segunda-feira, 21 de junho de 2021 - 14:03 h

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Prefeitos endurecem medidas restritivas e pedem mais leitos ao governador

Prefeitos endurecem medidas restritivas e pedem mais leitos ao governador

Matéria publicada em 29 de março de 2021, 18:23 horas

 


Decisões foram tomadas durante encontro online dos chefes do Executivo com o governador Claudio Castro

Ednardo conversa com o governador Claudio Castro durante reunião virtual
(Foto: Prefeitura de Pinheiral)

Sul Fluminense – Em virtude do aumento de casos da Covid-19 e falta de leitos no Hospital Regional, o presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paraíba (Cismepa) e prefeito de Pinheiral, Ednardo Barbosa, esteve reunido nesta segunda-feira, 29, com os prefeitos de Volta Redonda, Antônio Francisco Neto; de Resende, Diogo Balieiro; de Barra Mansa, Rodrigo Drable secretários de Saúde e secretários de saúde e representantes dos 12 municípios da região do Médio Paraíba em uma reunião que contou com a presença virtual do governador do Estado, Cláudio Castro e do deputado estadual, Gustavo Tutuca. Esteve presente, também o deputado estadual Marcelo Cabeleireiro.

Ficou acordado durante o encontro que o comércio, incluindo restaurantes, bares, lanchonetes, pizzarias e afins nos municípios de Pinheiral, Barra Mansa, Volta Redonda e Quatis funcionará das 09 às 17 horas até próximo domingo, 04, sendo das 11 às 15 horas no fim de semana. A partir das 17 até à 00 hora, só será permitido atendimento por sistema de delivery. As medidas do novo decreto 2.998, de 29 de março, passa a valer a partir desta terça-feira, 30. Na ocasião, o prefeito Ednardo Barbosa fez apelo ao governador para que o DETRO (Departamento de Transportes Rodoviários) apure as denúncias de superlotação do transporte intermunicipal que prejudica em especial, a população de Pinheiral.

Ficou acordado também entre a cidades a proibição da música ao vivo ou espaço de dança. Em Pinheiral, o comércio de rua, incluindo feiras livres, comércio ambulante e atividades autônomas (barbeiro, manicures, cabeleireiros e afins) e liberais (consultórios de fisioterapia, odontológicos e outros, escritórios de contabilidade, advocacia e outros) continuará o funcionamento de segunda a sábado, das 9 às 18 horas.

Em conjunto por meio do Cismepa, ainda solicitaram ao governador a abertura de mais 50 leitos para regulação regional no Hospital Regional Zilda Arns; prioridade para cidades do Médio Paraíba nos leitos já abertos e demais que ainda vão abrir; apoio para adquirir Insumos que permitam intubação orotraqueal; apoio para adquirir respiradores, monitores, bombas infusoras e demais equipamentos que permitam abertura de leitos e acesso aos relatórios da central de regulação para ver a origem dos pacientes que estão entrando no Hospital Regional.

O prefeito Ednardo Barbosa, assim como os demais prefeitos, prioriza que os leitos de UTI no Hospital Regional sejam priorizados para moradores da região.

“Nossa pauta de hoje foi sobre a questão da Covid-19 na região e foi unânime entre os prefeitos e secretários presentes tentar expandir o número de leitos do Hospital Regional. Queríamos pedir também para que olhe com relação à questão da regulação que seja mais de forma regional e dando prioridade ao Médio Paraíba. Além disso peço em relação as ações que municípios da região necessitam da atuação do DETRO para a fiscalização de linhas de transporte intermunicipal, com a questão dos ônibus superlotados. Já existe um decreto que prevalece o limite de até 50% em cada veículo, temos dificuldade desse cumprimento, já que não é atribuição direta do município. Agradeço a presença do Governador neste dia em que comemora o seu aniversário e também do deputado estadual, Gustavo Tutuca e do Deputado, Marcelo Cabeleireiro que participaram dessa reunião” pediu Ednardo.

Em sua fala, o governador Cláudio Castro, disse que já deu aval ao secretário estadual de saúde, Carlos Alberto Chaves, para atender as solicitações dos prefeitos.

“Orientei o Doutor Chaves que tirasse um pouco de cada local na Região dos Lagos e aí também no Hospital Regional de pacientes. Não é só aí, mas em todo o Estado está ruim. Uma hora dura e de turbulência que nós temos que passar juntos. Eu imagino como seja a angústia de cada prefeito, já que estão mais próximos do Cidadão. Temos consciência que vocês sofrem, mas essa pressão do que eu. Entendo que esse atendimento tem que ser mais regionalizar o possível, já dei essa autorização ao doutor Chaves e acredito que com abertura desses quase 900 leitos que vão estar abrindo vai ser um início de diminuição da procura do SUS que acaba afetando vocês”, disse o governador.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. As autoridades não falam em tratamento precoce. Parece que a idéia é mesmo aumentar os óbitos e talvez conseguir um levante da população contra o executivo federal.
    Um dia a “boleta” chega.

Untitled Document