sábado, 20 de abril de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Campanha pede para população de Resende deixar de dar esmolas

Campanha pede para população de Resende deixar de dar esmolas

Matéria publicada em 16 de dezembro de 2018, 16:09 horas

 


Campanha ressalta que dinheiro de esmola pode ser uado para uso exagerado de álcool, por exemplo (Foto: Carina Rocha)

Resende – A Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, através do Serviço Especializado de Abordagem Social (SEAS), Centro Pop e do Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS), realizará na quarta-feira, na região do mercado popular, uma campanha de conscientização da população sobre os problemas que podem ser causados pela doação de esmolas.

De acordo com a secretária municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, Jaqueline Primo, a campanha está sendo articulada neste período por se tratar de uma data próxima ao Natal, quando as pessoas costumam ficar mais sensibilizadas à doação.

Os locais escolhidos para abrigar a ação, foram definidos por concentrar um grande número de moradores em situação de rua. Durante a campanha, agentes da Secretaria distribuirão folhetos que tratam sobre o tema, além de orientarem a população a encaminhar as pessoas em situação de ruas para os serviços socioassistenciais oferecidos no município.

– Geralmente conseguimos atuar com mais eficácia nos períodos comemorativos, como o Natal, Dia das Mães e Páscoa, que são datas em que há maior movimento no comércio e as pessoas acabam se sensibilizando com a situação e dando esmolas às pessoas que vivem nas ruas. Nosso principal objetivo com esta ação é fazer com que a população evite dar dinheiro e, ao invés disso, encaminhe este público para o Centro Pop, onde os moradores recebem todo suporte necessário – explica a secretária.

A organização da campanha ressalta que a doação de esmolas pode acarretar inúmeros problemas, alguns deles com consequências preocupantes, como o uso do dinheiro para o consumo de drogas e o uso exagerado de álcool. A secretária ressalta que expectativa é que, a partir do momento em que a população tomar consciência do problema, ela se prontifique a encaminhar os pedintes aos serviços oferecidos pela prefeitura.

– O Centro Pop é responsável por traçar estratégias e prestar auxílio a pessoas que estão vivendo em situação de rua no município. Para isso, a unidade oferece diversos serviços, como a guarda de pertences, lavanderia, café da manhã, almoço e oficinas, além de orientação. Infelizmente, no entanto, muitas pessoas ainda desconhecem este serviço, que tem grande importância social. Agora, com a realização desta campanha, esperamos contar com o apoio da população no sentido de informar às pessoas que estão vivendo nas ruas, que a prefeitura tem serviços para ajudá-las – disse a secretária.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

14 comentários

  1. Avatar

    Eu sou à favor da esmola, pois é um preceito bíblico, e eu sou bíblico…

  2. Avatar

    Certa a medida hontem no no acesso oeste enfrente ao mercado Panamil havia uma moça com um carrinho de bebê com uma criança pedindo esmolas, eu até dei uns trocados, Não achei certo mas não pude deixar de ajudar a moça pedia para comprar leite para aquela criança

  3. Avatar

    Idéia doida. Hj escutei q é melhor pedir do que roubar.

  4. Avatar

    Certissimo, a prefeitura de Volta Redonda deveria tomar as mesmas medidas, trabalho na Vila Santa Cecília e acho um absurdo essas mães todo ano nesse período coloca os filhos na maioria das vezes bebes para ficar o dia inteiro nesse sol quente, com o intuito de comover as pessoas, eu não dou, pq se ninguem desse não colocariam essas crianças nessa situação.

  5. Avatar

    Concordo plenamente com essa campanha mas a prefeitura tem que fazer a sua parte e retirar essas pessoas das ruas compulsoriamente.

    E um absurdo que os transeuntes sejam submetidos aos insistentes e ate ameaçadoras abordagem dessas pessoas.

  6. Avatar

    Há tempos essa campanha acontece na cidade, tanto que diminuiu em muito os pedintes na rua, sendo que muitos vinham de outras cidades. Ao menos a cidade não está como VR que a cada esquina têm um estendo a mão para pedir uns centavos, o curioso é que alguns aí tiram mais dinheiro por dia do que um operador de produção da CSN. Então antes de dar dinheiro, pense o quento lhe custou para tê-lo.

  7. Avatar

    O que o Rio de Janeiro e São Paulo tem a ver com isso, Tuca? Tá achando que se mandar para RJ/SP vai solucionar a questão pública dos moradores de rua? Santa ignorância.

  8. Avatar

    Excelente medida tomada, agora tem que colocar todos esses pedintes e moradores de rua em um ônibus e enviar para o Rio de janeiro ou São Paulo.

    • Avatar

      Idéia de jerico, só podia ser rocendino… O quê Rio e São Paulo tem a ver com os seus mendigos? Vc que pariu Pedro, então cuide dele…

  9. Avatar

    Tá certíssima a prefeitura atitude correta e inteligente, isto de dar esmola estimula o alcoolismo, a venda e o consumo de drogas e até a expansão de pedintes da cidade e até de fora além de atrair malandros também.

    O certo e eles serem acolhidos cadastrados e ajudados no albergue e centro pop. Além de pesquidas sociais, encaminhamento para centros de recuperação, para empregos e até passagem de ônibus no caso de pessoas de fora que migram e desejam voltar para as suas terras

  10. Avatar

    Então ferro, daqui a pouco vai matar todos os pedintes também assim como mata os animais .Se e rico quem inventou isso e melhor aprender colocar comida,na mesa e largar de olhar os pedintes pega sua lavagem e come bandos de idiotas que não tem o que fazer.

  11. Avatar

    Definitivamente a era bozzonazi foi adotada.
    Como se essas prefeitruras fornecessem o mínimo necessário aos pobres.
    Grande piada.

    • Avatar

      O petralha para de mini. Tudo o que acontece agora é o Bolsonaro. Muita gente sai de outras cidades nesta época do ano só para pedir.

    • Avatar

      Não disse…já chegou um bozzo para começar a desferir agressoes.
      Triste país q vai levar ferro, principalmente um ferroviário rs

Untitled Document