quarta-feira, 23 de setembro de 2020 - 23:03 h

TEMPO REAL

 

Capa / Saúde / Médico orienta sobre a convivência com pacientes infectados pelo Covid-19

Médico orienta sobre a convivência com pacientes infectados pelo Covid-19

Matéria publicada em 28 de março de 2020, 13:59 horas

 


Prezar sempre pela limpeza e higiene são importantes para evitar o contágio
(Foto: Arquivo)

Volta Redonda– A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) trouxe um misto de sensações à população brasileira. Há muitos relatos de solidariedade e união, mas também há muito medo e, com ele, o preconceito. Em algumas cidades já há relatos de pessoas, com confirmação ou suspeita da doença, que estão sendo vítimas de retaliações e atos preconceituosos.

O DIÁRIO DO VALE conversou com o médico pneumologista, Gilmar Alves Zonzin, sobre a situação para esclarecer a população.
– Precisamos conter o pânico. Temos visto muitas fakenews, para os dois lados (bem e mal). Não se trata de uma situação simples, por outro lado não é uma catástrofe, não é apocalíptica. É típico de toda pandemia todos terem o contato com o vírus, o que estamos procurando evitar é que todos fiquem doentes ao mesmo tempo e, consequentemente, sobrecarregar o sistema de saúde. O que estamos fazendo neste momento é retardar a dispersão do vírus, mudar o cenário e reduzir o impacto, já que ele se espalha muito rápido – pontuou.

Com relação à disseminação do Covid-19, o médico esclarece que ele não é transmitido pelo ar, como acontece com outras doenças.
– A transmissão acontece com a proximidade com o doente, pelo toque, gotículas de saliva, objetos ou superfícies contaminadas. Não é como o sarampo, que é mais infectivo, que a contaminação acontece pelo ar. O novo coronavírus não tem essa natureza – explicou.

Por conta disso, o médico esclarece que as pessoas devem ter cuidado, mas não preconceito por estar próximo de um paciente em isolamento domiciliar.
– A vizinhança deve manter os mesmos cuidados que já tem tendo normalmente. Pois as pessoas podem ter contato com o vírus em qualquer lugar, não é que por um vizinho contaminado que você está mais exposto. As pessoas devem preservas os cuidados de higiene e limpeza e se lembrar de que o vírus não se transmite pelo ar, não percorre frestas – reforçou.

Com relação ao convívio e a proximidade com os infectados e os suspeitos, sintomáticos e/ou assintomáticos, o médico esclarece que os cuidados devem ser seguidos de acordo com o recomendado pelos órgãos de saúde.
– O ideal é que a pessoa doente fique em um cômodo exclusivo, se possível com um banheiro. É importante que ela evite circular nos demais ambientes da casa. Coso precise utilizar outras dependências, como o caso do banheiro, é importante que a pessoa faça a limpeza de torneias, maçanetas e outros locais que o infectado tenha contato logo após o uso. No caso de utensílios domésticos, como copos e talheres, é importante também que sejam separados do uso das demais pessoas. Com relação a roupa, é ideal que os não infectados evitem o contato manual ao lavar, quem for fazer esse processo pode usar luvas e descarta-las logo em seguida. Enfim, é importante prezar sempre pela higiene – explicou.

Ainda sobre o contato com pacientes em áreas comuns, como elevadores e portarias, o médico esclarece que ele deve ser prezando sempre pelos cuidados e em último caso.
– O paciente que precisar sair de casa, como no caso de ir ao hospital, ele deve usar máscara e evitar o tocar com corrimão, maçaneta e outros pontos. Evitar o contato com os itens de uso comum é importante para não deixar rastro do vírus – disse.

Sobre o período de incubação, ou seja, período em que os sintomas surgem desde a infecção no organismo, o médico diz que pode ser até 14 dias. Já com relação a transmissão, de uma forma geral, ocorre apenas enquanto persistirem os sintomas.
– O período de incubação é de até 14 dias, mas os dados são muito variáveis e cada organismo reage de forma diferente. Estudos mostram que a fase sintomática a transmissão pode ser maior. Com relação a cura do pacientes, isso vai depender de cada caso, os mais graves podem se prolongar mais e vai haver também aqueles que não ser infectados, mas não vão sentir nada. Os diagnosticados, mesmo que já perceberem os sinais de melhora, devem continuar seguindo as orientações de isolamento e voltar ao dia a dia normal após a liberação médica – alertou.

Ainda com relação ao isolamento, o médico destaca que o paciente deve tentar aproveitar o tempo da melhor forma, para assim cuidar da sua saúde mental.
– Tem que ter bom senso sempre, evitar assistir os noticiários, pois muitas vezes eles podem trazer medo. Deve sim estar bem orientado. É bom aproveitar esse tempo para fazer as coisas que estavam ficando pra depois, a gente sempre reclama que estamos sem tempos. Essa é uma oportunidade pra ler aquele livro, assistir aquelas séries e evitar ao máximo as coisas negativas, que colocam o emocional pra baixo. Não ficar fantasiando, é importante ocupar o tempo e ter filtro – finalizou.

Por Amanda Teixeira 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

6 comentários

  1. Avatar

    Excelente!

  2. Avatar
    Pedro Francisco silva Neto

    Varias empresas ajudando como pode o pais .A Globo tocando terror na população e jogando a favor de quanto pior melhor para obter audiência .Colocando bem grande a foto do virus em todos as chamadas do jornalismo que faz.Na minha casa já não vejo mais este canal.Espero que o povo observe isto .Deus é maior.

    • Avatar

      Ninguém fala por vergonha mas estão todos expiando a g l o b o lixo e dando audiência.

      Ô gente que gosta de ser enganados! PUTZ!

      Uma fulana hoje disse que assiste e sabe separar a verdade da mentira. Só por isso já se vê que está redondamente enganada pela emissora. Ela nunca verá a seguinte frase lá que diz que quem conta uma mentira muitas vezes, essa mentira se torna uma verdade.

  3. Avatar

    Por incrível que pareça, um médico conhecedor das intempéries de saúde pública, fala dos fatos com clareza e instrui a sociedade com um parecer adequado e sem alarmismo, muito bom; está de parabéns o jornal e o médico. Que outros se mirem nesse exemplo e diariamente postem mensagens de esclarecimentos.

  4. Avatar

    Estou fazendo campanha para deixarem o WhatsApp que trás muitas NOTÍCIAS FALSAS para trocarem e ficarem melhor informados pelo DIÁRIO DO VALE.

  5. Avatar

    Obrigado ao diário do vale e ao médico por nós trazer informações como estás que pela primeira vez foi colocada aqui para nós leitores do diário do vale grande notícia esperamos que muitos leia está notícia que nos traz mais tranqüilidade continue nos informando principalmente com notícias boas .Este é o papel da imprensa qie se preocupe com a população da cidade mais uma vez parabéns e obrigado ao Diário do Vale.

Untitled Document