>
segunda-feira, 4 de julho de 2022 - 09:48 h

TEMPO REAL

 

Capa / Tempo Real / Acciona diz que agiu dentro da lei na demolição de ocupações irregulares em Barra do Piraí

Acciona diz que agiu dentro da lei na demolição de ocupações irregulares em Barra do Piraí

Matéria publicada em 1 de outubro de 2015, 22:00 horas

 


BR-393: Construções às margens da rodovia foram destruídas pela concessionária que administra o local (Foto: Franciele Bueno)

BR-393: Construções às margens da rodovia foram destruídas pela concessionária que administra o local (Foto: Franciele Bueno)

Barra do Piraí – A Acciona, concessionária que administra a Rodovia Lúcia Meira (BR-393), através de sua assessoria de comunicação, respondeu aos questionamentos do DIÁRIO DO VALE sobre a demolição de construções às margens da pista ocorrida na manhã de quarta-feira. Segundo a empresa, ela agiu em conformidade com as obrigações contratuais previstas no programa de exploração de rodovia para a preservação de sua faixa de domínio.

Ainda segundo a concessionária, a empresa tem a obrigação permanente de verificar possíveis tentativas de ocupações irregulares, tanto com relação à construção de moradias e pontos comerciais, quanto à implantação não autorizada de equipamentos, torres, dutos, cabos, posteamentos, entre outros tipos, além da abertura de novos acessos não autorizados à rodovia.
A Acciona frisou que notificou previamente os proprietários para a retirada das ocupações irregulares, inclusive tomando medidas judiciais, mas como não houve o cumprimento do prazo determinado, agiu de acordo com a obrigação contratual. A ação contou com o apoio da Polícia Rodoviária Federal.

Entenda o caso

O DIÁRIO DO VALE esteve anteontem na Rua 1, no distrito da Califórnia, em Barra do Piraí, onde a população estava revoltada com a Acciona. Segundo populares, por volta das 11h a empresa, com apoio da PRF, deu início às demolições de construções que estavam há quase uma década às margens da rodovia. A ação, segundo os moradores, aconteceu sem nenhum aviso prévio.
O que deixou populares ainda mais indignados não foi só a derrubada das construções, mas sim porque alguns locais como: bares, lanchonetes e borracharias que possuem as mesmas características das que foram destruídas continuaram intactos.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Já passou da hora de retirar essas invasões da beira da pista antes que isso aqui vire uma Seropédica e comecem a ter que encher a pista de quebra-molas.Pior ainda o prefeito Neto pedir pra concessionária mudar o trajeto do fluxo gastando bem mais do que o projeto original pra beneficiar poucas famílias em detrimento de milhares de pessoas que passam por ali diariamente que perderão mais tempo no trajeto e ainda terão de arcar com o aumento do custo das obras. Um absurdo politico como outros que fez as margens do rio paraíba na vila Americana e Aero clube virarem verdadeiras favelas. Só pra ganharem votos das minorias invasoras.

Untitled Document