sexta-feira, 22 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Boneca Momo: colégios da região alertam para ‘jogo’ com desafios

Boneca Momo: colégios da região alertam para ‘jogo’ com desafios

Matéria publicada em 3 de setembro de 2018, 21:19 horas

 


Escultura japonesa é a face usada por criminosos para ameaçar e machucar crianças


Volta Redonda – 
No ano passado foi a “Baleia Azul” e agora é a vez da “Boneca Momo”. Um novo jogo com desafios é a mais nova fonte de preocupação para pais e responsáveis de crianças ou adolescentes com acesso à internet. Como da outra vez, o principal meio de divulgação do “jogo” é o WhatsApp e novamente as vítimas são induzidas a cumprirem tarefas perigosas e macabras. Com isso, pelo menos duas grandes escolas do Sul Fluminense já emitiram alertas para os familiares de seus alunos.

A Colégio Salesiano, de Resende, e o MV1 Macedo Soares, de Volta Redonda, pediram que os responsáveis pelas potenciais vítimas fiquem atentos. Em nota, o Macedo afirma trabalhar “de maneira preventiva sobre diversos temas, incluindo os perigos da internet”. As orientações acontecem na escola, durante a aula de Orientação Educacional, mas o colégio recomendou às famílias que conversem e orientem as crianças e adolescentes. O Salesiano avisa, inclusive, sobre casos que estão ocorrendo no Brasil.

O “modus operandi” é muito parecido com o utilizado pelos criminosos que disseminaram a “Baleia Azul”. A vítima é notificada pelo celular e orientada a entrar em contato com a boneca, apresentada como um “monstro sinistro”. A partir daí, ela passa a receber alguns desafios perigosos. Em geral, sugestões de mutilações e testes que envolvem técnicas de sufocamento. Relatos dão conta de que há medição de tempo para saber quem aguenta ficar mais tempo sem respirar.

Com dados das pessoas das vítimas, os aliciadores ameaçam as crianças para que não saiam do jogo sob pena de serem punidas. Além disso, a “Momo” também é usada para que criminosos roubem dados pessoais e informações que possam ser usadas em golpes, assaltos ou roubos.

A imagem da “Momo” é realmente assustadora, mas não é um monstro e muito menos tem poderes especiais. Trata-se, na verdade, de uma reprodução da escultura “Mulher Pássaro”, exposta em um museu de Tóquio, no Japão. Isso não deve, de forma alguma, minimizar o impacto que tem nas crianças. No Recife, um garoto de nove anos pode ter sido a primeira vítima fatal notificada pela polícia no Brasil. Outras duas meninas foram hospitalizadas, também em Pernambuco, depois de terem seguido orientações de alguém por trás da boneca.

Especialistas dão dicas

Para a neuropsicológa Marcele Campos, a melhor solução para manter os jovens longe dos perigos da internet é o diálogo. Ela defende que toda ação do tipo se torna uma oportunidade de ensinar os filhos a reconhecerem ameaças, para que possam evita-las.

– Aproximar-se de seu filho, ter uma conversa franca e adequada para cada idade, onde a criança ou o jovem possa falar sem esperar sermões ou ameaças, visto que podem fazer com que informações importantes sejam omitidas, por medo de uma punição. É importante que haja um acompanhamento pelas famílias sobre uso das redes sociais. Sem dúvida proibir o acesso as redes sociais é uma estratégia ineficaz, apesar da ameaça começar pela internet. As redes sociais são apenas um meio pelo qual o perigo pode acontecer, a internet hoje faz parte do cotidiano de todos – afirma Marcele.

A psicopedagoga Fátima Ribeiro Cardoso diz que limites são importantes. Ela destaca que muitas vezes pessoas mal intencionadas podem usar de má fé e fazer ligações, utilizando chantagem emocional até induzir as crianças a fazer coisas utilizando os comandos por aparelhos eletrônicos. Ela acredita também que é fundamental que os pais busquem saber sobre as ferramentas utilizadas pelos mais novos, não se ausentando por falta de conhecimento mínimo do ambiente virtual.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

9 comentários

  1. Avatar

    Q geração fraca essa!

  2. Avatar

    Pra resolver esse problema, uma boa dose de chinelada na bunda desses aborrecentes. E se o conselho tutelar aparecer ,chama a boneca momo pra dar o fim neles. Pela madrugada! !!! Coisa ridícula essa nova modinha.

  3. Avatar

    Venho aqui expressar minha indignação com este bulling e preconceito que estão fazendo com esta figura menos favorecida em beleza física e que instrui as pessoas num entretenimento. Nossa sociedade tem que aprender a lidar com as diferenças! Kkkkk

  4. Avatar

    gostaria de deixar aqui minha admiração pela escola wladir de souza telles no vila rica, nao e uma grande escola como citado acima com nome forte . mais e uma escola da prefeitura que os professores estao empenhados a debater pelo mesmo assunto tive a honra de participar de uma atividade na escola na sala da minha filha no dia “da familia ” na escola em que a professora usou este mesmo assunto. parabens aos professores da rede municipal que cuidam de nossa crianças da melhor maneira possivel

  5. Avatar

    Parece com uma tia minha.

  6. Avatar

    PARECE QUE TEM OS SEIOS BONITOS KKKK

  7. Avatar
    EDMUR FERREIRA DA SILVA

    Pessoal sem noção. No Brasil, Momo é o rei do Carnaval, gordo pacaramba. Pega mal uma figura magrela e feia ter o mesmo nome. Poderia ser Mulher galinha, em homenagem à mãe de quem inventou.

Untitled Document