prudência e respeito às leis vigentes

Barra Mansa – Com três registros de acidentes envolvendo trens e carros em passagens de nível, em um intervalo de uma semana, a MRS Logística, operadora responsável pela linha férrea que corta Barra Mansa, afirmou que cenas de imprudência de pedestres e motoristas são flagradas com frequência, nesses locais. Um dos acidentes foi registrado na noite desta quinta-feira (9), quando o motorista identificado como Alexandre Lisboa Rio Verde, de 48 anos, teve o carro arrastado por cera de dez metros por um trem na passagem de nível da Saint Gobain, na Vila Bárbara. O veiculo capotou, ficando com as quatro rodas para cima e imprensado entre a linha férrea e uma mureta de proteção e foi totalmente destruído. O motorista não teve ferimentos graves.

Na terça-feira (7), na linha férrea entre a Rua Orozimbo Ribeiro e a Rua Duque de Caxias, o carro de uma mulher também foi arrastado por um trem. Imagens de câmaras de segurança mostraram a condutoras ao volante, ultrapassando a cancela já fechada. Em outro acidente, ocorrido na madrugada de sábado (4) uma composição também arrastou um veículo na passagem de nível da Saint Gobain, na Vila Bárbara, deixando o carro completamente destruído.

De acordo com a MRS, no ano passado foram registrados dois atropelamentos e dois abalroamentos em Barra Mansa. Já neste ano, até o dia 15 de junho, já haviam sido registrados dois abalroamentos e um atropelamento – os três citados ainda não haviam entrado nas estatísticas -. Para tentar evitar esses tipos de acidentes, a MRS informou que vem trabalhando com ações preventivas no município e nas cidades vizinhas de forma extensiva. A empresa disponibiliza conteúdo sobre segurança ferroviária em seus canais na internet, como a MRS TV (https://www.youtube.com/c/MRSoficial) e demais redes sociais e também promove ações em parceria com a Guarda Municipal de Barra Mansa, distribuindo informativos com dicas de segurança, entre diversas outras ações com foco em conscientização para a segurança ferroviária.

– Infelizmente, mesmo com essas ações, vemos cenas de imprudência como a do acidente da última terça-feira, com frequência. O Código Brasileiro de Trânsito, em seu artigo 212, é claro: todo motorista deve parar o seu veículo antes de fazer a travessia da linha férrea, existindo ou não sinalização ativa (cancela e semáforo), para praticar o Parar, Olhar e Escutar. Não parar o veículo antes da travessia da ferrovia é uma infração gravíssima. A composição ferroviária tem prioridade, uma vez que ela é de grandes dimensões, pesada e a sua parada completa pode demandar até um quilômetro. É praticamente impossível evitar a colisão de um motorista que atravessa a via em momento inadequado – disse a MRS, por meio da sua assessoria de imprensa.

De acordo com a operadora, muitas das vezes, por pressa, observa-se que as situações de imprudência se repetem diariamente, embora o tempo médio de passagem de um composição ferroviária seja de três minutos. Quem passa com freqüência, pelas passagens de nível do município, também presencia as falhas cometidas por motoristas e pedestres. É o caso da comerciária Alexandra da Silva Cruz, de 40 anos, que trabalha próximo a passagem de nível da Rua Duque de Caxias.

– Isso acontece o dia inteiro: Tem motorista de carro que não respeita a cancela baixada e acelera pra atravessar, mesmo vendo que o trem está vindo. Como a cancela não pega a rua toda, eles desviam e vão embora, contando com a sorte. Os pedestres também abusam e sempre tem aquele que não quer esperar o trem passar e que sai correndo quando escuta o apito. Esses dias um idoso foi correr e acabou caindo, um perigo, já que podia ter sido atropelado – comentou Alexandra.

O taxista Eduardo da Silva Rocha, de 45 anos, também acompanha, no cotidiano, muitas imprudências nas passagens de nível da área central de Barra Mansa, por onde circula durante todo o dia. Ele também ressaltou que tanto pedestres, quanto motoristas, abusam demais ao se apressarem para atravessar a linha férrea.

– Eu, como motorista, fico impressionado com os abusos cometidos por alguns condutores. Já cansei de ver carro acelerar para atravessar, mesmo com o trem se aproximando, o que também acontece com pedestres. As pessoas convivem com o trem em Barra Mansa há vida inteira e ainda assim não conseguem ter paciência de esperar. E é por isso que sempre acontecem esses acidentes – disse.

Desrespeito a sinalização prevalece, diz Guarda Municipal

De acordo com o comandante da Guarda Municipal de Barra Mansa, Valcir Magno, realmente existe uma parceria com a MRS na realização de campanhas preventivas e educativas de conscientização nas passagens de nível, no entanto, a imprudência, a negligência, a distração, falta de atenção e os desrespeito a sinalização ainda prevalecem entre os pedestres e condutores, sendo esses os fatores que ocasionam a maioria dos acidentes na linha férrea.

