terça-feira, 25 de junho de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / APMI desenvolve projetos para famílias carentes em VR

APMI desenvolve projetos para famílias carentes em VR

Matéria publicada em 11 de fevereiro de 2019, 08:46 horas

 


Creche atende 44 crianças do maternal I e II em horário integral (Foto: Divulgação)

Volta Redonda – A falta de um local onde as funcionárias da CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) pudessem deixar os seus filhos para ir trabalhar foi um dos principais motivos para a criação, a partir do dia 14 de novembro de 1954 da APMI (Associação de Proteção a Maternidade e a Infância).

De acordo com a coordenadora Valéria Durbay, naquela época o principal objetivo da APMI era realmente o de ajudar as funcionárias da Usina como local de acolhida de seus filhos, porém o espaço serviu de ajuda a todas as pessoas.

Projetos

A coordenadora destacou que no momento a APMI desenvolve três projetos, o da creche, onde as crianças são assistidas pelas professoras e auxiliares; o projeto kit alimentação, que beneficia todo mês crianças de seis meses a dois anos, e é destinado às crianças cuja família não tem condições financeiras.

– E para que a mãe possa ser contemplada pelo kit alimentação é feito uma sindicância e as crianças são cadastradas, sendo que todo primeiro sábado do mês é distribuído os kits – disse.

Outro projeto desenvolvido pela APMI destacou Valéria, é o de enxoval de bebê para mães que não podem comprar.

– A maioria das peças é feitas por costureiras voluntárias que vão toda semana à instituição para produzir as roupinhas. Também estamos fazendo algumas reformas do local como uma rampa e a reforma do banheiro para seguir as normas proposta pela secretaria de educação e para que toda criança ou seus pais possam ter acesso a instituição com mais comodidade – afirmou.

A coordenadora Valéria ressaltou que atualmente a creche atende 44 crianças do maternal 1 e 2 em horário integral, lembrando que as crianças assistidas pelos projetos como o kit alimentação e o de distribuição de enxoval, não estão na creche, elas apenas pertencem a famílias que são cadastradas para serem beneficiadas pelo kit alimentação e enxoval.

– Para que as mães sejam contempladas fazemos a sindicância e agendamos as crianças. Antes nós distribuíamos 150 kits por mês, mais devido às doações que diminuíram muito reduzimos para 40 kits. Por esse motivo há lista de espera, mais infelizmente não podemos assistir a todos – lamentou Valéria.

Doações

De acordo com a coordenadora da APMI, a instituição é mantida por doação, onde há um carnê pelo qual cada pessoa pode pagar o que puder mensalmente. Para complementar a arrecadação, são promovidos pela direção da entidade almoços e rifas. A renovação Carismática Católica é uma das grandes parceiras da APMI e muitos sócios são de grupos de oração, que também contribuem com o que puderem. Em relação aos funcionários, as professoras e auxiliares são da prefeitura, já a secretaria, auxiliar de limpeza e a pedagoga são mantidos pela APMI.

– Nossa maior dificuldade no momento é fazer a manutenção do prédio, onde precisamos pintar e fazer algumas melhoras. O material arrecadado para compor os kits de alimentação e do enxoval também ajuda e é sempre bem vindo. Já o cadastramento é feito na secretaria da instituição de 8 horas às 10h50 e das 13h30 às 16h50 – informou.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document