quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / Bolsonaro desembarca no Rio e vai direto para casa

Bolsonaro desembarca no Rio e vai direto para casa

Matéria publicada em 30 de setembro de 2018, 08:48 horas

 


 Rio de Janeiro – O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, chegou hoje (29) às 16h40 ao Aeroporto Santos Dumont, num voo de carreira, procedente de São Paulo, depois ficar internado por 22 dias no Hospital Albert Einstein. O candidato foi vítima de uma facada no abdômen em Juiz de Fora, no dia 6 deste mês, quando participava de um ato político. Ele seguiu para sua casa, na Barra da Tijuca, onde vai continuar o tratamento.

Da cabeceira do Aeroporto Santos Dumont,  Bolsonaro foi levado de carro para a sede do Departamento de Controle do Tráfego Aéreo (Decea). Depois de 15 minutos, saiu em carro fechado. O candidato não parou para falar com os correligionários, que se aglomeraram no portão principal da Base Aérea, com faixas e cartazes.

Carros da Polícia Federal, com agentes batedores, e do Batalhão de Choque da Polícia Militar fizeram parte do comboio que deu suporte à comitiva. Pelo menos nos próximos sete dias, Bolsonaro não poderá participar de atos políticos, seguindo recomendação da equipe médica.

Para deixar o local, a Polícia da Aeronáutica fechou por 15 minutos a Avenida General Justo, em frente à Base Aérea, provocando problemas no trânsito para quem ia do Aterro do Flamengo em direção ao centro da cidade. As ruas transversais também ficaram com o trânsito complicado, por causa de uma manifestação na Cinelândia contra Bolsonaro, o que levou a Companhia de Engenharia de Tráfego e a Guarda Municipal a fechar várias vias da região.

Por Douglas Corrêa – Repórter da Agência Brasil 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

9 comentários

  1. Avatar
    Assessor de comunicação do general Mourão.

    Respondendo a um eleitor do Boçalnaro : de fato, siderúrgicas e mineradoras não devem ser estatais. Mas, entregá-las por valores 10 vezes ( como no caso Açominas e Usiminas),20 vezes (como no caso da CSN), 30 vezes ( como o caso da mineradora CVRD e as empresas de telefonia) menores do que valiam é entreguismo,crime de lesa pátria. E ainda, de brinde , entregaram as terras da nossa cidade.Pesquise e comprove os dados acima. Leia e veja mais jornais. Não se informe apenas pelas redes sociais. Até porque pode votar errado e depois fazer como a grande maioria dos 51 milhões de coxinhas que votaram no Aecinho, mas dizem agora que não votaram. Fique ligado.

  2. Avatar

    O chororo dos esquerdeopatas é livre.
    B17 com certeza.

  3. Avatar
    Com cola na mão e Wal do Açaí no coração

    Bozonaro prolongando o atestado médico para faltar aos debates…
    #EleNão

  4. Avatar
    Assessor de comunicação do general Mourão.

    Sete dias sem participar de ato político. Santa coincidência.O candidato vai ficar exatos 07 dias sem participar de debates ou dar entrevistas. Exatamente o tempo para a eleição. Tudo para preservar a imagem do candidato , evitando sua queda nas pesquisas. Porque o candidato não tem plano para nada, é um político fraco, desinformado,foi um militar medíocre e só fala merda e besteiras, como seu vice. Se dizem nacionalistas, mas se omitiram quando as empresas estatais (como a Vale, a CSN, etc) eram entregues para os capitalistas internacionais, empobrecendo o país. São, na verdade, traidores da pátria que deveriam proteger.

    • Avatar

      Nacionalista é diferente de estadista. Você quer vire estatal? Para ter 300 pessoas onde trabalharia no máximo 10, para governo tomar conta de tudo? Prefiro livre comércio e com o estado mínimo, quanto mais estado menos liberdade temos.

  5. Avatar
    Observador Político

    O ex-capitão pode tirar o domingo para refletir sobre as suas chances cada vez mais remotas no 2°. turno e, diante de seu alto índice de rejeição, renunciar antes do 1°., para que Ciro ou Alckmin possam derrotar o Haddad. Se é que o Bolsonaro e seus seguidores têm mesmo vontade de não ver o PT vencer pelo voto popular a eleição para presidente pela 5ª. vez consecutiva. Caso o ex-capitão renuncie, o petista passa a ser o mais rejeitado.

Untitled Document