terça-feira, 21 de maio de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / A crítica que impulsiona

A crítica que impulsiona

Matéria publicada em 26 de janeiro de 2019, 11:54 horas

 


Coluna de hoje traz como assunto o pensamento critico

Sabemos acerca do processo da ostra e a produção das pérolas, isso nos prova que é diante das adversidades que nos desenvolvemos com mais plenitude. Dessa forma, podemos entender como habilidade importante para este século, a capacidade de desenvolvimento do pensamento crítico. Focar na solução de um problema e não nos culpados ou causadores é uma ferramenta importantíssima para a capacidade de bom desempenho para o desenvolvimento individual e, consequentemente, coletivo. Ter a capacidade de elaborar críticas com propostas de solução ou mesmo atenuação de determinado problema é uma capacidade cada vez mais necessária para um planeta com recursos limitados.
Os grandes pensadores críticos são pessoas equilibradas, que praticam a moderação para se precaver contra os perigos do pensamento excessivo ou descuidado. São favoráveis a se adequar e a pensar conscientemente sobre as situações que encontram. Criar alternativas equilibradas para as soluções dos problemas, cada vez mais complexos na contemporaneidade. A adaptação também está ligada ao pensamento crítico, pois a adaptabilidade dos indivíduos certamente faz a diferença entre o sucesso e o insucesso.
Verdadeiros pensadores críticos são disciplinados quanto à função de resolver situações. Eles honram o rigor do trabalho, as rotinas e os hábitos que levam ao resultado esperado, além de exercitar a inteligência emocional por meio da autoconsciência e do autocontrole. Disciplina é uma habilidade extremamente necessária em qualquer área do desenvolvimento humana e, como habilidade, pode ser praticada. Se não temos disciplina para estudar quatro horas seguidas, que tal iniciarmos com apenas 30 minutos e, gradativamente, aumentar o tempo investido no estudo, por exemplo.
Pensadores críticos bem-sucedidos focam nos objetivos, e não nos obstáculos. Eles não dão as respostas, mas sim a oportunidade de resolver o problema. Qual o nosso foco diante de um problema? Nos culpados ou nas soluções?
É importantíssimo que nós, seres atuantes do século XXI, juntamente com nossos alunos, filhos, amigos, funcionários ou mesmo familiares tenhamos a capacidade de rever criticamente nossos atos e paradigmas, pois somente assim iremos nos desenvolver com plenitude. As perguntas realmente movem o mundo e permitem que ele se transforme, sob essa perspectiva, podemos indagar acerca de nosso consumo, se ele é ou não consciente; podemos indagar sobre nossos sonhos, nossas metas, se são ou não mensuráveis, se farão bem para nós ou para a sociedade na qual estamos inseridos; podemos nos perguntar se estamos deixando um legado, se estamos contribuindo com nossa comunidade, será? O pensamento crítico pode, inclusive, passar sobre a compra de produtos com mais ou menos tecnologia, se são produtos oriundos de empresas que cuidam do meio ambiente, dos seus funcionários ou não?
Atuar neste mundo com o pensamento crítico faz com que sejamos condutores de nossas próprias vontades, que sejamos protagonistas de nossa própria vida. Isso é fundamental para o equilíbrio e manutenção de nossa saúde.
O pensamento crítico deve, portanto, fazer parte do cotidiano de quem deseja crescer e contribuir para um mundo melhor, pois quando somos críticos, inconformados com as situações que se apresentam problemáticas, certamente poderemos transformar o mundo a nossa volta e, principalmente, a nós mesmos. Dessa forma, todos vamos lucrar.

Boa leitura, TMJ!
Raphael Haussman. É professor, Coach, consultor e apaixonado por educação e desenvolvimento humano e, ainda, pai da Raphaela e do Theo.

Nosso dicionário:
A ostra e a produção das pérolas – A verdade é que as pérolas são um mecanismo de defesa das ostras contra objetos estranhos que acabam parando no interior das conchas. Quando um grão de areia, um parasita ou qualquer outro material orgânico entra em contato com a manta que protege os órgãos internos do molusco, tem início o processo de produção de uma pérola.
Autoconsciência – Consciência que reflete sobre si própria, sobre sua condição e seus processos.
Autocontrole – Autocontrole é a capacidade de controlar as emoções e os desejos, é a capacidade de gestão de uma pessoa para o seu futuro.
Pensamento crítico – É um julgamento propositado e reflexivo sobre o que acreditar ou o que fazer em resposta a uma observação, experiência, expressão verbal ou escrita, ou argumentos.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

4 comentários

  1. Avatar

    O problema não é a criticar.

    O problema não é o que diz e sim a maneira correta de dizer.

    Principalmente com crianças, os pais podem criticar uma atitude da criança, fazendo ela melhorar, mas podem também criticar de maneira que tire sua auto estima .

    As pessoas que mais gostamos são as que tem o maior poder de nos ofender e magoar …

  2. Avatar

    Pelo narrado vc não assimilou nada. Continuas fazendo discusinhos razos, preconceituosos, dono da verdade absoluta, parcial, sem respeito a opioes diferentes dos seus devaneios, enfim não aprendeu nada……

  3. Avatar

    Você será uma pessoa melhor,baseado na críticas que recebe era para parar de falar tanta besteira,mas vindo de um cretino vais continuar.

  4. Avatar

    Eu prefiro as pessoas que me criticam do que as que me elogiam, pois é através da crítica consciente que desenvolvo melhor meu corpo e minha mente! Só não gosto das críticas que recebo aqui, pois não são baseadas na verdade, mas, simplesmente, na mentira, com a intenção de me intimidar e fazer que eu não escreva mais nada!
    Nos sistemas ditatorias como Venezuela, Cuba, Coréia do Norte, etc… não se pode criticar o dirigente máximo do país nem seu partido, e assim se abre espaço para péssimas administrações que levam ao aumento da pobreza e da morte das crianças! Pois no sistema democrático se pode criticar livremente o presidente, mesmo que essa crítica seja falsa, mentirosa ou, simplesmente, instrumento para destruir aos poucos a imagem do governante e abrir espaço para os outros…
    Como diria Santo Agostinho: “Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me elogiam, porque me corrompem.”

Untitled Document