sexta-feira, 14 de maio de 2021 - 05:18 h

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Três municípios da região saem da bandeira vermelha para a laranja

Três municípios da região saem da bandeira vermelha para a laranja

Matéria publicada em 16 de abril de 2021, 19:21 horas

 


Risco de contaminação pela Covid-19 passa de alto para moderado em Piraí, Quatis e Porto Real

Mapa de Risco mostra três municípios da região na bandeira laranja, de risco moderado

Médio Paraíba – O Mapa de Risco para Covid-19 da Secretaria Estadual de Saúde indica que Piraí, Quatis e Porto Real saíram da classificação vermelha, de risco “Alto”, para a laranja, de risco “Moderado”, em relação à pandemia de Covid-19. Os outros municípios do Médio Paraíba e da Costa Verde continuam na classificação vermelha, estáveis em relação ao mapa anterior.
A taxa de risco calculada para os municípios leva em consideração os seguintes fatores: variação do número de óbitos por Covid-19; variação do número de Casos da doença (internações); taxa de testes positivos para Covid19; taxa de ocupação de leitos de enfermaria; taxa de ocupação de leitos de UTI e tempo estimado para esgotamento dos leitos de UTI.
Em termos regionais, a região Metropolitana I está classificada com risco Muito Alto(bandeira roxa); e as demais regiões do estado (Baía de Ilha Grande, Centro Sul, Litorânea, Médio Paraíba, Metropolitana II, Noroeste, Norte e Serrana) estão classificadas com risco Alto(bandeira vermelha).
Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, “É importante salientar que municípios de pequeno porte são mais impactados nos indicadores relativos por pequenas diferenças em números absolutos, ou seja, variar de um óbito para dois em uma semana impacta em um aumento de 100%, resultando em uma alta pontuação total. As taxas de ocupação utilizadas são as regionais, considerando a regulação única, pois esta representa melhor a situação local por não penalizar os municípios de pequeno porte”.

Leitos fora da regulação

Segundo nota emitida pelo setor de Imprensa da Alerj, o secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Chaves, revelou que há no sistema de regulação do estado 3.550 leitos destinados à covid-19, contando com as redes públicas estadual, municipal e federal, além da rede filantrópica e da rede privada.
Mas levantamento da Secretaria Estadual de Saúde (SES) mostrou que 345 leitos de CTI e 1.239 de enfermaria estavam fora do sistema de regulação.
“Não é ilegal, mas é imoral. Seriam de grande ajuda na pandemia. As informações foram passadas para o Ministério Público”, afirmou o secretário.

Kits

Sobre a compra de kits de intubação, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) informou que começaram a chegar, na quinta-feira, os medicamentos da compra nacional, que já estão sendo distribuídos aos municípios e hospitais do estado. A SES também pretende acelerar três aquisições emergenciais em curso.
Esses medicamentos vão ser distribuídos a unidades do Plano de Contingência Covid, além de Upas e salas vermelhas que estão fazendo intubação.
O secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, disse que houve crescimento no número de médicos na rede, chegando a 3 mil no momento. Mas reafirmou que o desafio para a abertura de leitos ainda é a alocação de profissionais.
“O município do Rio não tem problema de estrutura de leitos, o que falta é ter recursos humanos. Viemos de uma gestão que demitiu seis mil profissionais, e estamos trabalhando nesta recomposição”, afirmou.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Avatar

    A guerra biológica está aí,uma conspiração em nossa Pátria,pois à um povo líder na desobediência, nunca vimos uma guerra em nossa Pátria amada,se fosse atingido os nossos rios que seríamos de nós

  2. Avatar

    Meu Deus quando esse vírus será controlado?

    Tá difíci se criança, adulto ou idoso!

    A vida se resume a sobreviver , pagar as contas , trabalhar, estudar e contar mortos!

    • Avatar
      Usem máscaras! Não aglomerem!

      São pelo menos 45 mil crianças e adolescentes que, no cálculo do Ipea, perderam pai e mãe na pandemia, muitas delas vivendo em extrema dificuldade e sem contar com nenhuma ajuda do estado — financeira ou psicológica.

      Usem mascaras pelos seus filhos, pelos seus pais!!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document