segunda-feira, 29 de novembro de 2021 - 12:09 h

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Projeto incentiva apadrinhamento de adolescentes em vulnerabilidade social

Projeto incentiva apadrinhamento de adolescentes em vulnerabilidade social

Matéria publicada em 9 de março de 2021, 08:11 horas

 


Projeto incentiva apoio a adolescentes em vulnerabilidade social (credito Divulgação)

Pinheiral – A Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, por meio do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, está convocando pessoas interessadas em participar do projeto “Apadrinhar: Amar e Agir para Realizar Sonhos”, para acolher crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade. O objetivo é contribuir para o desenvolvimento educacional, social e profissional, além de propiciar a vivência de vinculação afetiva com um grupo familiar, favorecendo o desenvolvimento do sentimento de pertencimento e de segurança emocional. Os interessados devem entrar em contato com a Casa Abrigo através do número (24) 99987-4729 (whatsapp).

O programa estabelece três modalidades de apadrinhamento, sendo eles o “Apadrinhamento Afetivo”, onde o voluntário visita regularmente o afilhado e o busca para passar fins de semana, feriados ou férias escolares em sua companhia, proporcionando as promoções social e afetiva e revelando a ele as possibilidades de convivências familiar e social saudáveis que gerem experiências gratificantes. Para essa modalidade os requisitos de participação consistem em ser maior de 18 anos, ter diferença de 16 anos entre padrinho e afilhado e ter disponibilidade de tempo para se dedicar ao afilhado.

Há também a modalidade “Padrinho Provedor”, onde o participante dá suporte material ou financeiro à criança e ao adolescente, seja com a realização de obras nas instituições de acolhimento, doação ou compras de móveis, aparelhos, de equipamentos, de utensílios, de materiais escolares, de calçados, de brinquedos ou com o patrocínio de cursos profissionalizantes, reforço escolar, prática esportiva e, até mesmo, por meio de uma contribuição mensal em dinheiro em conta-poupança, que será aberta em nome do afilhado com movimentação somente mediante autorização judicial, ou quando de sua maioridade civil. Os requisitos para essa modalidade são ter condições financeiras para as contribuições e ser maior de 18 anos.

Por último, há a modalidade “Padrinho Prestador de Serviços”, que se cadastra para atender às necessidades institucionais de crianças e/ou adolescentes, conforme a sua especialidade de trabalho, sendo um fornecedor de serviços médicos, odontológicos, estéticos e afins. O requisito é ser maior de 18 anos.

De acordo com Cláudia Cambraia, coordenadora da Casa Abrigo, o objetivo é conseguir que a cidade se envolva no projeto e faça parte da mudança do futuro das crianças e adolescentes presentes na Casa Abrigo.

“Apesar do projeto não ser diretamente nosso, sempre tivemos vontade de implementá-lo aqui, pois é uma ação muito importante que faz toda a diferença na vida das nossas crianças e adolescentes. O apadrinhamento é uma atitude muito simples que pode ser realizado de diversas maneiras, através de um cabeleireiro que oferece um corte de cabelo, de um dentista que oferece um tratamento dentário e até mesmo até a pessoa que leva a criança ou o adolescente para um passeio de fim de semana. É importante ressaltar que o interessado precisa estar ciente que ele não poderá adotar a criança por meio desse programa, se isso se tornar uma vontade, será preciso entrar na fila oficial de adoção”, explicou.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document