sexta-feira, 30 de julho de 2021 - 04:58 h

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Samuca afirma que data de flexibilização independe dele

Samuca afirma que data de flexibilização independe dele

Matéria publicada em 27 de abril de 2020, 16:27 horas

 


Prefeito lembra que existe sentença judicial obrigando a manter medidas de restrição de convívio social

Prefeito reafirma que comércio varejista deve funcionar a partir de 11 de maio

Volta Redonda – O prefeito Samuca Silva disse, em transmissão ao vivo pelas redes sociais nesta segunda-feira (27) que continua a conversar com o Ministério Público do Estado do Rio (MPRJ). Ele afirmou que a proposta feita por comerciantes para que haja a flexibilização a partir do dia 5 de maio não depende dele.

“A data não depende do prefeito. É uma questão técnica. Existe uma sentença judicial nesse sentido”, disse Samuca.

Samuca se referia ao fato de os presidentes da Aciap-VR (Associação Comercial, Industrial e Agropastoril de Volta Redonda), Luís Fernando Soares Cardoso e da CDL-VR (Câmara de Dirigentes Lojistas de Volta Redonda), Gilson de Castro, terem participado de uma reunião com uma equipe de secretários municipais para discutir a reabertura do comércio.

Na reunião, os secretários apresentaram a proposta da prefeitura, que traz a flexibilização a partir do dia 04/05, para alguns setores; e para o dia 11/05, para o comércio varejista. ACIAP-VR e CDL-VR reforçaram a importância de reabrir as lojas até o dia 05/05, por causa do Dia das Mães, a segunda melhor data para o comércio em vendas.  A flexibilização seria feita por período de seis horas de funcionamento. Além de antecipar essa reabertura para o dia 05/05 com opção de três horários, de 9 às 14h; de 10h às 15h, ou de 11 às 17h. São horários alternativos que a prefeitura pode escolher entre eles e que não batem com a entrada e saída de outros setores, como o da indústria e escritórios, por exemplo, evitando aglomerações.Segundo Gilson de Castro; O Secretário de Desenvolvimento Econômico, Rogério Loureiro entendeu a preocupação das entidades e se dispôs a levar a contraproposta das entidades para o prefeito Samuca Silva, com todas as considerações feitas durante a reunião. “Sentimos que ele se mostrou interessado em fazer essa ponte favorável com a prefeitura para que haja uma conciliação entre o Governo Municipal e o Ministério Público. Nossa preocupação é garantir vidas e empregos. A economia precisa voltar a andar”.

Luís Fernando , da Aciap-VR, lembrou que desde o início das negociações para flexibilizar a reabertura do comércio, as entidades têm sido defensoras das medidas preventivas para evitar a disseminação do novo coronavírus. “Não queremos abrir de forma irrestrita. É preciso manter as ações protetivas como usar máscaras, álcool a 70%, higienização das superfícies de contato e manter em casa os funcionários com mais de 60 anos, gestantes, portadores de doenças crônicas e que apresentem algum sintoma de síndrome gripal. Precisamos voltar a funcionar, com todas as precauções necessárias. E o Dia das Mães é essencial para que se consiga recuperar esse fôlego do comércio”, reafirmou.

Samuca reafirmou, na transmissão ao vivo, que não haverá abertura antes de 11 de maio, justamente para evitar aglomerações por causa do Dia das Mães.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Samuca está se mostrando um verdadeiro mestre nesse jogo. Sem arroubos, sem exasperações, sem dar tapas na mesa. Muito técnico e sistemático, e isso incomoda. Mas povo gosta de governante “pai d’égua”, figurão…

  2. Agora somos governados por um bando de juízes e promotores que não tiveram voto popular, mas se acham deuses acima do bem e do mal.

  3. Tem gente que joga damas.

    O Prefeito joga xadrez….

Untitled Document