– As pessoas e motoristas escutam o apito, o sonido das cancelas, os alertas e aí, ao invés de pararem, elas aceleram para atravessar a passagem de nível, ficando sujeitas a esses acidentes, quase sempre com vítimas, uma vez que os trens são brutos, muito superiores a outros tipos de veículos. Nós temos tido uma dificuldade muito grande em conter essas pessoas e já fizemos algumas observações para a MRS para melhorar o sistema de sinalização nas passagens. Nós sabemos que eles estão sempre buscando melhorar e nosso pedido é para diminuir as poluições visuais e aumentar o tamanho da cancela parar que as pessoa tenham um pouco mais de atenção – disse o comandante.

De acordo com ele, as passagens são bem sinalizadas e as cancelas atendem o tamanho, no entanto, para alguns lugares houve a solicitação para aumentar porque estaria havendo essa cobrança e questionamento por parte da população. As passagens a que Valcir se refere são da Rua Alberto Mutel, próxima à praça da Liberdade, e a da Rua Duque de Caxias, perto do Jardim das Preguiças.

– Mesmo com essas medidas, em se tratando de um trem, que é muito grande e não sai da rota, a atenção ao atravessar uma passagem de nível é que deve ser mantida e redobrada em qualquer hora do dia – finalizou o comandante.

Na terça-feira (7), quando o trem arrastou o carro de uma mulher, internautas questionaram o tamanho das cancelas das passagens de nível. “A cancela está numa posição errada, constantemente tem acidente. Será que eles não se.importam e preferem pagar indenizações do que colocar uma cancela decente e que obstrua a passagem dos carros”, indagou uma internauta.

Com relação a esse assunto, a MRS se manifestou dizendo que a segurança ferroviária depende da colaboração de todos: das empresas e também da sociedade. Em nota, a operadora disse que por vezes, tem-se o entendimento de que mais equipamentos ou mais profissionais disponíveis nas passagens em nível garantiriam mais segurança e menos acidentes. No entanto, o que se percebe é que uma parte significativa dos acidentes seria evitada com prudência e respeito às leis vigentes.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

13 comentários

  1. Avatar

    Prezados, usem como exemplo as passagens de nível de Mogi das Cruzes, Suzano, entre outros. A CPTM faz um trabalho eficaz.

  2. Avatar

    MRS pare de falar besteira e invista num projeto decente para Barra Mansa,
    vocês estão passando um tráfego 10 vezes maior do que o que era nos anos 60,
    quando população de Barra Mansa era de 10 vezes menos.
    Façam duas travessias subterrâneas e 3 viadutos, coisa de MMR$ 60 , aí podem
    criticar no que quiser, pois só a população não ganha nada nessa privatização do PSDB
    que só facilitou os empresários.

    • Avatar
      Nilson machado do pinho

      Esta mrs,é uma praga,não respeita a populaçao ,buzina a noite toda,é um lixo de empresa,além de pagar péssimos salarios aos coitados dos funcionários.

    • Avatar

      Travessia subterrânea? Viaduto? Já existem viadutos nessa cidade, o que precisaria ser feito é murar, isolar a linha do fluxo urbano, para forçar os veículos a utilizá-los… Construir novos viadutos ou passagens subterrâneas implica em espaço para se fazer as alças e vias de acesso, coisa que não existe em Barra Mansa…

    • Avatar

      Campeão
      Cuida da sua cidade.
      Aqui é Barra Mansa.
      Abraço

  3. Avatar

    De acordo com a matéria,a MRS nega que comete negligência a malha ferroviária que corta Barra Mansa é uma zona de muito perigo as autoridades ignora é o setor da MRS também a muitas passagem de nível com assesosa pedestre pode se ver do bairro SAUDADE até o Sesi a população continua as margens da linha férrea, mal sabe que nos dias de hoje as locomotivas trafegam com maior velocidade,sem moderação,os maquinista como norma de segurança desparam os apitos não querem saber o dano que estão causando,mais quanto a velocidade se descarrilhar uma composição não podemos imaginar o que pode acontecer.

    • Avatar

      A concessionária cumpre o que exige a legislação. Se o babaca quer desafiar uma locomotiva com se carro, que se dane. Só não reclamar depois quando der merda.

  4. Avatar

    No caso da passagem em frente a Saint Gobain é uma inverdade da MRS, o local é extremamente perigoso, não dá ângulo de visão!! O correto ali é voltar a cancela com o operador que existia antes ou a prefeitura inutilizar aquela passagem com muro.

  5. Avatar
    capeta da grota do santa cruz

    Não se usa mais o trema (¨), sinal colocado sobre a letra u para indicar que ela deve ser pronunciada nos grupos gue, gui, que, qui. Atenção: o trema permanece apenas nas palavras estrangeiras e em suas derivadas. Exemplos: Müller, mülleriano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document