sábado, 21 de setembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / Bolsonaro diz que Brasil vai vencer a crise econômica mundial durante visita em Resende

Bolsonaro diz que Brasil vai vencer a crise econômica mundial durante visita em Resende

Matéria publicada em 17 de agosto de 2019, 10:15 horas

 


Resende – O presidente Jair Bolsonaro disse ter convicção de que o Brasil vai superar os eventuais problemas que possam surgir se houver uma crise econômica mundial. Nesta semana, houve pânico nos mercados financeiros de todo o planeta em meio a temores de uma nova recessão na economia global após a divulgação de dados econômicos ruins na China e na Alemanha e a escalada das tensões comerciais entre Estados Unidos e China. Com isso o dólar superou a barreira dos R$ 4, com alta de 1,57% na semana, e a bolsa acumulou queda de 4,03%.

Bolsonaro citou recentes medidas que o Brasil vem adotando e disse que o governo está fazendo o dever de casa. “Pode ter certeza, se não tivéssemos tomado as medidas que tomamos, o Brasil estaria em uma situação bastante complicada. Estamos fazendo o dever de casa. O Brasil estava arrebentado economicamente. Eu tenho esperança, o povo pode acreditar, nós vamos vencer”, disse o presidente, que está no município de Resende, no sul fluminense, desde a noite desta sexta-feira (16), onde participará da entrega de espadins aos cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), na manhã deste sábado (17).

Perguntado sobre o projeto de abuso de autoridade, o presidente disse que ainda não havia lido a matéria, mas confirmou que haverá veto. “Não li ainda o projeto. Segunda-feira (19) eu leio, mas que vai ter veto, vai”.

Bolsonaro falou rapidamente com a imprensa após cumprir uma de suas tradições quando vem a Resende, que abriga a academia militar onde ele se formou oficial. Ele parou para comer um cachorro-quente no mesmo local que frequenta desde quando era deputado federal.

A presença de Bolsonaro atraiu dezenas de pessoas. Após comer o cachorro-quente, ele conversou com crianças e bateu fotos com os presentes. Apesar do tumulto em certos momentos, o esquema de segurança funcionou sem que houvesse nenhum tipo de situação que colocasse em risco o presidente.

O governador do Rio, Wilson Witzel, também foi até o food truck de cachorro-quente acompanhando Bolsonaro. O presidente decidiu seguir a pé até o hotel de trânsito de oficiais da Aman, onde está hospedado, em um trajeto de aproximadamente 500 metros.

Bolsonaro come cachorro-quente, no food truck Hot Dog do Senhor, em visita à Resende
(Foto: Fernando Frazão)

Vendas impulsionadas por Bolsonaro
O dono do food truck, Giordani Cardoso, nascido na Baixada Fluminense e morador de Resende, onde vende cachorro-quente há 25 anos, disse que as vendas dispararam desde que Bolsonaro foi ao local no ano passado, já como presidente-eleito. Segundo ele, a fama repentina trouxe novos clientes, que antes não conheciam o seu tempero. “Hoje vem oficial da Aman, coronel e até comandante”, disse. “Dobraram as vendas. Aumentou 100%”.

Em agradecimento, Cardoso criou um cachorro-quente em homenagem a Bolsonaro, o Big Presidente, com 30 cm de salsicha ou linguiça, catupiry, ovo de codorna e outros acompanhamentos.

Cardoso lembra quando Bolsonaro e a primeira-dama Michele, ainda longe da fama e do poder, oito anos atrás, frequentavam o local, que ainda era uma modesta barraquinha e não o potente food truck, comprado recentemente.

“Eles vinham até na chuva, ficavam ali numa mesinha. Sempre que ele vinha de São Paulo, tinha que entrar em Resende para comer o meu pão com linguiça. Ele se amarrou no meu lanche. Eu aproveitava e tirava uma foto. Porque a gente tem que conhecer o campeão antes do pódium”, filosofa Giordani.

Hoje o food truck virou uma atração na cidade. Decorado com fotos de Bolsonaro e os filhos ao seu lado, uma TV passa em loop as imagens e um vídeo de quando Bolsonaro esteve lá e gravou um comercial, de graça, sobre o seu cachorro-quente.

Com a fama, Giordani sonha em dar passos mais largos. “Agora estou pensando em abrir uma franquia. Hotdog Senhor, o preferido do presidente”, disse.

*Informações cedidas por Vladimir Platonow – Repórter da Agência Brasil


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

5 comentários

  1. Avatar

    Se fosse o LULA iria tomar uma pinga no primeiro boteco.

  2. Avatar

    Já se passou 1 ano da convenção do partido que lançou o Sr. Bolsonaro e nada de planejamento de governo.
    Fugiu dos debates na campanha eleitoral, teve 2 meses de transição depois de eleito e já são 7 meses e meio de governo e esse governo continua improvisando e jogando “cortinas de fumaça” para desviar a atenção dos problemas mais sérios e de escândalos como o do Léros-léro de Itaipu Binacional e o sumiço do amigão do ex-capitão, o Queiroz.

    • Avatar

      O Brasil está parado por conta do DEM, PP e Prb e PR que estavam exigindo cargos para votarem as reformas. Agora continuará parado por conta dos senadores. Vamos ver quais são.

      Votar certo ajuda o Brasil.

    • Avatar
      Ranço da esquerda

      Ooooh queridón, todo mundo sabe que o país está com problemas, vc não que os estragos sejam arrumados em 1 ano… A porraaaa do Queiroz provavelmente está em casa, seu canalha… parecendo um papagaio de pirata, mas aviso aos insentoloides e esquerdalhada, vcs não vão vencer. Não vão ganhar pelo cansaço. Estamos dispostos de ir ao inferno poraaaa para acabar com essa esquerdalhada, seus fabricantes de fake news da porraaaaaa… kkkkk

Untitled Document