Centro Cardiológico de VR completa um ano com mais de 24 mil atendimentos

Unidade de saúde localizada no Aterrado concentra na mesma estrutura consultas médicas, exames e terapias de reabilitação, agilizando o tratamento dos pacientes 

by bruno reis

Unidade já realizou mais de 24 mil atendimentos em um ano de operações – Cris Oliveira – PMVR

Volta Redonda – O Centro Cardiológico Municipal Camilo Riker Furtado, localizado na Rua Desembargador César Salamonte, no bairro Aterrado em Volta Redonda, completa nesta quinta-feira (29), um ano de operações e tornou-se referência para milhares de pessoas com problemas de saúde ligados ao coração

A unidade de saúde apresenta números expressivos em consultas médicas, exames e terapias de reabilitação, com mais de 24 mil atendimentos e procedimentos realizados, incluindo exames e fisioterapia. O  serviço oferecido pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realizou 18.081 consultas até a última segunda-feira (27).

Funcionando de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, para o atendimento de pacientes cardiológicos de Volta Redonda referenciados pelas unidades da Atenção Primária em Saúde, o Centro Cardiológico Municipal realizou ainda, em praticamente um ano, um total de 5.988 exames, sendo: 2.948 ecocardiogramas transtorácicos; 1.305 testes de esforço; 777 Holters 24 horas; 223 Mapas (Monitorização Ambulatorial de Pressão Arterial); e 735 eletrocardiogramas.

No período, também foram realizados 344 atendimentos em fisioterapia de reabilitação cardíaca.

Ao fazer o balanço do primeiro ano do Centro Cardiológico Municipal, o prefeito Antonio Francisco Neto aproveita para destacar a dedicação da equipe que trabalha na unidade. “Quero parabenizar a todos que trabalham para fazer da nossa Rede Municipal de Saúde um serviço exemplar. Nossos médicos, enfermeiros, todos os funcionários do Centro Cardiológico são dedicados, atenciosos, e é graças a eles que Volta Redonda voltou a ter um serviço de saúde que a população merece. Nós fizemos nossa parte para arrumar a casa, mas são eles, que lidam diariamente com os pacientes, os grandes heróis”.

Milhares de beneficiados

A secretária municipal de Saúde, Maria da Conceição de Souza Rocha, o Centro Cardiológico Municipal conseguiu cumprir, em seu primeiro ano de atividades, a promessa do governo municipal em reconstruir a saúde em Volta Redonda.

“Desde 2021, temos trabalhado para que nossa cidade volte a ser referência na área de saúde, depois de encontrarmos um cenário catastrófico. Recuperamos unidades de saúde, ampliamos o atendimento, seguimos com as campanhas de vacinação e tivemos nossas equipes com um trabalho exemplar no atendimento aos pacientes com dengue. O Centro Cardiológico era um sonho do prefeito Neto que se tornou realidade, e ficamos muito felizes em ver que milhares de pessoas passaram a ter melhor qualidade de vida com o atendimento que oferecemos ali”, disse a secretária.

Agilidade para o tratamento

Para alcançar esses números, o Centro Cardiológico oferece uma estrutura composta por consultórios; e salas exclusivas de ergometria (teste de esforço), eletrocardiograma/Holter/Mapa, ecocardiograma e reabilitação cardíaca. O local atende à demanda da secretaria de Saúde de reunir em um mesmo local as consultas, exames e a parte de reabilitação, sendo possível, dessa forma, agilizar o atendimento dos pacientes, que podem realizar alguns dos exames no próprio dia de suas consultas. Isso elimina a necessidade de agendamento – ou, pelo menos, com a marcação imediatamente após o atendimento com o especialista, como no caso da fisioterapia de reabilitação cardíaca.

Quanto ao pessoal, o Centro Cardiológico Municipal Camilo Riker Furtado conta com uma equipe formada por oito cardiologistas da Rede Municipal de Saúde que atendem pelo SUS (Sistema Único de Saúde) – dois deles responsáveis pelo risco cirúrgico dos pacientes que são encaminhados. Todos os pacientes que procuram a unidade passam antes das consultas pelo acolhimento feito pelas técnicas de enfermagem, que inclui aferição da pressão arterial e o hemoglicoteste, que mede o nível de glicose no sangue.

Usuários satisfeitos

O Centro Cardiológico Municipal tem sido, nesse período, a opção única para muitos moradores que não possuem plano de saúde ou que não teriam como arcar com os altos custos do tratamento particular. Quem esteve na unidade pela primeira vez, na última segunda-feira (27), foi Ludovino Wolf Monteiro, de 70 anos. O morador do Jardim Tiradentes foi encaminhado por um profissional da unidade de saúde referência de seu bairro.

“Comecei a sentir algumas dores e o médico recomendou que procurasse um cardiologista, e um tratamento particular estaria fora do meu alcance. E o nosso atendimento aqui, em vista de outras cidades por onde eu já passei, não tem ninguém que chega nem aos pés, faço questão de falar para todo mundo”, disse ele, acrescentando que, sempre que necessário, procura a Rede Municipal de Saúde para atendimento. “Sempre que preciso, faço os exames todos de graça pelo município, até operação de catarata fiz pela Saúde de Volta Redonda.”

Quem também recebe tratamento cardiológico por meio da unidade é Maria Aparecida de Oliveira Silva, 65 anos, moradora do bairro Belo Horizonte. Ela conta que sofreu um infarto em dezembro de 2022, sendo atendida no Hospital Municipal Dr. Munir Rafful, no Retiro, passando por duas angioplastias e a colocação de quatro stents. Desde então, ela continuou a ser acompanhada por profissionais da Rede Municipal de Saúde, e frequenta o Centro Cardiológico Municipal desde sua inauguração.

“Sou muito bem tratada aqui, graças a Deus. Faço as minhas consultas e vou embora tranquila. Se fosse para pagar, eu não teria condições. Não tenho do que reclamar, os médicos são muito atenciosos, realizo os exames que eles pedem. Vejo pessoas de outras cidades que reclamam do serviço de saúde onde moram, mas aqui é tudo muito organizado”, elogia, acrescentando que acabou de fazer a primeira cirurgia de catarata pelo município, e que está com a segunda agendada para 14 de junho, na Ilha São João.

 

Fotos de Cris Oliveira – Secom/PMVR.

 

You may also like

1 comment

José Oliveira 29 de maio de 2024, 16:44h - 16:44

Números inflados, como sempre… 24.000 atendimentos divididos por 365 dias do ano, dá 65 atendimentos diários, se funcionasse todos os dias do ano. Portanto, improvável se fizer os cálculos de dias trabalhados e com 1 a 4 médicos, não dariam conta desse atendimento todo. Prefeito querendo mostrar serviço, enganando o povo com números mirabolantes.

Reply

Leave a Comment

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996