sexta-feira, 22 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Polícia / Aulas no Ciep 293 serão retomadas nesta terça-feira

Aulas no Ciep 293 serão retomadas nesta terça-feira

Matéria publicada em 23 de setembro de 2019, 19:38 horas

 


Aulas haviam sido suspensas na última sexta-feira (20) após tiroteio no bairro Santa Cruz

Volta Redonda – Os alunos que frequentam a Escola Walmir Freitas/Ciep-293, no bairro Santa Cruz, poderão retornar às aulas nesta terça-feira (24). A informação foi confirmada pelo diretor da unidade escolar, Luis Felipe da Silva Nóbrega. As aulas haviam sido suspensas na última sexta-feira (20) após policiais militares do 28º BPM (Batalhão da Polícia Militar) terem ido à localidade para apurar uma denúncia de tráfico de drogas no condomínio Minha Casa Minha Vida, Ingá I e II, no mesmo bairro e terem trocado tiros com bandidos. Durante o confronto, um sargento da PM foi baleado. Um dos suspeitos na ocasião também foi baleado e morreu.

 

População acompanhou a reunião na quadra do Ciep 293 (Foto: Divulgação)

Durante a tarde desta segunda-feira (23), funcionários da Escola Walmir Freitas/Ciep-293, das forças de segurança de Volta Redonda e moradores do bairro Santa Cruz se reuniram nas dependências da unidade escolar para tratarem de assuntos que envolvem segurança pública. O encontro foi realizado na quadra do Ciep e foi coordenado pelo diretor geral da escola. Entre os presentes, estavam: representantes da Guarda Municipal, do Conselho Tutelar, do Conselho Comunitário Escolar e da Secretaria de Estado de Educação, além do presidente da Câmara Municipal de Volta Redonda, Edson Quinto, que é morador do bairro.

Segundo Luis Felipe Nóbrega, diretor da escola, as aulas só não foram iniciadas nesta segunda-feira devido à reunião.

– As aulas não retornaram nesta segunda-feira, em virtude da reunião que aconteceu no turno da manhã, onde convocamos todos na unidade escolar. Inclusive, representantes da comunidade para ouvirem o que o poder público está realizando. A escola funciona das 7h da manhã até às 22h, entre turmas do 6º ano até o 3º ano do ensino médio, sendo que durante o dia funciona como Escola Municipal e durante a noite, Colégio Estadual. Estamos buscando apoio da polícia militar para protegermos nossos alunos. Segundo a PM, o esquema de segurança e policiamento dentro da escola será reforçado. Durante a reunião foi dito que obras de infraestrutura serão realizadas. Vai ter uma comissão dentro da prefeitura, com representantes da escola, da comunidade e dos órgãos de segurança para determinar os próximos passos – disse.

O diretor reforça que o foco da unidade escolar, além da educação, é a segurança. E que ela deve ser mantida e respeitada.

– A escola fica em uma situação muito delicada. O importante é que a segurança de todos seja preservada, inclusive das crianças que aqui estudam. Não importa a raça, o credo, muito menos a origem desse aluno. A escola é um local que deve ser usado para que essas pessoas adquiram conhecimento. A reunião serviu para dar um esclarecimento à população quanto a isso. A escola está dando apoio ao aluno. A gente precisa do apoio da polícia e também precisa que a escola seja um local de respeito e que ninguém mecha com ela e com os alunos que aqui estudam – completou.

Durante o encontro, a ideia da criação de uma comissão de pais ou responsáveis foi sugerida (Foto: Divulgação)

O secretário municipal de Segurança Pública, coronel Goulart, sugeriu a criação de uma comissão de pais ou responsáveis para debater com as forças de seguranças e representantes da secretaria de Educação a melhor maneira de garantir a segurança na unidade.

“As pessoas que vivem o dia a dia na comunidade podem colaborar conosco. Mas posso antecipar que vamos solicitar a ampliação da ronda policial, além de avaliar arquitetonicamente a estrutura da escola para ver a possibilidade de tornar o local mais seguro”, citou o coronel Goulart, sugerindo ainda a extensão do Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas) da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro para os alunos da unidade, já que, a princípio, só atendem alunos do 5º ano do ensino fundamental.

O subcomandante do 28º BPM, tenente coronel Alves, lembrou que a ocorrência da última sexta-feira, 20, foi um fato isolado. “Trabalhamos para garantir a segurança da população e jamais vamos marcar uma operação de combate ao crime em horário escolar”, afirmou.

A secretária de Educação, Rita Andrade, também explicou que as aulas no Walmir de Freitas foram suspensas nesta segunda-feira, 23, para que houvesse essa conversa com toda comunidade escolar. “A partir desta terça-feira, dia 24, a unidade volta a funcionar normalmente”, afirmou Rita.

 

 

 

 

 

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Avatar

    Uma ação amadora da P.M.

    Não existe mais segurança no Bairro e todos sabem o motivo e o foco dessa tensão social.

    Um poder público omisso e agentes despreparados, aguardem em breve uma tragédia nesse local.

    • Avatar

      Troca-se o presidente da república, troca-se o governador, troca-se o prefeito, troca-se o comando do 28º BPM, troca-se o delegado da 93 DP. Sai um, entra outro de tempos em tempos, e a situação da violência no bairro continua piorando. A cada dia mais e mais bandidos.

      Será que os moradores estão trocando o presidente da associação de moradores ou líder comunitário?

  2. Avatar

    Avaliaram mal a situação do ambiente para abordarem criminosos, e ainda por cima da MCMV. Claro que eles aproveitariam para arrumarem mais confusão.

    Da próxima vez esperem alguma procissão da igreja por perto e voltem na MCMV no mesmo momento. Do contrário os Padres e Pastores precisam ficar atentos com a concentração de fiéis. É bom combinar com a PM antes. Se eles forem no bairro é melhor cancelar o evento. Jesus entenderá. rsrs

Untitled Document