terça-feira, 2 de junho de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / ANS define normas para reajuste de planos de saúde e hospitais

ANS define normas para reajuste de planos de saúde e hospitais

Matéria publicada em 7 de dezembro de 2015, 14:06 horas

 


Brasil – A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicou hoje (7) normas para reajustes dos contratos entre operadoras de planos de saúde e hospitais. O reajuste será feito com base na inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para se chegar ao percentual, será aplicado, sobre o IPCA, um Fator de Qualidade, estabelecido pela ANS. As informações são da Agência Brasil.

A regra vale apenas quando houver falha na negociação entre as operadoras e os hospitais, e quando não houver um índice previsto no contrato.

O fator de qualidade será aplicado, a partir do ano que vem, ao reajuste dos contratos da seguinte forma: 105% do IPCA para os estabelecimentos com certificação de qualidade, 100% para aqueles que não têm certificação mas cumprem critérios estabelecidos nos projetos da ANS e 85% para unidades que não atenderem nenhum desses critérios.

A ideia é que o fator de qualidade também sirva de parâmetro, a partir de 2017, para o reajuste de contratos entre operadoras e profissionais de saúde, como médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e psicólogos. Os critérios, no entanto, ainda estão em discussão.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    mais uma vez uma dessas agências criadas para ser cabide de emprego, serem utilizadas como moeda de troca para comprar votações nas casas legislativas e beneficiar empresas faz o seu papel…

    são todas assim, quase sempre trabalhando pelo bem estar das empresas, seja de telecomunicações, energia, saúde, aviação, transporte terrestre, transporte aquaviários, ah, são onze agências cabides de empregos, e com poucas exceções, não fazem nada para melhorar a vida do cidadão brasileiro.

    está aí mais uma vez a prova: reajuste de até 105% do IPCA para os planos de saúde.

Untitled Document