quinta-feira, 6 de maio de 2021 - 22:56 h

TEMPO REAL

 

Capa / Plantão da redação / Alerj determina que Detran não poderá rebocar veículos em blitz

Alerj determina que Detran não poderá rebocar veículos em blitz

Matéria publicada em 2 de julho de 2019, 10:40 horas

 


Motoristas terão prazo de sete dias para regularização

Rio de Janeiro – A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decidiu, em votação esta semana, que os veículos que forem flagrados com irregularidades em blitzes do Detran, no estado do Rio, não poderão mais ser apreendidos com reboques. A Alerj derrubou o veto a Lei 03/2019, que garante prazo de sete dias úteis para que os motoristas resolvam as pendências apresentadas nas vistorias itinerantes.

O deputado Luiz Paulo (PSDB), autor do projeto junto com Fábio Silva (DEM) e o subtenente Bernardo (Pros), comentou que a intenção é permitir que o condutor tenha prazo “para reparar eventual erro e evidentemente evitar aplicação de multas desnecessárias” e para combater a “indústria dos reboques”, como o deputado intitulou.

Luiz Paulo citou exemplos das lâmpadas queimadas, pneus carecas, vidros trincados ou latarias amassadas como itens que não podem ser resolvidos durante a vistoria e que nestes casos o prazo pode ser estendido, já em relação aos motoristas sem habilitação ou com licenciamento vencido, terão seus veículos apreendidos na hora.

O projeto de lei é válido somente para blitz de inspeção veicular do Detran. Também determina que se o condutor não resolver sua pendência no prazo, de sete dias úteis, a infração será processada e o veículo terá a circulação impedida. Se o motorista infrator for parado em outra blitz terá o veículo apreendido.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

10 comentários

  1. Avatar

    Pior e quando os guardas prefeitura aplica as multas e não faz a notificação.
    Quando o condutor fica sabendo a multa já está aplicanda. E uma falta de respeito.

  2. Avatar

    Agora tem colocar uma com exigência que as multas tem que ser presencial e não ficar olhando pelas câmeras colocadas na cidade de Volta Redonda e nadar o guarda municipal multar, percebi isso em um carro multado, não tinha guarda por perto, derepente apareceu um e foi direto no carro que ele pretendia multar.

  3. Avatar

    Acho que apreensão de veículo é para casos onde o veículo não pode rodar mesmo, documentos irregulares como clonagem, adulteração de números de chassis ou outro caso grave que indique roubo ou furto, casos de habilitação vencida ou estar sem habilitação é caso de multa e reboque somente se não tiver outra pessoa habilitada pra levar o carro pq nesse caso o carro não tem nada a ver com isso, tem que se ter bom senso, coisa que o povo já deixou de ter a muito tempo, uma lâmpada queimada é uma coisa completamente diferente de rodar de noite com os dois faróis apagados sem os documentos e sem habilitação, isso é bom senso em aplicar multas ou não.

  4. Avatar

    Realmente, como citado pelo colega acima, não conseguimos nem agendar uma vistoria de mudança de propriedade. Moro em Barra Mansa com minha família, ao lado do Detran. Minha irmão teve que fazer a transferência de propriedade em Resende ! Um absurdo esse sistema ! As pessoas que fazem lá são só as pessoas que perderam 150 reais pra despachante! Será que ninguém vê isso !? A robalheira come solta nesse país ! Até para passar um carro para nosso nome, carro esse que batalhamos pra pagarmos, temos que pagar um despachante para liberar o carro, ou fazermos a vistoria a 50KM de casa.

  5. Avatar

    Até que enfim temos um projeto que vai beneficiar o cidadão. Fui parada numa blitz dentro de VR e me pediram pra trocar os pneus dianteiros da minha caminhonete. Me deram meia hora para providenciar no local dois pneus (pneus enormes de caminhonete) e efetuar a troca ali. Ponderei que eles poderiam ficar com um documento é me permitisse ir até uma loja e voltar para que fosse verificado que foi sanada a exigência. .Não permitiram, guincharam meu carro. Até aí tudo bem…como a alegação foi de que eu não podia trafegar com a caminhonete, imaginei que terei que levar os pneus e alguém que pudesse fazer a troca dentro do pátio pra que eu pudesse sair. Não precisou!!! Foi só pagar a diária e eu estava liberada! Isso é sério??? Sei que eu estava errada por não ter observado que precisava manter os pneus em dia mas ao mesmo tempo ficou absolutamente claro que aquele era um meio de ganhar dinheiro com o guincho. Sem contar que observei naquela blitz, pessoas com dificuldades de locomoção tendo que sair do carro, mães com crianças tendo que descer e alugar outro carro pq o veiculo foi apreendido pq estava com a seta queimada…enfim…a exigência de 7 dias está perfeito para que se possa sanar as exigências, caso não providencie, aí sim deve ter seu carro apreendido. Parabéns aos deputados

  6. Avatar

    achei boa a noticia, palhaçada mesmo rebocar um carro por causa de uma lampada queimada . . mas há casos e casos né . . mas melhorou sim . . lembrando que é necessário comparecer ao posto do Detran para mostrar que corrigiu o problema em 7 dias . . . será que teremos vagas ? não tem vaga nem para transferir propriedade de veículos . . e o povo tudo sentado mexendo no celular lá no posto do São Luiz . . fiquei impressionado com a cena . . .

  7. Avatar

    PARABENS A VOÇÊS DEPUTADO,,,, LUIZ PAULO E FABIO SILVA ,,, INTERCEDA POR NÓS OS MOTORISTA DE BEM ,,,,,,PORÉM AQUELES QUE SÃO INRRESPONSAVEL E TEMOSO TEM QUE PAGAR PRA VER . OS BONS CONDUTORES,,,, A LEI DO DIREITO DE IR E VIR OS DEFENDE !!!!

  8. Avatar

    Brasil, pais de corruptos, onde vão as verbas arrecadadas por multas? Agente compra o carro e nunca é nosso, PQP.

  9. Avatar

    Penalidade é para irregularidade de fato e não para picuinhas.
    As autoridades de trânsito deveriam entender o que é “CONCEITO” e ter autonomia para decidir o que é “relevante” e o que é “fato”!
    para a ALERJ pela iniciativa e para vocês do Diário do Vale pela divulgação dessa materia!

    • Avatar

      Parabéns aos Deputados Tonico, Silvinho e Catavento. Essas apreensões fazem parte da indústria de extorsão ao cidadão Absurdo.

Untitled Document