terça-feira, 2 de junho de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Saúde / Volta Redonda faz atendimento humanizado a gestantes com suspeita de Covid-19

Volta Redonda faz atendimento humanizado a gestantes com suspeita de Covid-19

Matéria publicada em 21 de maio de 2020, 15:48 horas

 


Volta Redonda – A prefeitura de Volta Redonda criou um serviço de tele-saúde específico para gestantes ou mulheres no pós-parto que estão com suspeita de Covid-19. O objetivo é oferecer a elas um atendimento humanizado. Atualmente, onze mulheres, que estão aguardando o resultado do exame, estão sendo beneficiadas com a iniciativa.

De acordo com a médica e responsável técnica da Policlínica da Mulher, Juliana Monteiro Ramos Coelho, a prefeitura ampliou o serviço para as mulheres que estão aguardando o resultado do exame, uma vez que esse monitoramento já é realizado para pacientes que testam positivo.

“A orientação era para que essas pacientes ficassem em casa em isolamento ou internadas. Pensamos numa forma de monitorar os sintomas dessas mulheres que estavam em casa, uma vez que as gestantes e puérperas são do grupo de risco. Nossa preocupação era que os sintomas piorassem e elas não percebessem. Então criamos esse serviço de tele saúde, onde os médicos da policlínica da mulher ligam diariamente para cada uma elas”, explicou a médica.

Com a iniciativa, foi detectada uma melhora na questão emocional dessas pacientes, que ficavam muito angustiadas e ansiosas pela espera do resultado do exame e por saber que existe a suspeita da doença. “Por estarem grávidas, elas já são uma população emocionalmente mais suscetíveis por questões hormonais. Observamos que o apoio desses médicos e o suporte psicológico que também estamos fazendo por telefone ajudava no isolamento”, disse a médica.

O secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, destacou que o serviço ainda possibilita que essas mulheres fiquem em isolamento, preservando a sua saúde e de toda a população. “Agora elas não precisam mais sair de casa. Todos os dias elas recebem a ligação e são orientadas sobre os sintomas e como agir, caso o quadro agrave. Isso trouxe para elas mais tranquilidade. Perguntas básicas como: ‘está com falta de ar? Teve febre? Foi persistente?’ são realizadas durante o monitoramento por telefone e vai determinar o tipo de atitude que as grávidas e puérperas deverão ter”, disse o secretário.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Avatar

    Só faltava essa. Por acaso o atendimento às gestantes foi algum dia desumano???

    • Avatar
      Felippe Gottsching

      Tá faltando serviço moça ?
      Louça lavada? Roupa passada, comida pronta ? Tudo certo ?

      Vai ler um pouco sobre atendimento humanizado e seus benefícios, e depois volte aqui para apagar esse comentário esdrúxulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document