Advogada russa que se reuniu com Trump Jr. diz que aceita falar nos EUA - Diário do Vale
domingo, 26 de setembro de 2021 - 01:11 h

TEMPO REAL

 

Capa / Internacional / Advogada russa que se reuniu com Trump Jr. diz que aceita falar nos EUA

Advogada russa que se reuniu com Trump Jr. diz que aceita falar nos EUA

Matéria publicada em 19 de julho de 2017, 14:33 horas

 


A advogada russa Natalia Veselnitskaya, protagonista da polêmica reunião com Donald Trump Jr., filho do presidente dos Estados Unidos Donald Trump, afirmou que aceita ir ao Congresso americano para dar explicações. As informações são da EFE.

Em uma entrevista na noite desta terça-feira (18) à emissora de televisão russa RT, Veselnitskaya garantiu que faria isso se lhe dessem garantias de segurança.

“Estou disposta a esclarecer a situação em vista da histeria atual, mas dentro do marco jurídico: através dos advogados ou com uma declaração no Senado”, disse ela.

Em suas palavras, a situação e as notícias relacionadas ao caso que veio a público há pouco mais de 10 dias “é uma história bem dirigida por um manipulador”.

De acordo com Natalia, o escândalo sobre a reunião que teve com Trump Jr. foi orquestrado por William Browder, diretor-geral do fundo de investimentos Hermitage Capital.

Veselnitskaya disse que Browder reuniu informação sobre seus filhos, sua família e seu estado civil. “Depois compartilhou esta informação com representantes do Departamento de Estado. Não sei para que o fizeram”, disse ela.

“O senhor Browder é um grande especialista em tecnologia e um manipulador dos meios de informação”, acrescentou.

Vingança

A jurista está convencida de que Browder organizou esta operação de desinformação em grande escala como vingança pela derrota que sofreu em um tribunal dos EUA em 2013 contra uma equipe de advogados que incluía à própria Veselnitskaya.

“Não tenho nenhuma dúvida que toda esta informação é alimentada e incitada por esta pessoa para vingar-se pelo fracasso que sofreu em um tribunal do distrito sul de Nova York”, explicou.

O escândalo foi revelado pelo jornal The New York Times, que informou que o primogênito de Trump, junto ao então chefe de campanha do empresário, Paul Manafort, e o seu cunhado, Jared Kushner, se reuniram com essa advogada russa em junho de 2016, supostamente para obter informação que prejudicasse a então candidata democrata à Casa Branca, Hillay Clinton.

Pouco depois, Trump Jr. acabou publicando e-mails dessas datas nos quais recebe com entusiasmo a idéia de obter informação sobre Hillary da advogada russa. No entanto, ressaltou que a reunião foi uma “perda de tempo” porque não houve nenhuma informação importante.

A própria advogada, em uma entrevista à emissora americana NBC, negou que tivesse qualquer relação com o Kremlin e, portanto, com a suposta ingerência russa nas eleições dos EUA.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document