terça-feira, 17 de setembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Sindicatos de rodoviários se unem por retomada de negociações na região

Sindicatos de rodoviários se unem por retomada de negociações na região

Matéria publicada em 15 de agosto de 2019, 15:45 horas

 


Objetivo é destravar conversas com o Sindpass, que manifestou interesse em alterar as datas-base para dezembro

Intenção de sindicalistas é pressionar pela abertura de negociações
(Foto: Paulo Moreira)

Volta Redonda – Representantes dos sindicatos de rodoviários de Volta Redonda, Barra Mansa e Resende se reuniram na manhã desta quinta (15) na sede do Sindicato dos Rodoviários de Volta Redonda, no bairro Aterrado, para discutirem estratégias que têm como objetivo convencer o SindPass, que representa as empresas de ônibus da região, a negociar os acordos coletivos da categoria nesses municípios.

As soluções que eles encontraram para o impasse foram o recurso ao Ministério Público do Trabalho, para que o órgão “force” a retomada das discussões, ou o início de mobilizações para paralisações, possivelmente em conjunto nos três municípios, caso não haja sucesso na ação do MPT.

O presidente da Federação dos Rodoviários do Estado do Rio, Antônio Freitas Tristão, o Índio, também participou do encontro. Ele manifestou seu apoio à categoria , mas deu indicações de que a federação está com limitações na capacidade de poiar as iniciativas dos sindicatos.

— A situação no Rio está muito pior do que aqui, tanto para as empresas quanto para os trabalhadores. Lá as empresas estão fechando, e o sindicato já perdeu dois mil dos oito mil associados que tinha, tudo devido ao desemprego — afirmou.

Nos casos dos três sindicatos, eles relatam que o representante das empresas tem afirmado que pretende transferir a data-base para dezembro.

— Vamos fazer uma pressão coletiva, mas a negociação será com cada sindicato de trabalhadores — afirmou José Gama, o Zequinha, presidente do Sindicato dos Rodoviários de Volta Redonda, acrescentando que, no caso de Volta Redonda.

Em cada uma das três bases dos sindicatos, há diferentes situações: em Volta Redonda, o Sindpass afirma que não há reajuste de tarifa desde 2017, quando o preço da passagem passou de R$ 3,30 para R$ 3,80, e há quatro empresas operando as linhas municipais; em Barra Mansa, onde há apenas um consórcio operando todas as linhas municipais, também não houve reajuste de tarifa. Já em Angra dos Reis, houve reajuste em dezembro do ano passado, com mais de um valor sendo praticado nas linhas municipais, operadas por apenas uma empresa. Em Volta Redonda e Barra Mansa, as prefeituras já descartaram reajuste de tarifa em 2019, o que leva as empresas, segundo o Sindpass, a terem dificuldades financeiras.

Os representantes dos três sindicatos afirmaram que os rodoviários das respectivas bases se recusam a aceitar a nova transferência da data-base:

— Quando houve a mudança de março para junho, já tivemos que lidar com a insatisfação deles, imagine agora, de junho para dezembro — disse Zequinha.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

4 comentários

  1. Avatar

    Só o preço que aumenta, a qualidade do serviço nunca acompanha. Transporte público em Volta Redonda está decadente, atrasos, descumprimento dos itinerários, linhas com apenas um único ônibus onde o passageiro tem que esperar mais de uma hora no ponto, ônibus estragados, má planejamento do trajeto. Podiam contratar uma pessoa para circular nos ônibus e ir anotando todos defeitos e tentarem melhorar algo. Se o serviço fosse bom, não haveriam protestos com os aumentos.

    • Avatar
      Morador Mariana Torres

      Na linha 455 fazendinha sul fluminense o reajuste tem que ser zero. ônibus sucateados e sem horário definido fora as quebras constantes graças a Deus essa desgraça vai sair fora da linha e voltar o 410 que é nosso direito.

  2. Avatar
    Morador do bairro Santa Cruz

    Eu acho que antes de pensar em aumentar passagem tinha que pensar em melhorar os ônibus principalmente os horários que realmente tá uma zona não tem horário mais certo para nada no bairro Santa Cruz lá está largado os ônibus só vive lotado eu não sei o que que acontece que esses Vereador esses pessoal não vê nada e a mudança de empresa cadê não se fala mais nada o povo de lá já está cansado de sofrer de uma coisa eu tenho certeza a eleição tá chegando e com certeza vai aparecer um monte de vereador lá no bairro!!!!!!

  3. Avatar

    E os ônibus intermunicipais, que sofreram redução de tarifa por três anos seguidos em várias linhas? Por que só falam da falta de reajuste nas linhas municipais?…

    Outra coisa. Criaram outro sindicato em Resende? A matéria está confusa demais…

Untitled Document