>
terça-feira, 17 de maio de 2022 - 05:40 h

TEMPO REAL

 

Capa / Saúde / Médicos são capacitados para tratarem dores crônicas e fibromialgia utilizando canabidiol

Médicos são capacitados para tratarem dores crônicas e fibromialgia utilizando canabidiol

Matéria publicada em 18 de março de 2022, 15:14 horas

 


Assunto foi apresentado em evento exclusivo para médicos por empresa farmacêutica de Volta Redonda, na última quarta-feira no Rio

Foto: Divulgação
FarmaUSA capacita médicos na aplicação do canabidiol

Rio e Volta Redonda – Foi realizada na última semana, uma capacitação exclusiva para médicos, organizada pela empresa farmacêutica FarmaUsa, com filial em Volta Redonda, com o objetivo de abordar esse tema importante, devido seu crescimento nos últimos anos e mostrar formas alternativas para que os médicos possam ter como opções um tratamento eficaz e de qualidade em seus pacientes. A empresa tem levado essa capacitação para todo o Brasil.

Segundo a Sociedade Brasileira de Estudos da Dor (SBED) cerca de 60 milhões de pessoas já sentiram algum tipo dor, entre elas a crônica, atrapalhando seu dia a dia. Muitas das vezes tratadas com a morfina afim de amenizarem os sintomas. Pensando nisso, o reumatologista Dr Victor Verztman, que é especialista em reumatologia apresentou uma palestra sobre o poder da cannabis medicinal na dor crônica e da fibromialgia.

“É importante que os profissionais estudem sobre a cannabis para fins medicinais, porque vem surgindo como opção para tratar várias doenças que ainda não têm tratamento nem medicação eficazes”, afirmou o reumatologista.

O diretor técnico da FarmaUSA, Helder Oliveira, também esteve presente no evento e comentou sobre a repercussão da palestra:

“A palestra foi um sucesso. O local do evento contou com a presença de muitos médicos renomados interessados no tema. Ouvi perguntas pertinentes e tenho certeza que o Dr Victor sanou as dúvidas de todos. Cada vez mais a cannabis medicinal vem se tornando uma alternativa muito efetiva para diminuir as dores crônicas. “, destacou Helder.

O evento foi promovido pela FarmaUSA em parceria com Quantum Life Sciences e Medropharm, e foi voltado exclusivamente para médicos.

“O tratamento da dor crônica baseado no uso de antidepressivos não tem muita eficácia e o paciente não tolera pelos seus efeitos colaterais. E a cannabis vem sido vista como mais uma potencialidade para diminuir estes medicamentos. Ela é bem tolerável e bem menos prejudicial à saúde dos pacientes”, comentou Dr Victor Verztman.

Uma pesquisa publicada na revista Pain Physician, diz que a cannabis ajudou a reduzir em até 67% o uso do opióides, medicamentos com efeitos analgéticos e sedativos potentes, para controlar a dor, principalmente a morfina. Pesquisadores do Instituto de Medicina da Dor da Pensilvânia acompanharam pacientes diagnosticados com dores crônicas de perto e perceberam que a taxa subiu para 73%.

“O tratamento não é milagroso e não traz uma cura permanente, mas ajuda muito para quem sofre com qualquer dor crônica. Alguns pacientes que sofrem de ansiedade, que é um tipo de dor crônica, apresentam respostas na qualidade de vida com os medicamentos derivados da cannabis medicinal. Acompanhei um paciente que tinha fibromialgia e distúrbio de sono que em um mês teve melhora após o tratamento com a cannabis. Além disso, também diminuiu drasticamente o uso de medicamentos como antidepressivos”, detalhou o reumatologista.

 

Cannabis medicinal tem aumento de 109,8% nas importações

 

Em 2021, foram autorizadas 40.191 importações de itens para tratamento à base de cannabis medicinal no Brasil. Ou seja, houve aumento de 109,8% comparado a 2020, que registrou 19.150 importações. Dados são da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Um estudo feito pelo Portal The Green Hub destaca que para 2024, o mercado global de Cannabis legal está estimado em U$$ 55,3 bilhões, e que Canadá e EUA deverão ter maior parte deste mercado. Já a América Latina deve responder por U$ 824 milhões no mesmo ano.

 

FarmaUSA

 

A FarmaUSA Pharmaceutical Group foi fundada em 2005, nos Estados Unidos, possui uma filial em Volta Redonda e está construindo um laboratório para produção em massa de produtos no Brasil. Atualmente, eles são produzidos na Suíça e nos Estados Unidos e são importados para o Brasil de acordo com a demanda dos pacientes.

É considerada a primeira Cannabis Medicinal no país por ter criado o primeiro produto com CBD (Canabidiol) isolado e 100% farmacêutico. Atualmente seus produtos são inspecionados e importados, normativa regularizada RDC 335/2020 e 570/2021 pela ANVISA.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document