sábado, 24 de outubro de 2020 - 03:38 h

TEMPO REAL

 

Capa / Destaque / Angra dos Reis programa volta às aulas presenciais para o dia 17 de agosto

Angra dos Reis programa volta às aulas presenciais para o dia 17 de agosto

Matéria publicada em 8 de julho de 2020, 16:13 horas

 


Retorno será para estudantes dos ensinos fundamental e médio

Donos de escolas particulares apresentaram protocolos de segurança para garantir retorno das aulas
(Foto: Wagner Gusmão)

Angra dos Reis – O prefeito Fernando Jordão, a secretária de Educação, Stella Salomão, e a vereadora Titi Brasil, participaram de uma reunião, no Centro de Estudos Ambientais (CEA), nesta semana, com proprietários de escolas particulares de Angra dos Reis. No encontro foi debatido que dia 17 de agosto é a data provável para o retorno das aulas presenciais para estudantes dos ensinos fundamental e médio, das redes privada, municipal e estadual, mas que tudo vai depender dos números da pandemia na cidade. Caso voltem a subir, o retorno será adiado.

Os empresários comentaram que um dos maiores receios é de que os pais retirassem os filhos das escolas particulares por conta da pandemia do novo coronavírus ter prejudicado a educação do município. A secretária de Educação lembrou que os que fizeram isso podem ser penalizados, pois é crime de abandono intelectual manter crianças e adolescentes, de quatro a 17 anos, fora da escola, sem justa causa.

– O plano de retomada das aulas é de território, então serve para a rede privada, municipal e estadual. A data só poderá de fato ser definida com o aval da autoridade sanitária municipal, que no caso é o secretário municipal de saúde – explicou Stella Salomão.

O objetivo da prefeitura é garantir uma volta às aulas em segurança para seus alunos, por isso, os donos das escolas entregaram ao prefeito Fernando Jordão um documento com sugestões de protocolos a serem seguidos nas unidades.

Quanto à educação infantil, ficou acertado que será realizada uma nova reunião dos proprietários de escolas com os secretários de Educação e Saúde. Esse caso é mais delicado por se tratar de crianças pequenas, sem autonomia, o que poderia acarretar mais riscos tanto para os pequenos quanto para os profissionais.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Avatar

    O protocolo é manter as crianças em casa ,pois elas também pegam e passam Covid ,minha sobrinha de 8 anos pegou sem ir na escola . Imagina quando voltarem com as aulas. Não existirá segurança contra Covid nas escolas públicas.

  2. Avatar

    Atitude lamentável!

  3. Avatar

    E os protocolos para as escolas municipais? Isso é um absurdo.

Untitled Document